Pelourinho de Amares

IPA.00000206
Portugal, Braga, Amares, União das freguesias de Amares e Figueiredo
 
Arquitectura jurisdicional, seiscentista. Pelourinho de pinha cónica, com soco circular de dois degraus, com fuste octogonal, sobre plinto com a mesma secção, rematado por pináculo piramidal. Pelourinho de que apenas resta o plinto do fuste, de secçãooctogonal, deixando antever que a coluna teria o mesmo tipo de secção, o que é confirmado por gravura antiga.
Número IPA Antigo: PT010301010003
 
Registo visualizado 285 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo pinha

Descrição

Fragmento do antigo pelourinho, de que apenas resta a base hexagonal inserida num muro divisório de parque de estacionamento.

Acessos

Largo junto aos Paços do Concelho. WGS84 (graus decimais) lat.: 41.630919; long.: -8.350810

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto 16-06-1910, DG nº 136 de 23 junho 1910

Enquadramento

Urbano. Integrado num muro de suporte das escadas da Câmara Municipal de Amares.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 17 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1450, 19 Abril - concessão do senhorio de Amares a Pedro Machado, por D. Afonso V; 1514, 08 Abril - D. Manuel concede foral a Amares, sede do antigo concelho de Entre Homem e Cávado; séc. 17 - provável construção do pelourinho; concessão do título de conde de Amares a António Félix Machado, por D. Filipe III; 1758, 19 Maio - nas Memórias Paroquiais, é referido que a povoação é de D. Jorge Francisco Machado, tendo 69 vizinhos; tem 3 vereadores, procurador, 2 almotacés, meirinho, que é carcereiro, distribuidor, inquiridor, apontador, 3 tabeliães, escrivão da câmara, juiz dos órfãos e respectivo escrivão; 1853 - devido à extinção dos concelhos de Entre Homem e Cávado, e de Santa Maria do Bouro, dá-se a sua união, formando o concelho de Amares; 1989, Março - a Câmara Municipal informa que do pelourinho apenas existe a base do mesmo, integrada num muro junto do edifício dos Paços do Concelho.

Dados Técnicos

Estrutura monolítica.

Materiais

Plinto em cantaria de granito.

Bibliografia

MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 3, n.º 61, fl. 479-486)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Isabel Sereno e João Santos 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login