Governo Civil de Bragança / Edifício da Proteção Civil de Bragança

IPA.00020551
Portugal, Bragança, Bragança, União das freguesias de Sé, Santa Maria e Meixedo
 
Arquitectura político-administrativa, neoclássica. Edifício do Governo Civil de planta rectangular, com fachadas de três pisos, separadas por friso e cornija, com pilastras nos cunhais, percorridas por embasamento, rematadas por friso e cornija, e rasgado por vãos em arco abatido sobrepostos. Fachada principal, de cinco panos, com o central terminado em frontão triangular com brasão no tímpano. Fachada lateral virada a E., de três pisos e fachada lateral a O., de dois pisos, rasgadas por vãos em arco abatido sobrepostos. A posterior com o pano central mais avançado, possui pequenos corpos adossados. Interior com vestíbulo, tendo na parede testeira arco de volta perfeita a partir da qual surge escada de acesso ao segundo piso, com os paramentos decorados com painéis de azulejos recentes.
Número IPA Antigo: PT010402420268
 
Registo visualizado 1137 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Político e administrativo regional e local  Governo civil    

Descrição

Planta rectangular, composta pela justaposição de três corpos rectangulares, sendo o corpo central de menor dimensão, flanqueado por dois corpos simétricos. Massa simples de volume horizontal, com coberturas em telhados de quatro águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com os pisos separados por cornija e friso, rasgados regularmente por vãos em arco abatido com moldura granítica rectilínea encimada por cornija saliente, integrando bandeira superior, com pilastras nos cunhais, percorridas por embasamento de cantaria granítica, rematadas com friso ritmado por argolas de ferro e cornija sob beiral. Fachada principal virada a S., de cinco panos definidos por pilastras, o pano central, terminado em frontão triangular, com tímpano rebocado e pintado de branco, onde se integra brasão de formato francês, com as armas de Portugal, envolvido por motivos fitomórficos relevados e policromado. No primeiro piso, o pano central possui três vãos e os laterais três e quatro respectivamente; sendo os panos centrais rasgados por porta e ladeados por janela, enquanto os dos extremos são rasgados por quatro janelas gradeadas. As portas têm acesso por três degraus de cantaria, sendo precedidas por pequena plataforma em todo o cumprimento da fachada principal. A porta principal é de verga recta, com moldura e platibanda plena de cantaria, decorada com almofadas geométricas, ladeada por pilastras com mísulas, que ligam à cornija separadora de piso; interligando a janela central de verga recta, com decoração idêntica à porta, encimada por dupla cornija, e varandim com guarda de ferro forjado, pintado a verde escuro. As janelas dos módulos dos extremos são mais pequenas e apresentam gradeamento "de barriga". No segundo piso, janelas iguais, com guarda de ferro forjado pintado a verde escuro, de maior dimensão. Fachada lateral esquerda de três pisos, o primeiro rasgado por porta, ladeada por duas janelas gradeadas, e por três janelas, em cada um dos pisos superiores. A fachada lateral direita, apresenta dois pisos e é rasgada por três janelas em cada piso; as do primeiro possuem gradeamento "de barriga"; e sobreposto ao embasamento, surgem duas frestas rectangulares gradeadas. Fachada posterior, de cinco panos, sendo o central mais avançado, entre cunhais apilastrados; no primeiro piso, é rasgado por porta, no segundo por dois óculos circulares gradeados com moldura granítica e, no terceiro, por grande óculo oval disposto na horizontal com moldura granítica. Este corpo está ladeado por dois corpos rectangulares de dimensões e alturas diferentes, sendo rasgados por janelas rectangulares; as do primeiro piso de maiores dimensões, são gradeadas. Os corpos laterais apresentam-se rasgados por janelas sobrepostas, sendo as do primeiro piso, gradeadas. INTERIOR com acesso principal para um vestíbulo, com pavimento em lajeado granítico, e lambril alto em cantaria, no qual se abre um vão em arco de volta perfeita, sobre pilastra, com fecho central saliente, ladeado por portas de verga recta. Nas paredes laterais, duas portas confrontantes, conduzem aos corredores laterais, onde existem várias salas, algumas comunicantes. A escadaria para o segundo piso, possui os degraus em pedra, guarda em balaústres de ferro pintado a azul e corrimão de madeira envernizado, no primeiro patim, apresenta plintos de secção quadrada; a iluminação é feita por grande óculo oval; ao longo da escadaria, surge lambril de granito, encimado por um silhar de azulejos de padrão monocromo azul sobre fundo branco, envolvidos por cercadura e de produção recente; numa posição elevada, vários painéis de azulejos, monocromos a azul sobre fundo branco, representando vários monumentos e respectiva legenda. O segundo piso possui quatro portas de verga recta de madeira, pintadas a vermelho, com moldura granítica, onde estão instalados os vários serviços.

Acessos

Rua Engenheiro José Beça. VWGS84 (graus decimais): lat.: 41,805799; long.: -6,750630

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado. Ergue-se no centro da cidade, adaptado ao declive do terreno. Fronteiro à fachada principal desenvolve-se um espaço alcatroado, pontuado de canteiros relvados com algumas árvores. Pequeno muro, acompanha o desnível de implantação do edifício, nas várias fachadas; possui parque de estacionamento subterrâneo a O.; o acesso faz-se por portões de ferro fronteiro à fachada principal e no extremo a SO., precedido por escadaria. Na proximidade ergue-se a Igreja do Antigo Convento de São Bento (v. PT010402420085) e o Edifício do Antigo Banco de Portugal (v. PT010402420279).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Política e administrativa: governo civil

Utilização Actual

Segurança: edifício da proteção civil

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1590 - Fundação do Convento de São Bento, por uma dama nobre bragançana, de nome Maria Teixeira, nas casas que lhe pertenciam e de que subsiste ainda a pedra de armas no exterior da igreja destinado a filhas nobilitadas da cidade e da região, sob a invocação de Santa Escolástica; as primeiras religiosas deste Convento eram provenientes do Mosteiro de Vairão (v. PT01131626009); 1822, 23 setembro - Manuel da Silva Passos manda substituir o nome de Governador Civil pelo de Administrador; 1832, 16 maio - Decreto nº 23 promulgado por Mouzinho de Albuquerque dividindo o país em províncias, sob a autoridade do Prefeito; 1834 - extinção das ordens religiosas; nesta data existiam três freiras e uma noviça no Convento; 1835, 25 de Junho - reforma do sistema administrativo por Rodrigo da Fonseca Guimarães, que dividiu o Portugal em distritos, passando o chefe de cada distrito a designar-se Governador Civil; 1835, 17 julho - nomeação do primeiro Governador Rodrigo Pinto Pizarra; 1853 - existia apenas uma religiosa no Convento; venda da cerca do Convento; instalação do Governo Civil, da Polícia da Segurança Pública e do Liceu Nacional de Bragança; 1861 / 1867 - transferência provisória do Liceu para uma casa alugada, posteriormente para o Antigo Hospital Militar e por fim para o Antigo Colégio dos Jesuítas; 1877 - extinção do Convento depois da morte da última religiosa; 1884 - conclusão do edifício; séc. 20 - foi demolido parte do coro da igreja do Convento para melhor visualização do edifício do Governo Civil; 1928, 27 abril / 1953, 27 abril - obras de instalação de serviços da DGEMN, através dos Serviços Centrais e da Delegação das Novas Instalações para os Serviços Públicos; 1949 - construção de garagem por 137.827$65 (DGEMN:DREMN-0785/02); 1968 - transferência do Liceu para o novo edifício no Alto da Boavista; 2004 - transferência da PSP, para o edifício da R. Dr. Manuel Bento; 2006 - instalação do Serviços de Estrangeiros Fronteiras, no primeiro piso da ala direita.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria de granito rebocada e pintada; elementos estruturais, molduras dos vãos, frisos, cornijas, e escadas em granito; portas, caixilharias, tectos e corrimão em madeira; vidros simples; gradeamentos e balaustrada em ferro; pavimentos em lajes graníticas e em madeira; portas do vestíbulo em vidro; tectos em estuque; cobertura exterior em telha.

Bibliografia

Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério no ano de 1952, Lisboa, 1953; NÓVOA, António, SANTA-CLARA, Ana Teresa, "Liceus de Portugal". Arquivos, Histórias e Memórias, Porto, 2003; www.gov-civil.pt, 1 Setembro, 2006; www.adbragança.org, 4 Setembro, 2006.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMN/DE

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMN

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMN

Intervenção Realizada

DGEMN / Delegação das Novas Instalações para os Serviços Públicos: 1928, 27 de Abril / 1953, 27 Abril - obras de instalação de serviços; DGEMN: 1966 - construção de um muro de vedação; conclusão das obras de restauro e adaptação dos calabouços ao comando da P.S.P; instalação do Comando da P.S.P; 1969 - obras de conservação: substituição de caixilharias, arranjo da cobertura e instalações sanitárias; 1971- instalação de sistema de aquecimento central; pinturas e reparação de paredes, tectos e carpintarias; remodelação da sala Governador: substituição do pavimento, mudança de divisórias, novo banho privativo, rebocos e pinturas; 1973 - reparação e pintura de paredes, tectos e carpintarias; 1975 - obras de conservação: reparação do estuque e pintura do tecto e das paredes, limpeza e enceramento do soalho, pintura de carpintarias, execução do envidraçado para a instalação da aparelhagem do P.B.X.; revisão e reparação do telhado; 1976 - beneficiação do sistema de aquecimento central; 1977 - realização de diversas obras de reparação e beneficiação; 1978 - continuação de beneficiação do sistema de aquecimento central; revisão geral da telha da cobertura e do sistema de escoamento das águas pluviais; substituição do guarnecimento das paredes das fachadas principal e laterais; pintura de todas as superfícies exteriores, incluindo os muros de vedação; reparação das caixilharias e portas; pintura dos gradeamentos de ferro; reparação de estuques de tectos e de rebocos de paredes, com substituição das zonas mais deterioradas; pintura de carpintarias; beneficiação das instalações sanitárias; 1980 - obras urgentes de reparação de avarias em sanitários; obras diversas de conservação reparação e beneficiação; 1985 - remodelação da instalação eléctrica; reparação dos tectos em ruína, nova instalação de iluminação; 1986 - obras de reparação da cobertura; 1987 - reparação dos estragos causados pelos temporais; obras reparação e conservação da cobertura; estudo de remodelação do edifício; 1988 - obras de remodelação do edifício; 1989 - obras de conservação da chaminé do aquecimento e caldeira e beiral do telhado; 1990 - obras de conservação e reparação da nova rede eléctrica; 1991 - trabalhos de remodelação do edifício, demolição de paredes divisórias, levantamento e remoção dos assoalhamentos e vigamentos de madeira, execução de pavimentos em laje pré-esforçada, execução de vigas, beneficiação geral de cobertura do edifício substituição de telha e revisão de todas as vedações metálicas; 1992 - conservação e reparações diversas: pintura de caixilharia de madeira, em vãos de janelas e em portas de madeira, e respectivas portadas de madeira, escovagem e pintura em paramentos das fachadas; 1993 - obras diversas de beneficiação: remodelação da rede de aquecimento do edifício, arranjo da cave, remodelação do telhado com eliminação das antenas instaladas no telhado, substituição de todas as caleiras, cortinados e móveis para o Salão Nobre, arranjo do hall da entrada principal do gabinete do Governador Civil; 1994 - obras de conservação e reparação diversas: arranjo da cave e do anexo, com o objectivo de adaptar a arquivo; 1995 - revisão geral da rede eléctrica, para a alimentação das unidades de informática; revisão e remodelação do aquecimento central com substituição da tubagem existente; colocação de uma porta de vidro, no vestíbulo de entrada; substituição da caixilharia das janelas e portas de varandas com aplicação de vidros duplos; colocação de corta fogos no topo das paredes-mestras de suporte do telhado; obras de beneficiação da cobertura e da cave; remoção de portas, aros e guarnições de madeira; remoção do pavimento constituído por soalho sobre vigamento de madeira; demolição de paredes em alvenaria de tijolo e granito; demolição de azulejos nas paredes do bar; reboco em paramentos de paredes interiores; revestimento de pavimentos em "parquet" de carvalho; reparação e pintura dos tectos, pintura de vãos exteriores; execução de uma porta em madeira maciça no corredor; aplicação de portas interiores, execução de aros e guarnições das duas entradas para o bar; execução de envidraçados fixos nas instalações sanitárias; aplicação de estores; aplicação de rodapés em madeira maciça; execução de tubagem para o saneamento; colocação de sifões de pavimento; aplicação de lavatórios; execução de caixas de saneamento em alvenaria de tijolo; 1997 - obras de adaptação e beneficiação do imóvel (cave e garagem); 1998 - remoção das antenas existentes sobre a cobertura, remoção do mastro e suporte de bandeira existente na fachada principal, revisão geral das coberturas com substituição das telhas deterioradas, execução de remates nas zonas em falta do guarda-pó existente sobre a cobertura, remoção de fios condutores do telefone e outros existentes na fachada principal, aplicação de produto anti-fungo a todo o guarda-pó; obras de beneficiação nas coberturas; 2000 - obras de conservação dos paramentos exteriores; 2001 - obras de conservação do átrio da entrada; 2002 - adaptação de espaços interiores (instalações sanitárias); 2003 - remoção de alguns irradiadores de ferro do espaço de arquivo; 2005 - obras de conservação do primeiro piso da ala direita: reparação e pintura dos tectos em estuque e em madeira; beneficiação geral do soalho, remoção de betonilha de pavimento existente nos sanitários, execução de pavimento auto-nivelante nas instalações sanitárias, reparação e pintura dos rodapés, aplicação de novo soalho, picagem de rebocos existentes, reboco com argamassa de cimento, aplicação de estuque e de tijolo em parede divisória, execução de painéis de madeira folheada; reparação de caixilharias e guarnições de vãos existentes, afinação de caixilharia, aplicação de vidros lisos, aplicação de portas novas, reparação, afinação e decapagem das caixilharias exteriores; aplicação de louças e equipamentos nas instalações sanitárias; 2006 - Obras de conservação do primeiro piso da ala direita: pavimentos de madeira, paramentos, tectos em madeira e estuque, caixilharias interiores, execução de três portas em madeira, beneficiação geral das caixilharias exteriores, portadas, janelas e portas, execução de paredes divisórias e respectivas portas na zona dos sanitários, execução de divisórias em estrutura de madeira para formação do arquivo, execução de redes de saneamento e instalação eléctrica; obras de adaptação de Instalações ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Observações

Autor e Data

Sónia Basto 2006

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login