Igreja Paroquial de Areias / Igreja de Nossa Senhora da Graça

IPA.00002040
Portugal, Santarém, Ferreira do Zêzere, União das freguesias de Areias e Pias
 
Igreja paroquial maneirista e barroca, com planimetria ainda goticizante à qual os elementos de suporte, como colunas e arcos, e o tratamento volumétrico e espacial vêm conferir um carácter já renascimental. Fachada-torre, formando inferiormente nártex. Altar do Evangelho dentro do vocabulário maneirista. Talha e azulejos do período Barroco. A galilé é atribuída, pela maioria dos autores a João de Castilho.
Número IPA Antigo: PT031411020003
 
Registo visualizado 247 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta de 3 naves de 6 tramos cada; volumes articulados. Naves laterais com cobertura em telhado de 1 água, ligeiramente mais baixas, e a nave central, com cobertura em telhado de 2 águas. Exterior: fachada principal constituída por uma torre sineira de 3 registos sendo o inferior rasgado por galilé de 3 arcos de volta perfeita assentes em colunas jónicas; no 2º registo nicho em baldaquino assente no friso e grande janelão rectangular de molduras sucessivamente reetrantes; no registo superior janelões sineiros e pequena empena triangular ladeada de 2 pináculos. Em plano recuado ao da torre os panos dos muros das naves laterais. INTERIOR: arcos de volta perfeita sobre colunas com capitéis jónicos; no eixo dos arcos janelas de clerestório; o primeiro tramo das naves é absorvido por parede constituindo coro-alto; no muro posterior os arcos descarregam em capitéis assentes em mísulas. Tecto de madeira de 1 água nas naves laterais e de 3 águas na nave central. Capela-mor abóbada de nervuras tendo nas chaves a cruz de Cristo e o escudo das quinas. Arco triunfal de volta perfeita.

Acessos

EN. 110, EM. 527. Pela EN. 348

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 33 587, DG, 1.ª série, n.º 63 de 27 março 1944

Enquadramento

Urbano. No centro da povoação junto a logradouro e a um fontanário.

Descrição Complementar

Altares laterais em pedra maneiristas, dos Séc. 16 e 17; púlpito de cálice com friso superior lavrado de uma cabeça de anjo, duas imagens quinhentistas em pedra figurando Santo António e São Saturnino; os azulejos, tipo padrão, azuis e amarelos e o retábulo de talha da capela-mor.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 15 / 16

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: João de Castilho (reconstrução)

Cronologia

Séc 15 - fundação e início construção; segundo António Baião (1909 e 1917) a Igreja já existia em 1489; 1502 - construção capela-mor mandada executar por D. Manuel I, quando ainda era Duque de Beja; 1504, 13 de Abril - foi feita a visitação à igreja pelo visitador Frei Diogo do Rego; 1510 - nova visitação à Igreja de Pias, mandando o visitador fazer a sacristia e introduzir melhoramentos na igreja; 1512, 16 de Março - D. Manuel ordena ao encarregado das obras de Tomar, Miguel de Arruda, nova construção de uma sacristia na igreja e que as suas despesas sejam incluídas nas obras do Convento de Cristo; 1548 - Reconstrução da Igreja na qual terá intervido João de Castilho (ALMEIDA, 1980); desta data é a construção da galilé; 1596 - Retábulo em pedra na nave lateral esquerda; séc. 17 - colocação de retábulo em pedra da nave lateral direita, talha e azulejos da capela-mor; 1934, 08 junho - classificação do edifício como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto n.º 23 983, DG n.º 133; 1940, 26 setembro - publicação de Decreto nº 30 762, no DG, 1.ª série, n.º 225, determinando a classificação do edifício como Imóvel de Interesse Público; 01 novembro - publicação do Decreto nº 30 838, DG, 1.ª série, n.º 254, suspendendo o decreto n.º 30 762, de 26 de setembro do mesmo ano, relativamente à classificação de imóveis de propriedade particular.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes e estrutura mista.

Materiais

Estrutura: Reboco de cal no exterior dos muros; cornijas, frisos, molduras, cunhais, mísulas e arcos, de cantaria. Cobertura: telha portuguesa e românica assente em vigamento de betão armado e madeira. Pavimentos: Tijoleira e lajedo de cantaria. Revestimentos: talha, azulejos, pinturas murais.

Bibliografia

BARBOSA, Inácio de Vilhena, As Cidades as Villas da Monarchia Portugueza que teem brasão d'armas, Vol. 1, Lisboa, 1860; BAIÃO, António, A Vila e o Concelho de Ferreira do Zezere, O Archeologo Português, Vol. 14 e 22, 1909 e 1917; CÂNCIO Francisco, Ribatejo Histórico e Monumental, 1938; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Santarém, Vol. 3, Lisboa, 1949; ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; NUNES, Jacinto M. G., Alvaiázere e Areias, Duas Igrejas, um Convento, s.l., 2003; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74705 [consultado em 21 dezembro 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN / DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN / DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN / DSID

Intervenção Realizada

DGEMN: 1952 / 1953 - arranjo do adro da Igreja; 1967 / 1969 - coberturas incluíndo a consolidação e / ou substituição das nervuras de cantaria da abóbada da capela-mor. 1969 - restauro fachada principal com a supressão do anexo ao corpo da torre. 1974 / 1979 - beneficiação e restauro de coberturas. 1975 / 1979 - Pavimentos. 1976 - reparação instalação eléctrica. 1979 / 1980 - restauro do retábulo altar-mor e consolidação e substituição dos azulejos da capela-mor e da sacristia. 1977 e 1980 - restauro dos altares laterais e remoção dos altares de madeira que ladeavam a capela-mor.

Observações

Autor e Data

Rosário Gordalina 1990

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login