Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Constância

IPA.00002026
Portugal, Santarém, Constância, Constância
 
Igreja da Misericórdia já sem o hospital anexo e a estrutura a revelar algumas transformações, maneirista e barroca. É de planta retangular simples e nave única, com sacristia adossada à fachada lateral esquerda. Fachada principal terminada em empena contracurvada rasgada por um eixo central, constituído por porta de verga recta entre pilastras e encimado por arquitrave e nicho com imagem da Virgem, e um óculo, e dois laterais, compostos por vãos encimados por cornija e superiormente janelas estreitas. deveria ter um outro tipo de remate, não só como revela a sua modinatura tardia, como também pela cercadura interior de azulejo, que acompanhava os elementos estruturais e decorativos terminar ao nível das janelas estreitas; os vãos que ladeiam o portal axial deveriam corresponder também a portais, mais baixos que o principal, já que as vergas são interrompidas, possuem bandeira inferior em pedra e interiormente também não têm revestimento de azulejos. As aletas volutadas ladeando o nicho sobre o portal, num esquema muito semelhante ao existente na Igreja da Misericórdia de Tancos, ainda que o desta seja mais rico ( v. PT031420030003 ), possuem a inscrição parcialmente encoberta pela arquitrave, o que, muito possivelmente, revela também algumas transformações posteriores. Interior revestido a azulejos seiscentistas, de padrão, organizados em dois níveis. Na zona do presbitério, o revestimento não segue o esquema da nave, existindo apenas aqui o padrão superior, o mais rico, de padrão de 4 por 4, e apenas até um terço da altura, surgindo o restante em estuque imitando cantaria, o que certamente também, denota transformações posteriores nesta zona, mas que ainda não conseguimos documentar. O coro-alto era acedido de um lado pelo exterior, e do outro pelo edifício do hospital. Púlpito no lado do Evangelho e retábulo lateral, em talha policroma verde, marmoreada e dourada é neoclássico. Presbitério com retábulo-mor barroco, de estilo barroco nacional. Bandeira maneirista de carácter popular, figurando no anverso a Mater Omnium e no reverso a Pietá.
Número IPA Antigo: PT031408010003
 
Registo visualizado 528 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja de Confraria / Irmandade  Misericórdia

Descrição

Planta longitudinal simples, de nave única, com sacristia rectangular adossada à fachada lateral esquerda. Volumes escalondos com coberturas em telhado de duas águasna igreja e de uma na sacristia. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com cunhais, embasamento e elementos de cantaria em ocre. Fachada principal terminada em empena de cornija contracurvada, encimada por elementos decorativos redondos e fogaréus sobre os cunhais. Portal de verga recta, entre pilastras molduradas, sobre plintos também moldurados, suportando arquitrave coroada por urnas enquadrando nicho, com abóbada em concha e contendo pequena imagem da Virgem sobre peanha; encima-o cruz e ladeia-o aletas volutadas com a inscrição: "ESTA CASA . E DA MISERICÓRDIA", no lado esquerdo, e "... NOSSA . SNORA DA FEE", na direita. No eixo do portal, abre-se óculo circular, e lateralmente duas janelas, com cornija moldurada, e superiormente, entre o nicho e o óculo, duas outras muito estreitas, com caixilharia de guilhotina. Fachadas laterais terminadas em beiral duplo, rasgando-se na direita porta travessa de verga recta e janela simples e na esquerda porta de acesso ao coro-alto; neste lado, eleva-se sobre a cobertura dupla sineira, de arcos plenos, um mais alto do que outro, com sinos. Fachada posterior rasgada por porta, de verga recta, e duas janelas na sala de acesso à tribuna e uma outra no segundo piso da sacristia. INTERIOR com paredes revestidas a azulejos de padrão geométrico, em dois níveis sobrepostos, tendo no inferior, sobre friso, o F-10, o padrão designado P-82 e no superior o P-421, derivado da estrela e cruz, possuindo a cercadura C-71 a meio da nave, enquadrando vãos e outros elementos. Coro-alto em cantaria, sobre colunas toscanas assentes em plintos, possuindo balaustrada também em cantaria. No lado do Evangelho, púlpito semicircular sobre base semiesférica, guarda em balaustrada e acesso por porta de verga recta encimada por cornija. Pela nave dispõem-se seis telas, de remate superior curvo, figurando a Prisão de Cristo, Flagelação, Cristo da Cana Verde, Ecce Homo, Jesus a Caminho do Calvário, Jesus e um anjo. Pavimento constituído por 24 lápides sepulcrais, em cantaria, numeradas, e corredor central em madeira e tecto em masseira, formando amplos caixotões. Presbitério com pavimento em lajes de cantaria, acedido por degraus centrais, com azulejos até um terço da altura e restante em estuque, emitando cantaria aparelhada, tendo no lado do Evangelho retábulo de talha policroma, verde, marmoreada e dourada, de planta rectangular e um nicho, com arco polilobado, entre pilastras que suportam friso decorado com folhas de acanto e frontão de aletas contracurvado, de tímpano decorado por festões; o nicho alberga a imagem do Senhor dos Passos. Retábulo-mor de talha em branco, de planta côncava, e três eixos, divididos por colunas pseudosalomónicas decoradas e pilastras, que se prolongam em arquivoltas no ático unidas no sentido do raio por anjos atlantes e no centro escudo e coroa segura por dois anjos músicos policromados; no eixo central tem tribuna decorada por apainelados de talha e trono de cinco degraus com imagem do Crucificado e nos laterais mísulas protegidos por baldaquino com cortina; Na base da tribuna, acedida por porta central no sotobanco e por porta da sacristia, sacrário decorado por querubins. A Bandeira da Misericórdia possui na face principal a Mater Omnium, de mãos postas, e no reverso a Pietá.

Acessos

Constância, Rua da Misericórdia; Rua D. Maria Balbina Franco

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 95/78, DR, 1.ª série, n.º 210 de 12 setembro 1978

Enquadramento

Urbano. Ergue-se no centro histórico da vila de Constância, na parte baixa, abrindo-se a fachada principal e a lateral direita para a via de circulação estreita, afrontadas por casario de habitação de dois e três pisos, dos séc. 18 e 19, tendo adossado à fachada lateral esquerda alto muro que fecha o quintal que se desenvolve neste lado e há algumas décadas possuia porta e janela abertos para a R. da Misericórdia.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja de confraria / irmandade

Utilização Actual

Religiosa: igreja de confraria / irmandade

Propriedade

Privada: Misericórdia

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1560 - Fundação da Irmandade de Nossa Senhora da Misericórdia em Punhete, como então era designada Constância, pelo Padre Sebastião Pinheiro; a primeira reunião realizou-se na ermida de São Sebastião existente no sítio do Terreiro, à margem do Zêzere, tendo como primeira deliberação arrendar uma casa para funcionar como hospital; 1580, 30 Junho - a Misericórdia compra terreno para construção da igreja e hospital anexo; 1640 / 1650 - época da feitura dos azulejos do interior ( SIMÕES: p. 160 ); 1696 - data da porta de madeira no portal axial; 1758 - segundo o pároco nas Memórias Paroquiais de Constância, a freguesia pertence ao bispado da Guarda e à comarca de Tomar; a vila tem hospital, mas em renda, contudo alguns pobres pernoitam nele por conta da Misericórdia, a qual está unida por uma provisão real ou decreto passado a 3 de outubro de 1585, sendo anteriormente nos baixos da casa da Câmara; tem casa da Misericórdia, em cujo cartório se acha uma escritura de compra do chão onde está situada, e onde se verifica que tivera princípio a 30 de junho de 1580; tem atualmente de renda 220$000; 1811 / 1822, entre - a Misericórdia serviu de Matriz, na sequência dos danos causados nesta igreja pelas tropas francesas; 1912 - a Câmara delibera mandar demolir os Passos da Via Sacra existentes nas ruas da vila, devido a estarem bastante arruinados e ao abandono, transferindo-se posteriormente as telas para a igreja da Misericórdia; 1941 - as cheias do rio Zêzere causaram tantos problemas que a igreja teve de ser fechada ao culto; 1950 - ameaçava ruína; 1960 - demolição do hospital anexo à fachada lateral direita, fechando a porta de ligação que existia no coro-alto; reabertura da igreja ao culto, aquando do 4º centenário da Misericórdia; 1995 - a Misericórdia apresenta projecto de restauro da talha do retábulo-mor à Comissão Europeia DGX "acção cultural" B - 1049 em Bruxelas e outros organismos de restauro em Portugal.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura de alvenaria rebocada, cantaria em embasamentos, cunhais, molduras, cornijas. Revestimento interior em azulejos e trabalhos de estuque. Pavimentos em lajedo de cantaria e corredor central da nave em madeira. Cobertura interior de madeira e no exterior em telha.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; COELHO, António Matias, Histórias do Património do Concelho de Constância, Constância, 1999; COSTA, Maria Clara Pereira da e SEGURADO, Jorge, Da Investigação Histórica sobre a Casa de Camões em Constância, Lisboa, 1977; Monumentos, n.º 9, Lisboa, DGEMN, 1998; SEQUEIRA, Gustavo de Matos Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Santarém, vol. III, Lisboa, 1949; SIMÕES, J. M. dos Santos, Azulejaria em Portugal no século XVII, vol. 1 e 2, lisboa, 1997.

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGPC: DGEMN/DSID; DGARQ/TT: Dicionário Geográfico de Portugal de 1758

Intervenção Realizada

Santa Casa da Misericórdia de Constância: 1901 / 1902 / 1903 - "grandes concertos" na igreja, não se tendo, no entanto, restaurado o retábulo-mor, "para não lhe tirarem o cunho antigo"; 1960 - obras de restauro e conservação; substituição do coro-alto de madeira por um em cantaria; DGEMN: 1989 - reparações diversas no interior e exterior; beneficações diversas; 1991 - diversas reparações interiores e exteriores; 1988 / 1990 - beneficiações diversas; Santa Casa da Misericórdia de Constância: 1998 - restauro das telas com Cenas da Paixão de Cristo; DGEMN: 1998 - restauro da azulejaria.

Observações

Autor e Data

Rosário Gordalina 1991 / Paula Noé 2002

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login