Capela de Nossa Senhora dos Mártires / Igreja Paroquial de Constância / Igreja de São Julião

IPA.00002025
Portugal, Santarém, Constância, Constância
 
Capela maneirista, barroca, rococó e neoclássica. Exemplo de arquitectura de espacialidade maneirista, com elementos barrocos (frontão, recorte da cúpula da torre sineira e decoração interior) e incursões no rococó; posteriores intervenções decorativas pertencentes ao estilo neoclássico. Oossibilidade, apontada por vários autores, de aqui terem trabalhado artistas de Mafra.
Número IPA Antigo: PT031408010002
 
Registo visualizado 637 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planimetria longitudinal de nave única, tendo articulados os volumes da capela-mor quadrangular da sacristia e construções anexas na face lateral esquerda e da torre incorporada no ângulo direito da fachada principal da qual se destaca apenas em altura. Massas dispostas na vertical. Fachada principal de 3 panos tendo o central 2 registos e os laterais três. Pórtico de verga arquitravada ladeado por 2 portas mais baixas de vergas rectas; ao nível superior três janelões rectangulares, gradeadas à face; os panos laterais são rasgados por 3 janelas quadradas sobrepostas; pilastras definidoras dos tramos, embasamento, cunhais munidos de capitéis e cornija em cantaria; frontão de coroamento contracurvado com aletas, encimado ao centro por uma cruz. Na continuação do pano lateral direito, a torre sineira de janelões de volta perfeita enquadrados por pilastras e colunas nos ângulos, coroada por corpo decorado de emblemas, com frontões curvos nas 4 faces; remate em coruchéu com esfera e catavento em ferro; nos ângulos da torre urnas de remate. INTERIOR de 2 registos o inferior rasgado de capelas laterais, mais ou menos profundas, separadas por pilares definindo os 4 tramos; cornija arquitravada com mísulas no prosseguimento dos pilares, rematadas por estátuas de mármore figurando os doutores da igreja. Ao nível superior rasgam-se, no eixo dos arcos de volta perfeita das capelas inferiores, janelões rectangulares com grades à face a meia altura, e molduras relevadas em gesso. Cobertura em esteira de volta perfeita apoiada em cornija de cantaria. Arco triunfal de volta perfeita com arquivolta - frontão e relevos até ao tecto. Capela-mor com abóbada de aresta; óculos de iluminação nos muros laterais revestidos a mármore formando paineis em azul, rosa, branco e negro; retábulo-mor no mesmo estilo, de capitéis jónicos e frontões denteados.

Acessos

Rua de Sant'Ana

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 39 521, DG, 1.ª série, n.º 21 de 30 janeiro 1954 / ZEP, Portaria, DG, 2.ª série, n.º 67, de 20 março 1959

Enquadramento

Urbano. No alto de um outeiro, rodeado por adro de terra batida com algumas árvores e tendo à esquerda o cemitério.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Portalegre - Castelo Branco)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

ORGANEIRO: António Xavier Machado e Cerveira (1827).

Cronologia

1320, 23 maio - bula do Papa João XXII concedendo a D. Dinis, por três anos, para subsídio de guerra contra os mouros, a décima de todas as rendas eclesiásticas do reino, sendo a igreja taxada em 320 libras; integra o termo de Abrantes e o bispado da Guarda; 1574 - a igreja de São Julião de Punhete pertence ao padroado real e integra a Diocese da Guarda; 1636 - fundação da Capela de Nossa Senhora dos Mártires, erguida no local de uma primitiva capela dedicada ao Santíssimo Sacramento; séc. 18 - totalmente reconstruída por ordem de D. João V; 2.ª metade - construção do altar de Nossa Senhora da Boa Viagem pelos marítimos da povoação; 1827 - execução do órgão por António Xavier Machado e Cerveira; séc. 19 - o edifício foi parcialmente mutilado durante as Invasões Francesas; 1822 - a antiga Igreja de São Julião encontra-se em estado de ruína; 1833 - demolição da antiga Igreja Paroquial de São Julião, tendo a paróquia transitado para este templo; 1969 - danificado pelo sismo que originou a desconjunção do púlpito e a desagregação do altar-mor; 2002, 15 dezembro - cerimónia de reactivação do órgão, com a presença do Bispo de Portalegre e Castelo Branco, do organista Antoine Sibertin Blanc e da soprano Maria Ana Fleming; 2010, 20 janeiro - proposta de correcção da designação do objecto classificado; 12 fevereiro - parecer da Divisão Jurídica do IGESPAR, considerando que a classificação não produziu efeitos por inexistência de objecto; 24 dezembro - Despacho de concordância do diretor do IGESPAR, determinando a abertura do processo de classificação e anulando as anteriores classificação e Zona Especial de Proteção.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Estrutura: muros de alvenaria, pilastras, cunhais, cornijas e molduras de cantaria. Coberturas: no interior de madeira na capela-mor de alvenaria ou cantaria. Revestimentos: mármores, estuques no interior, reboco caiado no exterior. Pavimentos: lajedo de cantaria.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, 1982, Lisboa; GODINHO, Eugénio de Campos, Descripção da Villa de Punhete actualmente designada Constância (transcrição de manuscrito de 1830 de José Verissimo de Oliveira, Torres Vedras, 1947; Monumentos, n.º 19, Lisboa, DGEMN, 2003; Órgão de 1827 volta a tocar em Constância, Nota à Imprensa da Câmara Municipal, 25 Novembro 2002; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Santarém, Vol. 3, Lisboa, 1949; SERRÃO, Joaquim Veríssimo - Livro das Igrejas e Capelas do Padroado dos Reis de Portugal - 1574. Paris: Fundação Calouste Gulbenkian Centro Cultural Português, 1971.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN / DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN / DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN / DSID; ANTT: Memórias Paroquiais de 1758

Intervenção Realizada

DGEMN: 1969 - Obras de conservação e reparação dos estragos causados pelo sismo desse ano; restauro e consolidação do altar-mor e do púlpito incluindo reajustamento de peças de cantaria, substituição de alvenarias desconjuntadas procurando-se restituir à posição primitiva a pedra da base do púlpito; 1990 - Beneficiações diversas incluindo substituição da cobertura da sacristia, picagem e execução de rebocos e limpeza de cantarias; 1993 - reparação de coberturas, rebocos das fachadas e pinturas; limpeza de cantarias; 1997 - reparação e pintura de portas exteriores; 2002 - restauro do órgão por Dinarte Machado, através de um protocolo entre a Paróquia, o IPPAR e a Câmara Municipal de Constância; 2003 / 2004 - recuperação de fachadas e coberturas; limpeza do desvão do telhado.

Observações

Autor e Data

Rosário Gordalina 1991

Actualização

Patrícia Soares 2004
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login