Gruta da Nascente do Almonda

IPA.00002012
Portugal, Santarém, Torres Novas, Pedrógão
 
Sítio pré e proto-histórico. Gruta natural tendo servido como habitação temporária e refúgio às populações vizinhas. Têm sido encontrados vestígios arqueológicos, associados a restos faunísticos, cobrindo todas as épocas da Pré-história - Paleolítico, Neolítico, Épocas do Cobre, Bronze e Ferro, e ainda da Época Romana. Algumas presentam paralelos com as urnas de Alpiarça. A Gruta do Almonda é riquíssima em termos geológicos, pela diversidade de formações que conserva; Não deve ter sido usada como local de enterramento, embora tenha sido encontrado um esqueleto completo, em posição vertical invertida, nos entulhos por debaixo da entrada da gruta, junto à nascente do Almonda.
Número IPA Antigo: PT031419090007
 
Registo visualizado 255 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Sítio  Sítio pré e proto-histórico  Gruta      

Descrição

Vasto conjunto de galerias subterrâneas, alongando-se por vários quilómetros em terrenos pertencentes às freguesias da Zibreira e Pedrógão. Duas entradas, a nº 1, junto à nascente do Rio Almonda, a nº 2, próximo da povoação Casal João Dias; as galerias desenvolvem-se em labirinto nas primeiras centenas de metros, alongando-se a seguir segundo 2 eixos: as conhecidas como "Ribeira do Oeste" e as designadas como "Ribeira do Norte". No interior diversas galerias, como a dos Ursos (na qual existem vários sinais de unhadas de urso nas paredes e concavidades onde os animais hibernavam) e a de Maio, e uma cisterna.

Acessos

Zibreira - através da Fábrica de Papel Renova (coordenadas Gauss S 586821); Casal João Dias - por caminho carreteiro que parte da EM Pedrógão / Vale da Serra (coordenadas Gauss S 588828).

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 45/93, DR, 1.ª série-B, n.º 280 de 30 novembro 1993

Enquadramento

Rural, meia encosta. Paisagem natural da Serra d'Aire. Galerias fósseis e em actividade.

Descrição Complementar

Materiais encontrados: instrumentos em sílex, quartzite, anfibolite, xisto (pontas de pedúnculo lateral, à cran, lascas, lâminas, machados votivos); objectos em osso (furador); cerâmica desde o Bronze Mediterrânico I à Idade do Ferro (cossoiros, vasilhas com decoração cardial, impressões digitais e unhadas, com pente de bicos rombos, estampados foliácios, etc., vasilhas de grandes dimensões, espécie de urnas.

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Época Construção

Paleolítico

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

Paleolítico - Época do Ferro - Vestígios de ocupação abrangendo todas as épocas da Pré-História; Época Romana - vestígios de ocupação.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

NOGUEIRA, Melo, VAULTIER, M., ZBYSZEWSKI, Primeiras pesquisas na gruta do Almonda, Brotéria, vol. 32, Lisboa, 1941; PAÇO, A., VAULTIER, M., ZBYSZEWSKI, G., Gruta do nascente do Almonda, Trabalhos de Antropologia e Etnologia, Vol.11, Porto, 1947; ZILHÃO, J., Novas perspectivas para a investigação da Pré-História da região de Torres Novas, Almondinha, nº 2, Torres Novas, 1988.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN / DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN / DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN / DSID

Intervenção Realizada

1937 / 1942 - primeiras explorações a cargo de A. Paço, M. Vaultier, G. Zbyzewski, J. Bensaúde, E. Jalhay, Melo Nogueira; STEA ( Sociedade Torrejana de Espeleologia e Arqueologia): 1991 - 1998 - escavações e limpezas dirigidas por João Zilhão, na entrada 1, por Anthony Marks, na entrada 2. As galerias das Ribeiras têm sido exploradas em mergulho sub-aquático.

Observações

Autor e Data

Isabel Mendonça 1995

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login