Padrão de D. João I

IPA.00001965
Portugal, Santarém, Tomar, União das freguesias de Tomar (São João Baptista) e Santa Maria dos Olivais
 
Padrão comemorativo construído no séc. 16, provavelmente no reinado de D. Manuel I, a assinalar o local onde se encontraram as tropas de Nuno Álvares Pereira e de D. João I, antes de rumarem à Batalha de Aljubarrota, em 1385. Composto por plinto, coluna com escudo português e remate simples. Encontrava-se mais próximo do rio e foi colocado no adro da Capela durante obras levadas a cabo no final de 1943 e início de 1944.
Número IPA Antigo: PT031418110007
 
Registo visualizado 202 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Comemorativo  Monumento comemorativo  Monumento comemorativo  Tipo padrão

Descrição

Estrutura em cantaria de calcário, composta por plinto quadrangular, onde assenta plinto paralelepipédico, com as faces envolvidas por frisos saliente, encimado por toro e pelo padrão propriamente dito. Este é composto por plinto, com elementos salientes nos ângulos, toros e escócia, de onde evolui coluna lisa, com decoração no topo, na face virada a ocidente, sobrepujada por capitel de inspiração compósita cujas volutas e folhas de acanto são dadas aqui pela decoração de anjos com as asas abertas, sobre o qual surge o remate, composto por base escalonada e esfera. Na coluna, surge o escudo de D. Manuel I, com a estrutura de escudo português primitivo e os escudetes em posição vertical, segundo a alteração introduzida por D. João II, envolvido por elmo e paquife.

Acessos

Tomar, Avenida D. Nuno Álvares Pereira, a cerca de 1 Km. de Tomar, na Estrada Nacional 110. WGS84 (graus decimais): lat.: 39,592301; long.: -8,405616

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, 1.ª série, DG n.º 136 de 23 junho 1910 / MN - Monumento Nacional, Decreto 7621, DG n.º 154 de 29 julho 1921 *1

Enquadramento

Periurbano, isolado, implantado na margem direita do Rio Nabão, junta à estrada que liga Tomar a Lisboa, à saída da cidade, no denominado Lugar de São Lourenço. Situa-se num largo, situado entre a Estrada Nacional e o rio, protegido por frades de cantaria, evitando o estacionamento desordenado no local, pontuado por árvores de grande porte. Está implantado em zona plana, entre a antiga Casa do Guarda da Capela e a Capela de São Lourenço (v. IPA.00003405)., em terreno de terra batida. No lado oposto da via, situa-se a Fonte de São Lourenço (v. IPA.00003405).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Comemorativa: monumento comemorativo

Utilização Actual

Comemorativa: monumento comemorativo

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Sec. 16 - erguido provavelmente no reinado de D. Manuel I, em comemoração do encontro, no local, das tropas de D. João I e as de D. Nuno Alvares Pereira quatro dias antes da Batalha de Aljubarrota, dia de São Lourenço (SOUSA, 83); 1848, 16 outubro - a Câmara decide pôr fim ao arrendamento que fizera em 1838 de uma faixa de terreno no local a José Manuel de Sá Pereira, o qual fizera escavações e colocara em perigo o muro e o monumento (ROSA, I, 110); 1850, 06 abril - a Câmara está na posse de todos os materiais para levar a cabo a obra de reparação (ROSA, I, 121); 1937, 06 janeiro - o Padrão está muito arruinado (SIPA: TXT.01827847); 1943, 07 julho - projeto da DGEMN para a recuperação do Padrão, com obras de aterro do terreno e deslocação da estrutura da zona onde se encontrava, mais perto do rio, para o local onde se encontra atualmente, pavimentação do terreno, colocação de frades, plantação de espécies arbóreas, regularização das margens da estrada (SIPA: TXT.01827873 - TXT.01827874); 15 dezembro - deslocação do Padrão para o local onde se encontra por Raúl Marques da Graça, pela quantia de 5000$00, com execução de alicerces de alvenaria construção muro de suporte em alvenaria regularização do terreno circundante (SIPA: TXT.01827884).

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Cantaria de calcário.

Bibliografia

BARBOSA, Ignácio de Vilhena - As Cidades e as Vilas da Monarquia Portuguesa que teem brasão d'Armas. Lisboa: Typographia do Panorama, 1862, vol. III; CANCIO, Francisco - Ribatejo Histórico e Monumental. Lisboa: s.n., 1938-1939, 2 vols; ROSA, Alberto de Sousa Amorim - Anais do Município de Tomar… Tomar: Câmara Municipal, 1940, vol. I; SEQUEIRA, Gustavo de Matos - Inventário Artístico de Portugal, Distrito de Santarém. Lisboa: Academia Nacional de Belas-Artes, 1949, vol. III; SOUSA, João Maria de - Noticia descriptiva e historica da cidade de Thomar. Rio Maior: Litografia Antunes, 1991, 2.ª ed. [1.ª ed. de 1903].

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN:DSARH

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Administrativa

DGPC: PT DGEMN:DSARH-010/264-0187, PT DGEMN:DSARH-010/264-1784/7 [não digitalizado]

Intervenção Realizada

DGEMN: 1941 - reboco e execução de muro de vedação.

Observações

*1 - DOF: Monumentos comemorativos da passagem das tropas portuguesas para a Batalha de Aljubarrota, alargando a classificação do Padrão de D. João I, em 1910, a este edifício.

Autor e Data

Paula Figueiredo 2019

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login