Igreja de Santa Maria de Corvite

IPA.00001959
Portugal, Braga, Guimarães, União das freguesias de Prazins Santo Tirso e Corvite
 
Arquitetura religiosa, quinhentista. Igreja de planta longitudinal de nave única e capela-mor, interiormente com iluminação axial e bilateral e com tectos de madeira. Fachadas em cantaria aparente, a principal terminada em empena e rasgada por porta em arco quebrado. Portal principal arcaizante, de arco quebrado e interior com grande revestimento de frescos.
Número IPA Antigo: PT010308740069
 
Registo visualizado 417 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave única e capela-mor rectangulares. Volumes escalonados com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas. Fachada principal orientada a O., com portal em arco quebrado encimado por janela, sem vidros e com gradeamento de ferro; remate em empena encimada por uma cruz latina. A N. adossa-se à fachada campanário terminado por cornija recta, de um só vão, com um sino, com acesso através de escadaria de granito adossada. O INTERIOR encontra-se sem pavimento, só com terra batida, destacando-se a existência de pedras que serão, julga-se, de origem pré-românica, bem como os frescos patentes em grande parte das paredes. Na nave representam Santa Bárbara e Santa Catarina de Alexandria, no altar mais próximo da entrada, e, ladeando o arco triunfal de volta perfeita, São Sebastião sofrendo o martírio, São Brás, Santo Antão e outros. No lado da Epístola, surge púlpito quadrado com balaustrada de madeira; mesas dos altares laterais, o do lado do Evangelho ainda com pinturas policromas. Tecto da nave em madeira. Na parede testeira da capela-mor fresco representando a Virgem cobrindo os joelhos ladeada por dois anjos, um com uma jarra de flores e o outro soltando uma pomba; Sincreticamente, encontram-se representados os mistérios da Anunciação, da Purificação e da Maternidade.

Acessos

Corvite, Lugar do Assento

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público / ZEP, Portaria n.º 667/2012, DR, 2.ª série, n.º 215 de 07 novembro 2012

Enquadramento

Rural, isolado, com envolvência destoante, rodeada por casas de habitação.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja

Utilização Actual

Devoluto

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Braga)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 16 / 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1220 / 1258 - conhecimento da existência de uma igreja em Corvite, de invocação a Santa Maria; séc. 16 / 17 - edificação do templo actualmente existente; 1988 - descoberta de frescos sob o reboco; 2001, 6 Julho - proposta de abertura; 9 Julho - Despacho de classificação do Vice-Presidente do IPPAR; 2010, 30 Dezembro - procedimento prorrogado pelo Despacho nº 19338/2010, DR, 2ª série, nº 252; 2011, 17 Janeiro - proposta da DRCNorte para classificação como MIP; 23 Fevereiro - parecer favorável da SPAA do Conselho Nacional da Cultura; 17 Novembro - anúncio nº 16976/2011, DR, 2ª série, nº 221, com o projecto de decisão relativo à classificação como MIP e à fixação da respectiva ZEP; 5 Dezembro - procedimento prorrogado até 31 de Dezembro de 2012 pelo Decreto-Lei nº 115/2011, DR, 1ª série, nº 232.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em cantaria aparente; cruzes, pia baptismal e outros elementos em cantaria de granito; porta, guarda de púlpito e tectos de madeira; cobertura de telha.

Bibliografia

CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, As Freguesias do Distrito de Braga nas Memórias Paroquiais de 1758. A construção do imaginário minhoto setecentista, Braga, 2003; GUIMARÃES, Alfredo, A Delegação de São João Baptista, Estudo do Museu Alberto Sampaio, I, Porto, 1942; Guia de Portugal, Entre Douro e Minho, vol. 2, Lisboa, 1965; MOARES, Maria Adelaide Pereira de, Guimarães, Terra de Santa Maria, Guimarães, 1978; SARMENTO, Francisco Martins, Materiais para a Arqueologia do Concelho de Guimarães, in Dispersos, Coimbra, 1933; SOARES, Franquelim Neiva, Ensino e Arte na região de Guimarães através dos Livros de Visitação do Século XVI, in Revista de Guimarães, vol. 43, 1983; TAGILDE, Abade de, Manuscritos existentes na Biblioteca da Sociedade Martins Sarmento, Cadernos I e II; Vimaranis Monumenta Historica, II, Guimarães, 1929; CAETANO, Joaquim Inácio - "A pintura mural do século XVI em Guimarães". Revista Monumentos. Lisboa: Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana, outubro 2013, nº 33, pp. 52-59 (e-book).

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Administrativa

IPPAR, Procº nº DRP-96/3-15(1)

Intervenção Realizada

1930 - remoção do alpendre na fachada O.; Comissão Fabriqueira: 1988 - remoção do reboco do interior e do exterior, pondo-se a descoberto sob o do interior nas paredes da nave, arco triunfal e capela-mor vários frescos; intervenção de emergência do Instituto José de Figueiredo.

Observações

Santa Maria de Corvite tem também a invocação de Nossa Senhora do Ó. Quando, na década de 30, Martins Sarmento visitou a igreja, ela apresentava uma sineira e um alpendrade na frente, firmado em duas colunas toscas, uma das quais, a da direita, era mais curta, por assentar directamente num penedo. Hoje, o alpendre já não existe, mantendo-se contudo a sineira na empena. Encontram-se guardados na Igreja de Corvite e em condições precárias, os altares de talha que foram retirados aquando da remoção do reboco da igreja.

Autor e Data

João Santos 1996

Actualização

Sónia Basto 2012
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login