Pelourinho de Algoso

IPA.00000193
Portugal, Bragança, Vimioso, União das freguesias de Algoso, Campo de Víboras e Uva
 
Arquitectura político-administrativa e judicial, manuelina. Pelourinho de bloco cilíndrico, com soco de quatro degraus quadrangulares, de onde evolui coluna com base simples e fuste hexanogal decorado por elementos vegetalistas, encimado por quatro braços crucíferos. Remate em elemento cilíndrico, ostentando escudo português e coroa aberta numa das faces, encimado por esfera armilar. Pelourinho elaborado, composto por coluna de fuste hexagonal decorado nas faces alternadamente por elementos fitomórficos e elementos antropomórficos no topo. O corpo que ostenta as armas de Portugal parece ser de execução posterior à do restante pelourinho. Assenta sobre base quadrada, de maior altura que a dos degraus, rampeada dos bordos para o centro. Mantém argolas de sujeição no fuste.
Número IPA Antigo: PT010411010001
 
Registo visualizado 207 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição régia  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco de quatro degraus quadrados servindo o último para compensar declive de 10 cm, onde assenta base também quadrada, de maior altura que a dos degraus, rampeada dos bordos para o centro. Sobre esta, eleva-se coluna de fuste hexagonal, formado por três corpos, decorados por flores quadrifoliadas em faces alternadas; o último bloco do fuste ostenta em todas as faces motivos fitomórficos e antropomórficos, dispostos alternadamente. Na parte inferior do fuste, e numa das faces lisas, encontra-se ainda uma argola de sujeição. Encima-o uma cruz grega ostentando rostos humanos entre os braços, sobrepujada por corpo cilíndrico, tendo, numa das faces, as armas de Portugal, encimado por esfera armilar. Na parte inferior do fuste, e numa das faces lisas, encontra-se ainda uma argola de sujeição.

Acessos

Algoso, Rua do Castelo. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,469182, long.: -6,576838

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, isolado, em frente dos antigos Paços de Algoso, sendo rodeado por habitações de um e dois registos.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

FIRMA: Jaime Nogueira & Filhos, Ldª. (2006).

Cronologia

1480 - concessão de foral por D. Afonso V; 1510 - concessão de foral novo por D. Manuel I; provável construção da estrutura; séc. 16, meados - provável concessão da povoação aos bispos de Miranda; 1706 - pertence à Comarca de Miranda e tem 250 vizinhos; pertence ao Bispo de Miranda e tem juiz de fora, que também exerce o cargo de juiz dos órfãos, vereadores, procurador e um escrivão, um dos órfãos, 3 tabeliães e um meirinho; 1758, 2 Maio - segundo o reitor José Teixeira nas Memórias Paroquiais, a freguesia pertencia ao rei, comarca e bispado de Miranda do Douro, tinha 135 vizinhos e 400 pessoas; tinha juiz de fora, de nomeação real, três vereadores, um procurador da Câmara e um alferes da bandeira, nomeado pela Câmara; 1836 - extinção do concelho; 1951 - substituição de degraus sem autorização institucional, originando um desaprumo da estrutura.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

ALVES, Francisco Manuel - Memórias Arqueológico - Históricas do Distrito de Bragança. Bragança, 1990, tomo X; CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério, MATOS, Henrique - As Freguesias do Distrito de Vila Real nas Memórias Paroquiais de 1758. Memórias, História e Património. Braga: 2006; COSTA, António Carvalho da (Padre) - Corografia Portugueza, Lisboa: Valentim da Costa Deslandes, 1706, vol. I; MAGALHÃES, F. Perfeito de - Pelourinhos Portugueses. Lisboa: 1991; MALAFAIA, E.B. de Ataíde - Pelourinhos Portugueses - Tentâmen de inventário geral. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado. Lisboa: 1993; Pelourinhos. Lisboa: 1935; Pelourinhos do Distrito de Bragança. Bragança: 1982; Vimioso. Boletim Municipal. Vimioso: Município de Vimioso, 2004, nº 2, junho 2005; Vimioso. Boletim Municipal. Vimioso: Município de Vimioso, 2007, nº 5, agosto 2007.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMN; IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMN

Intervenção Realizada

CMVimioso: 2004 - requalificação do largo do Pelourinho; 2006, 22 dezembro - apresentação na Câmara Municipal do auto de receção provisória da obra de recuperação do Largo do Pelourinho, adjudicada à firma Jaime Nogueira & Filhos, Ldª; 2007 - obras de recuperação do Pelourinho.

Observações

Autor e Data

Ernesto Jana 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login