Fonte dos Granjinhos / Fonte de São Marcos

IPA.00001906
Portugal, Braga, Braga, União das freguesias de Braga (Maximinos, Sé e Cividade)
 
Arquitectura infraestrutural, renascentista. Fonte de espaldar rectangular, com bica carranca, pedra de armas e cartelas com inscrição gravada.
Número IPA Antigo: PT010303070102
 
Registo visualizado 248 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Hidráulica de elevação, extração e distribuição  Chafariz / Fonte  Chafariz / Fonte  Tipo espaldar

Descrição

Fonte de espaldar rectangular, em cantaria, definido na parte superior por entablamento, com friso decorado por métopas e pontas de diamante, assente sobre quatro mísulas que enquadram o brasão do seu fundador, ladeado por duas cartelas com inscrições gravadas. Remata o conjunto uma cornija moldurada sobrepujada por pináculos a ladear cruz dupla sobre calvário *1. Possui no terço inferior, ao centro, bica carranca, enquadrada por decoração com enrolados, cuja boca alberga tubo em ferro, de onde, antigamente, jorrava a água. Nas inscrições, muito desgastadas, particularmente a da cartela da direita lê-se: "DIDACVS DE SÕ / SA ARCHIEPS. BRAC. / FONTEM INST... / AVIT ET VIAM / APERVIT / 1509 e ... V ... CII / ... X ... SIS / BI ...CIS ... S / NSI ... TVS / PLIATVS ... VIT / 1623". A pedra de armas, do Arcebispo D. Diogo de Sousa, é composta por escudo esquartelado, tendo no I e IV cinco escudetes postos em cruz, sem os besantes, e no II e III uma caderna de crescentes sem a bordadura com os castelos e sem o filete em contrabanda, no I e IV. Atrás do escudo, posta em pala, cruz dupla.

Acessos

Rua de São Sebastião. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,547535, long.: -8,428788

Protecção

Enquadramento

Urbano, adossado ao muro que bordeja a rua e que serve de paredão de suporte à plataforma onde se eleva a Capela de São Sebastião das Carvalheiras (v. PT010303070069). Na proximidade alminha com nicho pintado com moldura decorada com a representação de São Sebastião, São Lourenço e a Virgem.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Hidráulica: chafariz

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1509 - Construção por ordem do Arcebispo de Braga, D. Diogo de Sousa (1505 - 1532); 1623 - provável restauração da fonte, no tempo do Arcebispo D. Afonso Furtado de Mendonça (1619 - 1627) (BELLINO 1895); séc. 20, anos 60 - transladada do sítio original, no cimo da R. dos Granjinhos, para o local que ocupa actualmente.

Dados Técnicos

Estrutura autoportante de cantaria com aparelho pseudo-isódomo.

Materiais

Estrutura de granito; bica tubular em ferro.

Bibliografia

BELLINO, Albano, Inscripções e lettreiros da cidade de Braga e algumas freguesias rurais, Porto, 1895, p. 101; FERREIRA, Monsenhor J. Augusto, Fastos Episcopaes da Igreja Primacial de Braga (séc. III - séc. XX), tomo II, Braga, 1931, p. 504 - 505; NÓBREGA, Vaz Osório da, Pedras de Armas e Armas Tumulares do distrito de Braga, vol. 1, tomo I, Braga, 1971, p. 719 - 721; OLIVEIRA, Eduardo Pires de, MOURA, Eduardo Souto, MESQUITA, João, Braga Evolução da Estrutura Urbana, Braga, 1982, p. 25, Fig. 21; OLIVEIRA, Eduardo Pires de, A paróquia de São José de São Lázaro (1747 - 1997), Braga, 1997, pp. 233 - 234; COSTA, Luis, Braga Roteiro Histórico e Monumental Extra-Muros, Braga, 1998, p. 15.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Câmara Municipal: séc. 20, finais dos anos 60 - Transladação do seu local original, da R. dos Granjinhos, para o sítio que ocupa actualmente, junto da capela de São Sebastião das Carvalheiras.

Observações

*1 - No Memorial das obras que mandou fazer o Arcebispo de Braga Dom Diogo de Sousa, escrito entre 1531 e 1565, refere-se que esta fonte tinha ameias: "Fez a fonte de S. Marcos de novo, com seu chafariz, peitoril e ameias, da forma que ora está, no meio do dito caminho, a qual dantes era um charco, sem nenhuma serventia para o caminho de Guimarães, salvo da parte de cima por um caminho muito estreito por onde não passava besta nenhuma" (FERREIRA 1931).

Autor e Data

João Santos / António Dinis 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login