Santuário do Senhor Jesus da Piedade / Igreja do Senhor Jesus da Piedade

IPA.00001863
Portugal, Portalegre, Elvas, Assunção, Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso
 
Santuário barroco no qual se conjugam harmonicamente as feições populista e classicizante. Semelhanças com a Igreja da Conceição da Baía, no Brasil e com a Igreja de Nossa Senhora da Assunção de Messejana (IPA.00000296) para a qual terá servido de modelo. Na fachada principal as torres diagonais formam com o corpo central uma linha em contracurva, solução esta rara em Portugal embora comum na Europa germânica e no Brasil. O Barroco está claramente presente nas cúpulas bolbosas das torres e no frontão de remate do corpo central da fachada principal, conjugando-se com o depuramento dos restantes alçados, mais próximos da arquitetura de tradição nacional. No interior destacam-se o transepto octogonal, os mármores polícromos, as telas dos altares laterais da autoria de Cyrillo Wolkmar Machado e a sacristia com portas com almofadas entalhadas e douradas e revestimento azulejar setecentista.
Número IPA Antigo: PT041207030025
 
Registo visualizado 567 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Santuário  

Descrição

Planta longitudinal, simples, de nave única, volumes articulados das torres sineiras, massas dispostas na vertical. Fachada principal de dois registos e pano único flanqueado pelos corpos poligonais das torres dispostos em harmónio e de dois panos cada, definidos por pilastras de cantaria munidas de base e capitel simples embebidos respectivamente no embasamento e na cornija que delimita o registo inferior; as torres são rasgadas inferiormente por óculo e mais acima, nos panos extremos, por janela pequena quadrada; ao nível superior janelões sineiros de volta perfeita flanqueados de pilastras nos ângulos, embasamento em panéis e cornija moldurada coroada, no eixo das pilastras, por urnas sobre bases quadradas; cobertura em cúpula bolbosa coroada de coruchéus oitavados rematados por catavento e cruz. Corpo central definido por pilastras idênticas às das torres mas em ângulo; portal arquitravado, sobre pilastras relevadas, munido de frontão curvo; sobre este janelão rectangular com ombreiras e peitoril decorados de aletas e verga sobreposta de florão moldurado alusivo ao orago; empena em frontão curvo contracurvado e com aletas (semelhantes ao janelão anterior), rematada por corpo piramidal de aletas invertidas, com pilares e urnas nos extremos e coroado por cruz. Interior: nave rectangular, antecedida por vestíbulo, revestida de mármores polícromos; transepto com cobertura em abóbada cupulada e capela-mor rectangular disposta na transversal.

Acessos

Avenida da Piedade; Parque da Piedade

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público, Portaria n.º 615/2014, DR, 2.ª série, n.º 142 de 25 julho 2014 / Em vias de classificação (santuário)

Enquadramento

Urbano. Abrindo para o adro com acesso por escadaria murada de três lanços, no amplo Parque da Piedade (v. PT041207030025). A O. a Fonte da Piedade (v. PT041207030089) e nos arredores a Quinta das Águias (v. PT041207030044), da Quinta do Morgadinho e da Quinta do Bispo (v. PT041207030055).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: santuário

Utilização Actual

Religiosa: santuário

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Évora)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1737 - na propriedade de Luís Manuel Marquês foi edificada a primitiva Ermida do Senhor Jesus da Piedade, local anteriormente chamado dos Passarinhos, e do Pendão e também Vale de Caramelo; 1753 - edificação da igreja substituindo a ermida anterior jdemasiado exígua para acolher a romaria, uma das mais concorridas da região; Séc. 18 - execução do órgão positivo de armário; 1888, 1 Junho - construção de um novo coreto; 1890, 2 Fevereiro - no Correio Elvense uma notícia regista que se podem considerar completas as alterações mandadas fazer pela Confraria, tais como ajardinamento e transformação da mata e colina defronte da escadaria municipal; 1989, 17 agosto - proposta de classificação pelo IPPC; 1990, 19 outubro - proposta da DRÉvora de classificação como Imóvel de Interesse Público; 1990, 04 julho - Despacho de de classificação como IIP - Imóvel de Interesse Público, pelo Secretário de Estado da Cultura; 1991, 14 março - parecer favorável do Conselho Consultivo do IPPC; 2008, 04 agosto - proposta da DRCAlentejo de fixação da Zona Especial de Proteção; 2009, 03 março - parecer favorável do Conselho Consultivo do IGESPAR; 2013, 15 fevereiro - publicação do projeto de decisão de fixação da Zona Especial de Proteção do edifício, em Anúncio n.º 67/2013, DR, 2.ª série, n.º 33; 2016, 19 julho - proposta da DRC do Alentejo para alargamento da classificação ao santuário, abrangendo a igreja, a escadaria, o Jardim da Fonte da Fé e o recinto delimitado pelo antigo muro do santuário, mas não incluindo o coreto, o lago e edificações anexas, podendo estes ser classificados pela autarquia, e redenominação para Santuário do Senhor Jesus da Piedade; 2017, 19 abril - despacho da diretora-geral da DGPC a determinar a abertura do procedimento de alargamento e redenominação da classificação; 18 agosto - publicação da abertura do procedimento de ampliação da classificação da Igreja do Senhor Jesus da Piedade, e redenominação para Santuário do Senhor Jesus da Piedade, em Anúncio n.º 145/2017, DR, 2.ª série, n.º 159/2017; 24 novembro - proposta da DRC do Alentejo para o alargamento e redenominação da classificação como Monumento de Interesse Público; 2018, 21 março - parecer favorável da SPAA do Conselho Nacional de Cultura; 16 maio - despacho de concordância da diretora-geral da DGPC; 2018, 12 outubro - publicação do projeto de decisão relativo à ampliação da classificação como Monumento de Interesse Público da Igreja do Senhor Jesus da Piedade, e à redenominação para Santuário de Senhor Jesus da Piedade, em Anúncio n.º 174/2018, DR, 2.ª série, n.º 197/2018.

Dados Técnicos

Materiais

Alvenaria rebocada no paramento dos muros exteriores, cantaria em frisos, cornijas e molduras de vãos; cantaria aparelhada nas pilastras e embasamento.

Bibliografia

ALMADA, Vitorino de, Elementos para um Dicionário de Geographia e História Portuguesa Concelho de Elvas, Elvas, 1890; KEIL, Luís, Inventário Artístico de Portugal. Distrito de Portalegre, vol. I, Lisboa, 1940; GAMA, Eurico, O Senhor Jesus da Piedade de Elvas, Elvas, 1965; MARQUES, Gent, A Lenda do Senhor da Piedade de Elvas in Diário de Notícias, 17 Junho, 1976; VALENÇA, Manuel, A Arte Organística em Portugal, vol. II, Braga, 1990.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; UE

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Rosário Gordalina 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login