Igreja Paroquial de São Pedro / Igreja de São Pedro

IPA.00001858
Portugal, Portalegre, Elvas, Caia, São Pedro e Alcáçova
 
Arquitectura religiosa, gótica, maneirista, barroca, rococó. Igreja paroquial com portal principal ogival, com colunelos com capitéis decorados com folhas de hera, gótico. Arcos que separam as naves do templo apontados, góticos. Portal lateral de linhas rectas, simples, púlpito com grade de ferro forjado, assente sobre coluna de fuste liso, capela baptismal com pia lisa, cúpula com figuras, rótulos e laçarias, de final de quinhentos, início de seicentos, clássicos, maneiristas. Fachada principal com frontão curvilíneo, torre sineira rematada com coruchéu, altares laterais com contracurvados, frontões curvilíneos, elementos vegetalistas e estuques a imitar mármores, pinturas da capela-mor, imaginária e painel de azulejos da capela baptismal *1, setecentistas, barroco e rocaille (capela da Epístola, junto ao cruzeiro). Foi igreja cabeça de uma comenda da Ordem de Cristo. A nivel epigráfico destaque para a inscrição nº 1a por ter sido gravada em letra cursiva gótica, pouco usual na epigrafia portuguesa, e letra caligráfica capital quadrada deixando transparecer a cultura escrita do seu autor: homem erudito e conhecedor dos dois alfabetos, o gótico cursivo, que usaria quotidianamente e o caligráfico humanístico para escritos mais solenes. Este pormenor demonstra a importância desta inscrição para a História da Escrita Portuguesa. O facto da tampa de sepultura onde foi gravada esta inscrição ter sido reaproveitada para se gravar uma outra, quem sabe relativa a um parente do fidalgo ali primeiramente sepultado, é também aspecto curioso que convém realçar.
Número IPA Antigo: PT041207050002
 
Registo visualizado 827 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta de três naves, cruzeiro, capela-mor, sacristia, torre sineira antiga e actual e instalação sanitária. Massa simples, disposta na horizontal. Cobertura exterior em telhado de duas águas sobre as naves, zimbório com lanternim sobre a capela-mor, coruchéu sobre a torre sineira e telhado de uma água sobre a sacristia e instalação sanitária. Fachada principal a SO., de pano único, limitada por cunhais em granito, dentados, escadaria em mármore a anteceder um portal também em granito, em forma de arco ogival assente sobre três pilastras com dois meio colunelos adossados de cada lado, com capitéis decorados com folhas de hera, assentes sobre silharia aparelhada, ombreiras decoradas imitando um outro colunelo; sobre o portal um janelão rectangular com moldura rectilínea, em granito e do lado esquerdo, terminando na cornija do arco, uma fiada de pedras aparelhadas idênticas às dos cunhais; remate com frontão contracurvado, com cornija saliente, pintada a amarelo, e, nos acrotérios, uma cruz com duas datas inscritas; é ladeada por fogaréus. Fachada lateral direita a SE. adossada a edifícios da malha urbana. Fachada lateral esquerda a NO: com dois panos, o primeiro rasgado por um portal rectilíneo, em mármore e com um corpo saliente que corresponde a um nicho interior; o segundo pano, mais baixo e recuado, tem um aporta com moldura recta em mármore, antecedida por três degraus; ambos os panos rematam em beirado recto. Fachada posterior a NE., adossada a edifícios da malha urbana. Vê-se surgir por trás dos edifícios adossados à igreja, a E. a torre sineira, por ser mais alta que o mesmos, com dois registos, o inferior rasgado por uma pequena fresta a SE. e o superior rasgado por dois olhais a SE. e a NO. e por um olhal a NE. e a SO.; remate com cornija saliente pintada amarelo, sobreposta por coruchéu. INTERIOR: três naves separadas por quatro arcos formando quatro tramos; os arcos dos extremos, de volta perfeita, são mais baixos, em alvenaria, sendo o arco do primeiro tramo, do lado do Evangelho, cego; os restantes arcos, mais elevados, são ligeiramente apontados, têm o intradorso em pedra emparelhada e assentam sobre colunas oitavadas. Púlpito de planta circular, assente sobre coluna de fuste liso, com grade em ferro forjado, colocado junto à segunda coluna do lado do Evangelho a contar da capela-mor. Parede fundeira rasgada por porta em madeira com moldura em pedra emparelhada encimada por janelão rectangular com grade em ferro; a parte da parede que cerca a porta tem o aparelho, irregular, à mostra ao contrário do resto da parede que é de alvenaria branca; guarda-vento em madeira. Parede da Epístola com uma pia de água benta lisa, uma porta com moldura pétrea recta, de acesso a uma arrecadação e ao trono da capela que se segue, de planta rectangular, antecedida por três degraus, com um arco de volta abatida, em mármore, retábulo também em mármore, em tons de cinzento e branco rosado, decorado com elementos vegetalistas, aletas e enrolamentos, com camarim profundo ao centro com uma Pietá em madeira dourada e policromada sobre um trono, rematado por frontão curvilíneo assente sobre mísulas, com o cordeiro místico em medalhão central, cobertura em abóbada de berço, pavimento em mármore enxaquetado; a seguir outra capela, de planta rectangular, exuberantemente decorada com estuques pintados em tons de azul, vermelho, amarelo e branco, a imitar mármores, com motivos vegetalistas, concheados e querubins; retábulo com duas colunas coríntias com o fuste em mármore cinzento escuro; imagem do Sagrado Coração de Jesus num nicho central, remate com frontão interrompido com medalhão central; altar também decorado com estuques; em dois nichos rasgados nas paredes laterais da capela, as imagens de "Santa Teresa de Ávila" e "Santo António", sobre um plinto. Do lado do Evangelho, a ocupar o primeiro tramo um baptistério de planta rectangular, fechado por grade de ferro forjado, com pia lisa, coberto por uma abóbada de berço e encimado por um registo em azulejos azuis e brancos representando o Baptismo de Cristo. Por trás da capela baptismal a antiga torre sineira, cujo acesso é feito por uma porta existente na parede que fecha o primeiro tramo. Parede rasgada por uma porta para o exterior, de verga recta, com vão fundo, precedida de dois degraus em mármore, o segundo maior, com o cobertor enxaquetado; uma capela com um arco de volta perfeita assente sobre pilastras de secção rectangular, com capitéis decorados com elementos vegetalistas, toda em estuque pintado a imitar mármores em tons de cinza, rosa, amarelo, azul e vermelho, com um retábulo com três nichos, o central maior, com uma imagem de "Nossa Senhora da Paz" e os laterais com imagens de "Santa Ana a ensinar a Virgem Menina a ler", à esquerda, e "São Gabriel pesando as almas", no pavimento, defronte do altar, duas tampas de sepultura epigrafadas muito gastas, sendo uma armoriada; do lado oposto, altar também pintado a imitar mármores com uma cruz ao centro numa moldura, no chão uma campa rasa. A seguir uma porta, pequena, com moldura recta em granito, que dá acesso a um corredor que conduz, através de escadas à direita, à torre sineira e indo em frente ao exterior; um nicho levado, com moldura pintada a amarelo decorada com elementos vegetalistas em estuque branco, com uma imagem do "Senhor dos Passos" sob a qual se encontra um confessionário em madeira. Cobertura das naves em madeira apainelada, a da nave central em mansarda e as das naves laterais de uma água; pavimento em tijoleira nas naves, granito nos degraus e mármore nas capelas laterais e baptistério. Arco triunfal de volta perfeita, em granito aparelhado, assente sobre duas pilastras de secção rectangular adossadas à parede. O cruzeiro, onde se encontra o altar-mor, tem uma porta de acesso à sacristia no lado da Epístola, com moldura recta em granito, e outra de acesso a uma instalação sanitária na parede oposta; cobertura com uma cúpula oitavada, em alvenaria, com o fundo cor de tijolo, decorada com figuras, rótulos e laçarias em cada gomo, rematada por lanternim; pavimento em tijoleira. Arco de volta perfeita em alvenaria branca e três degraus separam o cruzeiro da capela-mor. Capela-mor de planta rectangular, retábulo-mor em alvenaria pintado de branco, com duas colunas coríntias assentes sobre mísulas colocadas na parede, por cima das portas de acesso à parte de trás do retábulo, camarim profundo com trono Eucarístico, quando tapado antecedido de uma imagem de Cristo Crucificado, remate em frontão contracurvado, altar também em alvenaria branca, com medalhão central com cruz; cobertura da capela-mor em abóbada de berço assente sobre sanca, pavimento em tijoleira. Sacristia antecedida por corredor longitudinal que serve de escritório, com uma pia de água benta na parede do lado esquerdo, uma janela rasgada na parede oposta e uma imagem de São Pedro sobre um armário moderno. A separar o corredor da sacristia um arco em alvenaria de volta abatida, assente sobre pilastras adossadas à parede. Sacristia de planta rectangular, com um arcaz em madeira castanha, com espaldar em frente e lavabo de uma pena, em mármore, rematado por um frontão partido no vértice, ladeado por aletas do lado esquerdo.

Acessos

Rua de São Pedro. WGS84 (graus decimais) lat.: 38,882140; long.: -7,160671

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG, 1.ª série, n.º 136 de 23 junho 1910 / ZEP, Portaria, DG, 2.ª série, n.º 42 de 19 fevereiro 1960

Enquadramento

Urbano, meia-encosta, adossado a edifícios da malha urbana a SE. e a NE., abre para R. calcetada a SO. e a NO.

Descrição Complementar

INSCRIÇÕES: EXTERIOR: 1. Inscrição comemorativa da construção e reconstrução da igreja gravada num silhar que serve de base à cruz que remata o frontão. O campo epigráfico é divido ao meio por uma linha bem demarcada ajudando a distinguir as duas datas que se pretendem perpetuar. Mármore. Dimensões: a altura a que se encontra a epígrafe não permite efectuar medidas.Tipo de letra: capital quadrada e numeração árabe. Leitura modernizada: ERGUIDA 1227. RECONSTITUÍDA 1877. INTERIOR: 1a. Inscrição funerária gravada, no sentido dos ponteiros do relógio, num campo epigráfico relevado aberto na orla de uma tampa de sepultura; no centro da tampa, em relevo, um brasão. Sob este foi posteriormente gravada uma outra inscrição. O estado de erosão dificulta a leitura e a interpretação do brasão. Mármore. Descrição Heráldica: escudo de ponta com um coelho grafitado: (?). Dimensões: totais: 185x85; campo epigráfico: 1º e 3º: 84x 10,5; 2º e 4º: 174,5x10,5; escudo: 80. Tipo de letra: letra cursiva do século 16, mistura de gótica cursiva com capital quadrada. Leitura reconstituida e modernizada: Sepultura de pedro(pêro) de yr(?) fidalgo del rei [...] rda roupe[..] do príncipe dom Afonso que deus tem. 1b. Inscrição funerária gravada numa tampa de sepultura, onde existia uma outra inscrição, ao centro sob um brasão. O texto epigráfico é composto por quatro linhas praticamente ilegíveis devido ao estado de conservação em que se encontra a tampa, que demonstra ter sido muito pisada. Mármore. Leitura reconstituída e modernizada: SEPULTURA DE R[...] [...]O C[...]. 2. Inscrição funerária gravada numa tampa de sepultura. O texto encontra-se muito gasto. Mármore. Dimensões: 195x74,5.Tipo de letra: capital quadrada. Leitura reconstituída e modernizada: SEPULTURA DE FERNANDO ÁLVARES E SUA MULHER ANA(?) LOPES [...] E DE SEUS HERDEIROS(?).

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

DRCAlentejo, Portaria n.º 829/2009, DR, 2.ª série, n.º 163 de 24 agosto 2009

Época Construção

Séc. 13 / 15 / 17 / 18 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

PINTORES DE AZULEJO: António Antunes (1696); Nicolau de Frias (séc. 18).

Cronologia

1227 - construção do imóvel; séc. 15 - reconstrução; séc. 16 - 17 - remodelação; 1696 - encomenda de 2087 azulejos para a igreja a António Antunes de Lisboa, desaparecidos; séc. 18, 2ª metade - restauro e remodelação; feitura de azulejos para o batistério, atribuíveis a Nicolau de Frias; 1877 - restauro; 1960 - 1963 - obras de conservação e restauro; 1969, 28 Fevereiro - estragos causados pelo sismo; 1992, 01 junho - o imóvel é afeto ao Instituto Português do Património Arquitetónico, pelo Decreto-lei 106F/92, DR, 1.ª série A, n.º 126.

Dados Técnicos

Estrutura mista

Materiais

Alvenaria rebocada; granito nos arcos, molduras de vãos, cunhais; mármore num retábulo e nalgumas molduras de vãos; cobertura exterior de telha e interior em madeira apainelada; pavimento tijoleira

Bibliografia

KEIL, Luís - Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Portalegre. Lisboa: 1943, vol. I; MECO, José - O Colégio jesuíta em Santiago, em Elvas. Monumentos. Lisboa: Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana, setembro 2008, n.º 28, pp. 128-137; MONTEIRO, Ângelo - Portalegre a cidade e a serra. Portalegre: 1982; RODRIGUES, Jorge e PEREIRA, Mário - Elvas. Lisboa: 1996; VALLA, Margarida - A praça-forte de Elvas: a cidade e o território. Monumentos. Lisboa: Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana, Dezembro 2008, n.º 28, pp. 34-43.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, SIPA

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

DGEMN: 1959 - trabalhos de sondagem, retirou-se o revestimento dos pilares de granito, demolição dos tectos de fasquiado e abóbadas das naves além dos respectivos telhados, demolição de uma verga do pórtico e do coro-alto, remoção do guarda-vento e balaustrada do coro-alto; 1960 - 1963 - obras de conservação, construção dos tectos de madeira, telhados e lintéis de betão armado, nos primeiros tramos da nave; remoção do tímpano do portal principal; rebaixamento do pavimento e ajuste dos altares laterais uma vez que o pavimento primitivo estava numa cota mais baixa, construção do pavimento nas três naves da igreja usando lagedo de granito entre os pilares que dividem as naves e tijoleira nos restantes pavimentos, execução do reboco nas paredes interiores, restauro da zona da fachada lateral direita junto à fachada principal, levantamento de um degrau de cantaria existente a meio da nave central e recolocação junto ao arco triunfal, levantamento e remoção para depósito da teia e pavimento de mármore da capela-lateral do Evangelho, demolição de alvenarias para construção de escada de acesso ao antigo campanário, assentamento de cantarias em degraus, vergas e ombreiras nas naves, capela-mor, altares e confessionário, construção de uma parede de alvenaria de tijolo junto à capela baptismal de forma a ser construída a escada de acesso à antiga sineira, construção de betão armado na escada de acesso á antiga sineira, assentamento de portas de casquinha na capela-mor, confessionário, altares laterais e acesso à antiga sineira, assentamento de portas de madeira exótica nas fachadas principal e lateral, assentamento de um rótulo no confessionário, reparação de altares compreendendo retoques e pintura, assentamento de uma escada de madeira exótica para acesso ao púlpito, restauro do portado da entrada principal, construção de uma porta para substituir outra em ruína, no vão de acesso à torre e sacristia, reconstrução do telhado do acesso ao trono de um altar da Epístola; 1969 - reparação de estragos causados pelo sismo; 1975 - demolição dos telhados dos anexos, em ruína, construção de novos telhados, reparação e fixação de tábuas dos tectos de madeira das naves da igreja, reparação de um afenda existente na parede da nave lateral direita; 1979 - obras de conservação num terraço; 1985 - obras de conservação, execução de uma instalação sanitária; 1986 - reparação da instalação eléctrica.

Observações

*1 - Segundo Thomaz Pires a igreja tinha muitos e ricos azulejos nos finais do séc. 17 ( PEREIRA, 1996 ).

Autor e Data

Helena Mantas e Marta Gama 2001 / Filipa Avellar 2007 / Rosario Gordaliina 2008

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login