Capela do Arcanjo São Gabriel / Miradouro de São Gabriel

IPA.00018540
Portugal, Guarda, Vila Nova de Foz Côa, Castelo Melhor
 
Arquitectura religiosa, vernácula. Capela novecentista de planta longitudinal, com nave e capela-mor mais estreita, com tecto plano homogéneo no interior, iluminada por fresta rasgada na fachada lateral esquerda, no corpo da capela-mor e pelas janelas da fachada principal. Esta remata em empena truncada por sineira de volta perfeita e remate angular, rasgada por portal em arco de volta perfeita, ladeado por duas frestas rectangulares. Fachadas rematadas em beiral e flanqueadas por cunhais em ressalto. Interior com simples mesa de altar.
Número IPA Antigo: PT010914020125
 
Registo visualizado 1824 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave e capela-mor mais estreita e pouco profundo, de massas simples e disposição horizontalista, com cobertura homogénea em telhado de duas águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, percorridas por faixa pintada de cinzento escuro, as laterais rematadas em beiral. A fachada principal, voltada a O., encontra-se delimitada por cunhais lisos e remata em cornija, formando empena truncada por sineira em arco de volta perfeita e remate em empena angular com cornija; é rasgada por portal em arco de volta perfeita com moldura simples saliente e pedra de fecho também saliente; é ladeado por duas frestas rectangulares igualmente emolduradas de forma semelhante e protegidas por janelas de alumínio com ranhuras para as esmolas e protegidas por gradeamento pintado de preto e com cruz latina no centro, sublinhada a castanho. A fachada lateral esquerda, voltada a N., é rasgada por pequena fresta rectilínea e moldura saliente, no corpo da capela-mor. A fachada lateral direita, virada a S., é cega, sendo a posterior em empena com cruz latina no vértice, sobre o remate, em pequeno friso saliente. INTERIOR com paredes rebocadas e pintadas de branco, cobertura plana de madeira e pavimento em ladrilho industrial, com rodapé na zona da nave. A capela-mor está elevada por quatro degraus, surgindo, sobre o terceiro, a mesa de altar em granito e assente em dois pilares. Na parede testeira, painel de azulejo figurativo, a representar uma "Anunciação", monocromo, azul sobre fundo branco, e envolvido por orla policroma com motivos de concheados, na qual se lê a data "1951" e o nome da doadora: "Maria Vitória Albuquerque Soares". O painel é ladeado, do lado do Evangelho, por mísula de granito para receber a imagem do orago.

Acessos

Monte de São Gabriel, com placas de sinalização a partir da EN 222

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, isolado, localizada fora da freguesia mas situada à vista dela, no topo do Monte de São Gabriel, a cerca de 550 m de altitude, em zona de interesse paisagístico, de onde se descobrem extensos horizontes que abrangem terras de vários distritos portugueses e até espanhóis. Mais perto, numa elevação orientada a NO., localiza-se a Capela de Santa Bárbara (v. PT010914020127). Eleva-se sobre uma plataforma horizontalizada artificialmente, de planta rectangular e estrutura em xisto, delimitada por gradeamento, com acesso em rampa lançada à frente da fachada principal. A plataforma encontra-se pavimentada com seixos e com passadeira de granito ao centro e em redor da capela. A rampa é antecedida por um nicho recto de granito assente num afloramento rochoso. O nicho, enquadrado por pilastras e rematado por cruz, contém no interior painel de azulejo policromo com a imagem de Nossa Senhora do Carmo. Na envolvente próxima encontra-se ainda uma cruz latina de granito sobre uma rocha e, em zona mais baixa, uma área com equipamento de xisto de apoio a merendas.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela *1

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese da Guarda)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1758 - surge referenciada no Dicionário Geográfico, como estando fora da freguesia mas situada à vista dela num cabeço, a partir do qual se descobrem terras de sete bispados (Lamego, Porto, Braga, Miranda, Guarda, Viseu e Castelo Rodrigo); tinha uma romagem muito frequentada, estando naquela data de todo desvanecida; séc. 20, década de 40 - desmontagem da antiga capela *2, rebaixamento do monte, construção da plataforma de xisto e da actual capela; 1951- colocação de painel de azulejo com a representação da Anunciação, oferecido por Maria Vitória Albuquerque Soares: séc. 20, final - furto da antiga imagem do orago e feitura de uma nova, arrecadada na Igreja Matriz.

Dados Técnicos

Estrutura autoportante.

Materiais

Estrututa em cantaria de granito, rebocada e pintada; mísula e mesa de altar em cantaria de granito; porta e tecto de madeira; janelas de alumínio; painel de azulejo figurativo no interior; grades das frestas da fachada principal em ferro; pavimento em ladrilho industrial; coberturas exteriores em telha de aba e canudo.

Bibliografia

COIXÃO, António do Nascimento Sá, TRABULO, António Alberto Rodrigues, Por Terras do Concelho de Foz Côa, Subsídios para a sua História, Estudo e Inventário do seu Património, Vila Nova de Foz Côa, 1999.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGAN/ TT: Dicionário Geográfico de Portugal (vol. 10, m. 216, fl. 1409)

Intervenção Realizada

2003, Agosto - renovação dos rebocos e pintura das fachadas exteriores e das paredes interiores, arranjo da cobertura interior, aplicação do pavimento de ladrilho, execução de nova cobertura exterior.

Observações

*1 - a procissão sai da Igreja Matriz de Castelo Melhor e tem paragem obrigatória num cruzeiro situado dentro da povoação, dedicado ao Anjo São Gabriel, e depois novamente na cruz sobre rocha, já próxima à capela. *2 - segundo informação dada pelo mordomo da Igreja Matriz de Castelo Mellhor, a antiga capela era de espaço único, e cerca de três vezes mais alta que a actual e também mais estreita; o monte foi rebaixado para se poder construir a actual, mais larga.

Autor e Data

Cristina Simões 2004

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login