Pousada de Santa Luzia

IPA.00001845
Portugal, Portalegre, Elvas, Assunção, Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso
 
Arquitectura turística, modernista e tradicional. Edifício com elementos modernistas (partes fundacionais: entrada com cobertura em coruchéu piramidal revestido a azulejo, arcadas, caixa de escadas saliente, arredondada e com ampla fenestração), e com elementos de inspiração tradicional (varanda da frontaria com vazamentos triangulares e janelas com portadas de madeira e floreiras). Construção segundo princípios de "conforto rústico, bom-gosto fácil no arranjo das coisas e também no paladar, simplicidade amável, eis as grandes linhas do programa das nossas Pousadas" (FERRO, 1949). Ampliações e remodelações consecutivas em harmonia estética com o existente. Primeira Pousada construída, a par da de São Brás de Alportel (v. PT050812010001), pela DGEMN durante o Estado Novo, integrada no programa das Comemorações Centenárias. Estabelecimento de hotelaria inserido na rede Pousadas de Portugal, integrando o grupo das Pousadas de Charme.
Número IPA Antigo: PT041207030048
 
Registo visualizado 631 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Comercial e turístico  Unidade hoteleira  Pousada  

Descrição

Planta composta por edifícios articulados e isolados com disposição horizontal em terreno plano e vedado; cobertura diferenciada em telhado. Múltiplas fachadas, estando a frontaria da primitiva Pousada virada a N., antecedida de jardim e parque de estacionamento; fiada de janelas no primeiro e no segundo piso com varanda/terraço no piso superior; entrada sob alpendre com coruchéu piramidal revestido com azulejos. Nas fachadas E. e S. destacam-se, no piso térreo, as arcadas envidraçadas da primitiva quadra, estando a primeira bordejada por jardim. Fachadas O. correspondentes às traseiras de múltiplos edifícios de serviços, bordejados por jardim. A entrada comunica com a recepção; cozinhas a S. e escadas, a O., para o piso superior; para E., um longo e amplo corredor dá acesso, para S., à sala de estar, e para E., ao bar, que por sua vez comunica, para S., com a zona exterior (com piscina, bar de apoio com sanitários e, na zona SE., um campo de ténis e outro parque de estacionamento) e com a sala de jantar. Esta é constituída por três corpos ortogonais rodeando um pequeno chafariz de repuxo, envidraçado, situado no centro da primitiva quadra; o corpo O. da sala de jantar comunica com o corpo intermédio da Pousada, um espaço com copa, várias arrecadações e cozinha, que por sua vez se interliga com a zona de serviços, constituída por vários edifícios, a O. (arrecadações, lavandaria, depósito de combustível, painéis solares, etc.). O corpo O. da primitiva Pousada prolonga-se para S. através de zona de serviços e da casa do director, possuindo cave com duas divisões. O acesso ao piso superior faz-se pela recepção através de escada de dois lanços, em caixa redonda, frestada para O.; o piso superior apresenta, na zona central, uma sala de estar em L que rodeia o espaço ocupado pelo chafariz do piso inferior; à volta desta sala apresenta-se a zona dos quartos, que se prolonga pelo corpo intermédio da Pousada, totalizando 25 quartos *1.

Acessos

Avenida de Badajoz

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, em bairro residencial, junto à estrada que conduz a Badajoz.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Comercial e turística: pousada

Utilização Actual

Comercial e turística: pousada

Propriedade

Privada: pessoa colectiva

Afectação

Grupo Pestana Pousadas

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTOS: Miguel Jacobetty Rosa (1939, 1964); José Alves (1985, 1994); DECORADORES: Vera Leroi e Anne-Marie Jauss (1938-1942). EMPREITEIRO: Ramalho Rosa, Lda (1994). FORNECIMENTO MOBILIÁRIO: Casa Barbosa & Costa (1939-1942).

Cronologia

1933 - lançado um concurso para a idealização de um hotel-modelo, no Notícias Ilustrado; 1936 - Francisco de Lima apresenta ao I Congresso Nacional de Turismo, um ideal de hotel económico, moderno e confortável, de carácter regional; 1939 - anunciada a construção de pousadas regionais, com projectos do Ministério das Obras Públicas e Comércio, sendo dados projectos a Rogério de Azevedo e Miguel Jacobetty Rosa; 31 Dezembro - António Ferro leva para o Secretariado de Propaganda Nacional o Turismo e este projecto; 1939, 31 de Março - projecto para o primeiro edifício da Pousada da autoria de Miguel Simões Jacobetty Rosa;o mobiliário foi desenhado por Vera Leroi e Anne-Marie Jauss e executado pela Casa Barbosa & Costa; o projecto inicial previa a construção de um edifício em L, com uma das fachadas formada por arcadas; 1942 - construção da Pousada pela DGEMN; 19 Abril - inauguração da Pousada; os arranjos interiores iniciais estiveram a cargo dos Serviços de Turismo e Serviços Técnicos do Secretariado da Propaganda Nacional; 1963, 2 Agosto - anteprojecto de ampliação do Arquitecto Miguel Jacobetty; 1964, Agosto - projecto de ampliação da Pousada, da autoria de Miguel Jacobetty Rosa, sendo introduzida uma a sala de estar, no prolongamento para E. da fachada principal, um pequeno bar de apoio; aumento dos seis quartos iniciais para onze, sobre o corpo do concessionário; ampliação da sala de jantar; 1971-1972 - anteprojectos de ampliação; 1985, 4 Outubro - projecto de expansão do arquitecto José Alves, sob a égide da ENATUR; 1987 - decorrem obras referentes ao projecto anterior; 1988, 27 Maio - aprovação da globalidade de projecto de 1985; 1994, 14 Junho - inauguração da remodelação, executada conforme projecto de José Alves, pela empresa Ramalho Rosa, Lda.; 2008, 21 Abril - proposta da DRCAlentejo para encerrar o processo de classificação; 2008, 02 Maio - encerramento do processo de classificação por despacho da sub-directora do IGESPAR.

Dados Técnicos

Paredes de alvenaria de pedra e tijolo com argamassa; betão armado; cantaria; rebocos pintados a branco; paredes forradas a azulejo; pavimentos com materiais diversos incluindo a tijoleira; coberturas telhadas.

Materiais

Pedra, tijolo, argamassa de cal e de cimento, ferro, tijoleira, madeira, azulejos, telha.

Bibliografia

FERNANDES, José Manuel, "Pousadas de Portugal. Obras de raiz e em monumentos" in Caminhos do Património, pp. 159-177, 1999; FERRO, António, Turismo/Fonte de Riqueza e de Poesia, Lisboa, 1949; LOBO, Susana, Pousadas de Portugal. Reflexos da Arquitectura Portuguesa do Século XX, Coimbra, Imprensa Universidade de Coimbra, 2006; LOBO, Susana, É uma casa portugueza, com certeza? A Pousada de Santa Luzia em Elvas, in Monumentos, n.º 28, Lisboa, Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana, Dezembro 2008, pp. 148-153; Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério no ano de 1952, Lisboa, 1953; Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério nos Anos de 1959, 1º Volume, Lisboa, 1960; Panorama, n.º 9 e n.º 12, 1942 e 1958, pp. 30-31.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DSEP, DGEMN/DSARH, DGEMN/DREMS/DE, DGEMN/DREL/DEM; Arquivo da Enatur

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMS; Arquivo da Enatur

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID,DGEMN/DSConstrução, DGEMN/DSConservação, DGEMN/DSARH-PO, DGEMN/CAM, DGEMN/DSEP, DGEMN/DNISP, DGEMN/DREMS; Arquivo da Enatur

Intervenção Realizada

DGEMN: 1959 - Obras de conservação, pelos Serviços de Construção e Conservação; 1964 - remodelação e ampliação da pousada: no 1º pavimento ampliação da sala de jantar com mais dois tramos perpendiculares, a E. e a S. do pátio; criação de sala de estar, com bar, prolongando o corpo da frontaria para E.; ampliação da cozinha e restante zona de serviço no corpo N. / S., eliminando a antiga garagem; construção da habitação do concessionário prolongando o corpo N. / S. para S.; no 2º pavimento: criação de mais 5 quartos, perfazendo 11, no novo corpo N. / S.; 1965 - obras de beneficiação da cobertura; 1966 - adjudicação da instalação de ar condicionado; 1967 - trabalhos complementares referentes à instalação de ar condicionado; montagem de vedações, jardinagem e pinturas; construção de um abrigo para automóveis; 1968 - 2ª fase da montagem do sistema hidropneumático de abastecimento de água; construção de instalações sanitárias para o jardineiro e arranjo de terrenos junto à habitação do concessionário; construção de um ramal de esgoto; 1971 - montagem de ar condicionado; obras de ampliação: criação de escada de serviço, copa e rouparia no piso superior, suprimindo um dos quartos; construção de 5 novos quartos sobre a sala de jantar, perfazendo um total de 15; transformação da habitação do concessionário em dependências para pessoal; construção de uma nova habitação para o concessionário; transferência do bar para a actual sala de estar; ampliação da sala de jantar; arranjo da zona de grelhados; 1974 - novo equipamento mecânico para a cozinha; construção da central térmica e vedação do depósito de combustível; 1975 - ampliação da cozinha e anexos; 1980 - colocação de depósito de combustível segundo desenho de localização de 19 de Dezembro de 1979 (que acabou por não ser respeitado); ENATUR: 1985 / 1988 - obras de ampliação da Pousada por elevação da cobertura do corpo intermédio, E. / O., que liga o primitivo edifício com a zona de serviços a O.; alteração do mobiliário e da decoração; construção de nova edificação na zona O.; ENATUR: 1994 - obras de ampliação e rentabilização de espaços subaproveitados, nomeadamente sobre os tectos do bar, sala e circulações; construção de uma piscina com bar de apoio e de um campo de ténis; implantação 8 novos quartos e remodelação de um quarto e suite existentes na zona N. / E. perfazendo um total de 25 quartos; expansão da sala de estar e do back-office; instalação de sistemas de segurança contra risco de incêndio.

Observações

*1 - inicialmente a pousada era constituída por dois corpos perpendiculares a envolver um pátio nas traseiras, delimitado, ainda, por dois tramos de arcadas; no piso térreo apresentava entrada alpendrada, sala de jantar, cozinha, copa, despensa, lavabos, garagem e pátio; no piso superior possuía 6 quartos, casas de banho e rouparia; *2 - despacho de 30 de Janeiro de 1980, dos Ministérios das Finanças e do Plano e do Comércio e Turismo, publicado no DR 43 de 21 de Fevereiro 1980.

Autor e Data

Domingos Bucho 1999

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login