Igreja Paroquial de Aljubarrota / Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres

IPA.00001826
Portugal, Leiria, Alcobaça, Aljubarrota
 
Igreja paroquial de uma nave coberta a madeira, capela-mor abobadada; portal românico, capelas laterais gótica e maneirista; tratamento barroco das molduras das portas e janelas da capela-mor.
Número IPA Antigo: PT031001110011
 
Registo visualizado 654 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta pela justaposição de 2 rectângulos desiguais, a nave e a capela-mor, com 2 corpos adossados a N. (sacristia e capela baptismal), 3 corpos a S. (2 capelas e torre sineira). Volumes articulados com coberturas diferenciadas, com 3 águas na capela baptismal, 2 nos outros corpos e coruchéu piramidal na torre sineira. Fachada principal orientada, de empena triangular, portal de 3 arquivoltas de volta perfeita e capitéis lisos, com óculo sobreposto; adossada ao cunhal S. uma torre sineira, onde se destaca um cruzeiro assente em soco quadrangular suportando a base de cantos superiores boleados e cruz latina com braço superior curto. Nave única com tecto em madeira, abrindo para a capela-mor, com abóbada a berço caleada, por arco triunfal de volta redonda, em cantaria. Coro-alto em madeira sobre colunas toscanas, em cantaria, sobre a porta principal. Do lado da Epístola abre-se, por arco quebrado, assente em pilares cruciformes com colunas adossadas, de capitéis fito e zoomórficos, uma capela sepulcral, coberta por abóbada de cruzaria de ogivas; 2 arcossólios levemente quebrados, na parede N., enquadram as arcas tumulares dos instituidores, Martim Palença e sua mulher. A seguir a capela de Isabel Cordeiro antecedida por portal com pilastras rematadas por frontão triangular, cabeças aladas nas enjuntas e a data de 1596 no friso; cobre-a uma abóbada a berço com caixotões.

Acessos

Rua D. Nuno Álvares Pereira; Largo Nossa Senhora dos Prazeres

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 42 255, DG, 1.ª série n.º 105 de 08 maio 1959 / ZEP, Portaria n.º 45/2014, DR, 2.ª série, n.º 14 de 21 janeiro 2014 *1

Enquadramento

Urbano. Isolada num largo desafogado, rodeada por um grande adro, delimitado por muro em alvenaria.

Descrição Complementar

Altar-mor em mármores rosa, negro e branco, com coluna coríntias suportando um frontão contracurvado, estilisticamente integrável no barroco joanino; a imagem de Nossa Senhora dos Prazeres, no trono, de São José e D. Nuno Álvares Pereira, em 2 nichos dos lados da tribuna. Altares colaterais em talha dourada e marmoreada, com colunas torsas, nichos escavados dos lados da tribuna, frontão curvo rematado por concheado, cartela no tímpano, também atribuíveis ao barroco joanino; os altares sobre os quais assentam têm frontais azulejares de padrão, recentes; do lado N. um altar em talha dourada e polícroma, com marmoreados, conjuga uma estrutura de retábulo de edículas, entre pilastras estriadas, com uma composição central, integrada na tribuna, com elementos do barroco joanino: colunas sustentadas por anjos atlantes, frontão curvo sobre o qual pairam anjos dos lados de uma cartela central, rodeando uma tribuna tapada por painel, enquadrando a estátua de Santo António; uma sanefa joanina remata o retábulo. Sanefas em talha, de molduração idêntica, encimam os vãos das janelas da capela-mor. Um nicho em cantaria polícroma, na parede S., entre o púlpito e a capela de Martim Palença, rematado por frontão triangular, alberga a escultura rude de um anjo, segurando uma filactera, com os dizeres: Gratia plena Dominus tecum, que provavelmente fez parte de uma Anunciação.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Leiria - Fátima)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 13 / 18 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 13 - construção do primitivo templo, do qual subsiste o portal românico (nele terá orado, segundo a tradição, D. Nuno Álvares Pereira, antes da Batalha de Aljubarrota); séc. 14 - construção da capela sepulcral de Martim Palença e sua mulher; 1523, 14 setembro - Carta de Vasco de Pina expondo ao rei o dinheiro que era necessáriuo para os reparos das igrejas de Aljubarrota; séc. 16 - reconstrução da nave, incluíndo a torre sineira na fachada e a capela baptismal; 1596 - capela lateral de Isabel Cordeiro; séc. 18 - construção de 2 corpos adossados às fachada N. e S. da capela-mor, entretanto demolidos, de que restam 3 portais com frontão curvo e 2 janelões, de características barrocas; 2012, 30 abril - proposta da DRCLVTejo de fixação de uma Zona Especial de Proteção Conjunta do Pelourinho (v. PT031001110004), Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres e a Casa na Rua Direita, n.º 49 (v. PT031001110013); 16 outubro - publicação do projeto de decisão relativo à fixação da Zona Especial de Proteção conjunta da Igreja, Casa na Rua Direita, n.º 49 e o Pelourinho de Aljubarrota, em Anúncio n.º 13574/2012, DR, 2.ª série, n.º 200; 2013, 24 junho - publicação da alteração do projeto de decisão relativo aos limites da Zona Especial de Proteção conjunto da Igreja, Casa na Rua Direita, n.º 49 e Pelourinho, em Anúncio n.º 229/2013, DR, 2.ª série, n.º 119.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma (capela de Martim Palença), estrutura autoportante (restantes espaços).

Materiais

Cantaria e alvenaria de pedra, betão armado, cerâmica, mármore, madeira, vidro.

Bibliografia

Inventário Artístico de Portugal, vol. V, Lisboa, 1955; Tesouros artísticos de Portugal, Lisboa, 1976; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74415 [consultado em 5 agosto 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; DGARQ/TT: Corpo Cronológico (Parte I, maço 30, doc. 15)

Intervenção Realizada

1958 - numa gravura deste ano, a fachada principal mostra ainda janela de vão quadrado rasgando a empena; 1972 - a DGEMN concede 50 000$ para obras urgentes, não especificadas; 1973 - demolições realizadas: parte da ábside, cuja parede E. é deixada à face com a sacristia, do lado N., cujas dimensões também são reduzidas para metade, a fim de libertar uma janela da capela-mor entaipada desse lado; divisão do lado S., adossada à capela-mor, anexo do mesmo lado, adossado à nave, por onde se fazia o acesso ao púlpito; apeamento total da cobertura e armação do tecto da nave; construção de parede nova na sacristia, sobre fundações em alvenaria hidráulica de pedra, incorporando os guarnecimentos dos vãos demolidos; reconstrução de coberturas e tectos: reforço dos muros com cintas em betão armado; colocação de tirantes de ferro; lajes em betão pré-esforçado nas coberturas, incluíndo lâmina de compressão e ripado em betão para suporte da telha; cobertura com telha lusa, incluíndo cumes, beirados, remates e rufos; tecto em madeira exótica, com barrotes aparelhados e forro; reparação do coro e guardavento; reconstrução de rebocos interiores e exteriores, limpeza de cantarias; pavimentos: levantamento do pavimento da nave junto ao arco cruzeiro, recuando os degraus para junto deste; reassentamento de lajedo na cota do nível da nave, incluíndo remates nos supedâneos dos altares; pavimento da sacristia em tijolo prensado; levantamento do lajedo exterior, junto à entrada principal e escavação para sondagem e determinação da cota primitiva; reassentamento do lajedo na cota devida; pedra para a soleira da porta; reparação de portas e janelas. Instalação eléctrica.

Observações

*1 - A Zona Especial de Proteção é conjunta da Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres (v. IPA.00001826), Casa na rua Direita, n.º 49 (v. IPA.00001484) e o Pelourinho de Aljubarrota (v. IPA.00001786). Inventário da CMAlcobaça n.º 13001 e 13027.

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991 / Alex Bernardo (CMAlcobaça) 2006

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login