Capela do Carvalhal / Igreja do Santíssimo Sacramento

IPA.00001824
Portugal, Leiria, Bombarral, Carvalhal
 
Capela maneirista e barroca, de três naves de três tramos, separadas por arcaria e colunas toscanas, com tecto em madeira; cabeceira tripartida. Espacialidade interna e volumetria maneiristas; altar lateral das Almas organizado segundo os mesmos cânones. Elementos estilísticos barrocos no retábulo do altar-mor, remate da sineira e portal principal, este já com elementos eclécticos. O retábulo, actualmente existente na sacristia, crê-se que tenha estado na capela-mor e tem sido atribuído à oficina de Diogo Teixeira.
Número IPA Antigo: PT031005020002
 
Registo visualizado 284 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal, composta pelo rectângulo irregular da nave a que se adossa a capela-mor de planta quadrada, pouco saliente, rodeada por 2 pequenas capelas laterais, de ábside rectilínea; sacristia, de planta poligonal irregular, do lado S., torre sineira de planta quadrada, ao lado da fachada principal; volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhado de 2 águas sobre a igreja, de 1 sobre a sacristia, em cúpula bolbosa sobre a sineira. Fachada principal em empena triangular, cunhais marcados por pilastras em cantaria rematadas por pináculos; portal com frontão rebaixado, concha no tímpano e lacrimais nas jambas, encimado por janelão de molduras lisas, ladeado por 2 óculos ovais, também moldurados; torre sineira rasgada por porta e pequena janela, no registo inferior, com ventanas para sinos no superior. INTERIOR com 3 naves de 3 tramos com arcarias redondas divisórias sobre colunas toscanas cobertas por tecto em madeira, de 3 planos sobre a nave central, de 1 sobre as laterais. Arco triunfal pleno sobre pilastras separa a nave da capela-mor, coberta por abóbada a berço; 2 arcos mais baixos, também sobre pilastras dão acesso às 2 altares colaterais dedicados a São José e a Nossa Senhora do Rosário. Porta travessa aberta a S.; a iluminação faz-se pelo janelão e óculos rasgados na fachada principal e por 3 janelas de moldura rectangular, abertas na fachada S.. Na nave, do lado do Evangelho, um altar enquadrado por pilastras e rematado por frontão triangular, interrompido para receber uma cruz, com quebras laterais e bolas sobre acrotérios; dedicado às almas mostra um painel alusivo ao Juízo Final. Coro-alto com balaustrada ocupando metade do 1º tramo; púlpito quadrangular, com base em pedra da Arrábida e guarda em balaústre de madeira com guarnições metálicas, assente sobre pilar prismático em cantaria e adossado à coluna do lado do Evangelho, com acesso por escadas em madeira. As paredes da nave e capela-mor estão revestidas de azulejos de padrão seiscentista em azul e amarelo, com vários módulos enquadrados por cercaduras e frisos, com pequenos painéis figurativos com a representação da Virgem com o Menino e emblema eucarístico, sobre o arco triunfal. O retábulo do altar-mor, pertencente ao estilo nacional, combina elementos colunas e arcos torsos em mármore negro com talha dourada e polícroma; altares colaterais em talha polícroma, com colunas coríntias estriadas e frontão de volutas, dedicadas a São José e a Nossa Senhora do Rosário. Na sacristia, sobre o arcaz, encontra-se parte de um desmembrado retábulo seiscentista, com colunas coríntias sustentando entablamento e enquadrando painéis com passos da vida de Cristo.

Acessos

Largo do Santíssimo; Rua Prof. Moura; Travessa Mestre Hermínio; Rua das Irmandades

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 1/86, DR, 1.ª série, n.º 2 de 03 janeiro 1986

Enquadramento

Urbano. Integrada na povoação do Carvalhal, a sua fachada principal abre-se para um largo fronteiro pavimentado a paralelepípedo, para o qual convergem as ruas principais da povoação. Fronteiro ao portal principal eleva-se um cruzeiro assente em soco de três altos degraus com base emoldurada que sustenta a cruz de braços simples.

Descrição Complementar

AZULEJOS: azulejos de tapete azuis e amarelos, de padrões diferentes, geométricos e de maçaroca com cercadura de barra; frisos com decoração dente de serra e cercadura de acantos, entre outros.

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Lisboa)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 16 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

PINTORES: António da Costa (atr., 1600).

Cronologia

Séc. 16, 1.ª metade - a construção da igreja deve-se à rainha D. Leonor de Lencastre, fundadora do Hospital Termal das Caldas da Rainha (v. PT031006030039); 1600 - pintura do retábulo primitivo de autoria de António da Costa, genro e discípulo do mestre Diogo Teixeira; 1695 - 1699 - revestimento azulejar do templo; séc. 17 - altar das almas; séc. 17 - 18 - retábulo do altar-mor foi substituido pelo actual com tribuna; 1700 - colocação do portal na capela lateral do lado do Evangelho, devotado às Almas; ampliação da sacristia e colocação do arcaz e dos painéis da capela-mor; reforma da fachada principal; 1747 - construção e inauguração da torre sineira; 1773 - colocação da teia em balaustres, separando a nave do presbitério; colocação de dois novos confessionários; colocação do soalho no pavimento da igreja, coberto de lajes sepulcrais. execução da bancada privativa do Cabido da Irmandade do Santíssimo Sacramento, com compromisso de 1615, retirada no séc. 20.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Cantaria e alvenaria de pedra rebocada; azulejos, mármore, madeira, vidro, ferro.

Bibliografia

RAMOS, Augusto José, Bombarral e o seu Concelho, Bombarral, 1982; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário artístico de Portugal, vol. V, Lisboa, 1955; Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, SIPA

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN:DSARH-010/050-0007, DGEMN/DSID-001/010-002-1185/8; CMBombaral

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 1950 - obras no interior retiraram a bancada privativa do Cabido da Irmandade; foi repintado o fundo do altar colateral do lado da Epístola e o tecto da igreja adulterando a pintura original existente; 1990 / 1991 - Recuperação das coberturas, picagem de rebocos, limpeza de cantarias, caiação de paramentos, pintura de grades metálicas, assentamento de novas tijoleiras.

Observações

Da igreja fundada por D. Leonor, em inícios do séc. 16, já não existem vestígios. O pavimento da nave em soalho apresenta números gravados que correspondem à lápides sepulcrais que cobrem. É realizada a festa de São José, no dia 19 de Março, com a iluminação das ruas a azeite em cascas de caracóis.

Autor e Data

Isabel Mendonça 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login