Ermida de São Bento da Cevidade

IPA.00001821
Portugal, Leiria, Batalha, Golpilheira
 
Capela alpendrada de uma nave e capela-mor mais estreita; pavimentos em cantaria e tectos em madeira de 3 planos. Arco triunfal pleno separa a nave da capela-mor.
Número IPA Antigo: PT021004040013
 
Registo visualizado 59 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta rectangular composta por nave e capela-mor a E. e sacristia do lado N.. Coberturas diferenciadas em telhados de 1 água na sacristia, 2 sobre a nave e capela-mor e 3 águas sobre o alpendre. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com embasamento evidenciado a cinza e com remate em beiral. Fachada principal orientada a O. com alpendre cuja cobertura assenta em colunas toscanas, duas das quais estão embebidas na parede, e pilares prismáticos com ângulos chanfrados, sobre murete aberto frontal e lateralmente, rematada por empena triangular, tendo no vértice cruz pétrea, e do lado S. sineira assente sobre alto plinto. Porta axial rasgada sob o alpendre, de moldura rectangular remata por cornija sobre a qual se ergue cruz, entre 2 vãos rectangulares ferrados; a N. abre-se a porta da sacristia. Fachada lateral direita aberta por porta de moldura rectangular entre dois contrafortes em esbarro que delimitam a nave e janela rectangular no corpo da capela-mor, mais estreita. Fachada lateral esquerda corresponde ao corpo da sacristia, ligeiramente mais recuado que a nave, cego. INTERIOR: nave coberta por tecto em madeira de 2 planos, com pavimento em cantaria e paredes rebocadas e pintadas de branco e revestidas de azulejos de padrão industrial monócromo de azul em fundo branco, formando silhar; pia de água benta; presbitério separado da nave por um degrau onde assenta arco triunfal em cantaria que abre para a capela-mor, mais baixa e estreita, pavimento cantaria com tecto em madeira de 3 planos; parede fundeira com duas mísulas suportando imaginária enquadrando a imagem de Cristo crucificada; do lado esquerdo uma porta rectangular dá acesso à sacristia, de planta rectangular com tecto de um plano com forro de madeira e pavimento em laje, tendo na parede lateral uma lápide com inscrição (*1).

Acessos

Casal do Mato; a seguir ao casal da Golpilheira, à direita na direcção do Casal do Mato. Rua São Bento do Furadoro; Rua do Adrião

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano. Situada no extremo da povoação, no topo de um adro desafogado, pavimentado a paralelepípedos e calçada à portuguesa, em cota superior à via pública, delimitado por muro aberto a S. por portão em ferro, com coreto e outras construções modernas de apoio a actividades paroquiais. Nas imediações algumas construções incaracterísticas.

Descrição Complementar

*1: INSCRIÇÃO: A imagem de N. Srª. de Fátima exposta ao culto no dia 30 de Maiode 19 [49] / pelo Exmo. Pároco da Freguesia da Batalha Manuel Pereira Gonçalves / tendo sido tomada a iniciativa da compra desta imagem e sendo fei / to o peditório para o mesmo fim por uma comissão compos / ta por: Joaquim Costa, joaquim da Cruz e João Tomaz./ Todas as pessoas dos lugares: Casal do Paço e / Casal do Mato, Cividade, Choupico, Casal do Salgueiral / Casal de Mil Homens e Casal da Cortiça con / correram com as suas esmolas para esta compra. / Em 7 de Agosto de 1949 / foi inaugurado nesta capela um sino para o qual contribui- / ram com esmolas os habitantes dos lugares: Bico Sachos, Pi- / coto, Carvalhal do Picoto, Ponte de Almagra, Casal do Benzedor, Gol- / pilheira, Paço e Salgueiral, Cividade, Casa do Marco, Choupico, Casal de Mil / Homens, Casal da Cortiça

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Séc. 16 - construção sobre primitiva ermida, da qual não existem vestígios; 1513 - existia uma confraria de defuntos da Albergaria do Furadouro, a qual tinha compromisso e obrigações como a da Torre, e ainda se conserva o tombo, em pergaminho (COUSEIRO, 1868); 1542 - ano de uma das visitações; 1582 - data de construção do alpendre e da sacristia (O Couseiro, Braga: p. 113): 1986 - nas obras de restauro efectuadas foi descobertoa uma imagem que se pensa de São Domingos, por a Capela ter servido de Ermida aos frades Dominicanos do Mosteiro de Santa Maria da Vitória; 1984, 19 junho - despacho de homologação da classificação do edifício como Interesse Municipal; 2011, 01 setembro - despacho de encerramento do processo de classificação.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Cantaria e alvenaria de pedra calcária; telha cerâmica.

Bibliografia

O Couseiro ou Memórias do bispado de Leiria, Braga, 1868; ESPÍRITO-SANTO, Moisés, O Concelho da Batalha, Batalha, 1987.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Paróquia: 1986 - obras gerais de conservação e restauro.

Observações

Chave - sr. Manuel Charota (Casal do Mato)

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991 / Cecília Matias 2005

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login