Pelourinho de Avelar

IPA.00001817
Portugal, Leiria, Ansião, Avelar
 
Pelourinho quinhentista, de pinha cónica, com soco quadrangular de três degraus e base dupla quadrada e circular, de onde arranca o fuste cilíndrico com capitel estriado e encimado por pequeno pináculo ornado por estrais. Possui inscrição no fuste referente à data da sua erecção "12-11-1514", correspondendo à data de elevação de Avelar a Vila.
Número IPA Antigo: PT021003030002
 
Registo visualizado 374 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo pinha

Descrição

Estrutura em cantaria de calcário, composta por soco quadrangular de três degraus sobre o qual assenta coluna de base quadrada, fuste cilíndrico liso de base circular com parte terminal canelada, de maior diâmetro que o fuste, rematado por pinha estriada.

Acessos

Largo 12 de Novembro, Rua 12 de Novembro, Rua da Vila. WGS84 (graus decimais) lat.: 39,921768, long.: -8,360749

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933 / ZEP, Portaria, DG, 2.ª série, n.º 296 de 20 dezembro 1962

Enquadramento

Urbano. Ergue-se num passeio de um pequeno largo formado pelo encontro da rua da Vila e rua 12 de Novembro, frente a edifícios urbanos.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia Local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1514, 12 Novembro - Avelar recebeu foral; data inscrita no topo do fuste indica aprovável construção do pelourinho; 1712 - é da Comarca de Ourém; tem 45 vizinhos; 1758, 02 Maio - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco José de Sousa, é referido que a povoação, com 48 vizinhos, pertence à Casa do Infantado, na pessoa no príncipe D. Pedro; tem juiz ordinário, com autonomia, e Câmara; 1836 - extinção do concelho, integrado no concelho de Chão de Couce; 1895 - foi integrada no concelho de Ansião; séc. 19 - 20 - mudado vários vezes de local de implantação; séc. 20, depois da década de 50 - transferência do pelourinho para o local actual.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de calcário.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. III, Lisboa, Officina Real Deslandesiana, 1712; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, vol. V, Lisboa, 1955; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Leiria, Viseu, 2000; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/73914 [consultado em 2 janeiro 2017].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 5, n.º 49, fl. 843-846)

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO; séc. 20, anos 90 - limpeza do fuste do pelourinho, vandalizado com tinta.

Observações

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991

Actualização

Cecília Matias 2006
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login