Capela de Nossa Senhora do Desterro

IPA.00001816
Portugal, Leiria, Alcobaça, União das freguesias de Alcobaça e Vestiaria
 
Capela maneirista e barroca, cuja rigidez planimétrica é animada no exterior pelo barroquismo do portal e dos remates dos cunhais, no interior pela dinâmica do revestimento azulejar, da talha do altar-mor e da pintura da abóbada.
Número IPA Antigo: PT031001010002
 
Registo visualizado 524 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta retangular composta pela justaposição de dois rectângulos desiguais, a nave e a capela-mor. Exteriormente os dois corpos estão marcados verticalmente por pilastras, com ábacos salientes, encimados por urnas com remates torsos. Cimalha corrida sob as coberturas diferenciadas de duas águas. A fachada principal, voltada a NE., rasga-se por portal de vão rectangular ladeado por dupla colunata pseudo-salomónica, encimada por frontão interrompido por moldura quadrada, ao centro da qual se abre um óculo; remata a fachada um nicho ladeado por pilastras e aletas duplas, com frontão com cruz no vértice. Os alçados laterais são rasgados por duas janelas rectangulares na nave, uma na capela-mor. No INTERIOR abóbadas a berço, sendo a da capela-mor decorada com pinturas murais; arco triunfal a pleno centro, assente em pilastras de ábacos salientes, arcos iguais rematando a ábside e o pano murário, em que se rasga o portal. Paredes revestidas a azulejos figurativos *, retábulo de talha dourada no altar-mor *. No nicho da fachada principal um grupo escultórico representando São José adormecido e o anjo que o aconselha a fugir para o Egipto. Pinturas muaris na abóbada da capela-mor: albarradas, guirlandas e volutas de folhagem rodeiam um medalhão central, octogonal, com a representação do sol, sobre fundo azul, e inscrição em latim. Retábulo em talha dourada no altar-mor em estilo nacional; as volutas da talha repetem-se em pintura a ouro nas pilastras e arco da ábside; altar barroco, em forma de urna, em mármore de duas cores. As paredes da nave e capela-mor estão revestidas a azulejo figurativo em azul cobalto sobre esmalte branco, com cenas da infância de Cristo, dentro de cercaduras ricas em motivos arquitectónicos, "putti", guirlandas, cartelas que, pelas suas características, se podem atribuir ao período da grande produção joanina, provavelmente à terceira década do séc. 18.

Acessos

Jardim das Murtas, cerca do Mosteiro de Alcobaça

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG, 1.ª série, n.º 136 de 23 junho 1910 / ZEP, Portaria, DG, 2.ª série, n.º 190 de 16 agosto 1957 *1

Enquadramento

Urbano. Junto ao Mosteiro de Alcobaça, do seu lado S., no topo de uma pequena elevação de terreno, cercada por jazigos, na sua maior parte desocupados. Rodeia-a um adro com dois acessos: uma escadaria de um único lanço, a N., outra de vários lanços convergentes e divergentes, separados por patamares, do lado E.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

IGESPAR, DL 96/2007, de 29 Março

Época Construção

Séc. 17 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1687 - 1690 - durante o triénio do Abade geral Frei Sebastião de Sottomayor, a capela é mandada construir pelo seu secretário Frei Pedro de Alencastre (segundo TAP, 1976, p.69), apesar de alguns autores a colocarem em finais do séc. 17 e inícios do 18; o instituidor, além de a dotar com rendas para o culto e conservação, mandou vir de Roma o corpo de Santa Constança, que nela ficou depositado; 1992, 01 junho - é afeto ao IPPAR através do DL 106F/92.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Cantaria e alvenaria de pedra calcária; telha cerâmica, azulejos, madeira, vidro.

Bibliografia

COCHERIL, Maur, Alcobaça - Abadia cisterciense de Portugal, Lisboa, s.d.; Inventário Artístico de Portugal, vol. V, Lisboa, 1955; PEREIRA, Esteves, RODRIGUES, Guilherme, Diccionário, vol. I, Lisboa, 1904; PEREIRA, José Fernandes, Resistências e aceitação do espaço barroco: a arquitectura religiosa e civil, in, História da Arte, vol. 8, Lisboa, 1986; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/70184 [consultado em 5 agosto 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

DGEMN: 1972 - restauro da estrutura e da cobertura.

Observações

*1 - Zona Especial de Proteção conjunta com o Mosteiro de Alcobaça (v. PT031001010001).

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login