Santuário de Nossa Senhora da Ajuda

IPA.00018153
Portugal, Guarda, Almeida, Malhada Sorda
 
Santuário construído no séc. 19, mas de linguagem tardo-barroca, sobre uma antiga ermida de origem medieval e com grandes romagens, o que esteve na base da instalação de um mosteiro anexo, de Agostinhos Descalços, entretanto desaparecido. A capela é de planta retangular composta por nave e capela-mor, com coberturas interiores diferenciadas em falsas abóbadas de berço e iluminada uniformemente por janelas rasgadas nas fachadas laterais e pelos vãos da fachada principal. A fachada principal remata em empena contracurva, de inspiração borromínica, com os vãos rasgados em três eixos definidos por portal e janelão e por dois postigos. As fachadas têm cunhais apilastrados, firmados por fogaréus, e rematam em frisos e cornijas, rasgadas por portas travessas. O interior é despojado, com púlpito em cantaria no lado do Evangelho e, na capela-mor, os retábulos mor e colaterais, formando uma única estrutura côncava, de talha de falsos marmoreados pintados e com linguagem tardo-barroca, construído no séc. 19. De realçar a manutenção no pavimento em ladrilho hidráulico original.
Número IPA Antigo: PT020902130167
 
Registo visualizado 264 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Santuário  

Descrição

Planta retangular composta por nave e capela-mor, de volumes articulados e escalonados, com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas, rematados em beiradas simples. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, percorridas por socos de cantaria, flanqueadas por cunhais apilastrados, firmados por pináculos do tipo fogaréu, e rematadas em frisos e cornijas. Fachada principal virada a sudoeste, rematada em empena contracurva, de influência borromínica, com cruz latina sobre plinto galbado no vértice. É rasgada por vãos com modinaturas duplas, as interiores salientes, com múltiplos frisos, o exterior cordiforme, e as exteriores recortadas, tendo portal axial em arco abatido, ladeada por postigos de volta perfeita e rematada em janelão com avental de concheados. As fachadas laterais são semelhantes, rasgadas por porta travessa em arco abatido e quatro janelas, duas no corpo da nave e duas no da capela-mor, retilíneas e de molduras recortadas. Fachada posterior cega, rematada em empena. INTERIOR com as paredes rebocadas e pintadas de branco, percorridas por lambril de cantaria, com coberturas em falsas abóbadas de berço de madeira, assentes em frisos e cornijas de cantaria; pavimento em ladrilho hidráulico. Portal axial e portas travessas ladeados por pias de água benta em cantaria de granito, embutidas no muro e de bordos boleados. No lado do Evangelho e em nível bastante elevado, surge o púlpito quadrangular, em cantaria de granito, assente em modilhões ornados por motivos geométricos e florais, com guarda plena decorada por apainelados fitomórficos. Arco triunfal de volta perfeita assente em pilastras toscanas com fecho de acantos. Sobre supedâneo de três degraus de cantaria, a mesa de altar, destacada do retábulo-mor, em forma de urna e ornado por folhagem. Na parede testeira, o retábulo-mor e os colaterais unidos e formando uma única estrutura, mas com os três altares bem demarcados. A estrutura é de talha pintada de marmoreados fingidos e dourada, composta por três retábulos de eixo único, os laterais formados por duas colunas e o central levemente convexo e com quatro colunas, com os terços marcados por anel e laçaria, assentes em duas ordens de plintos paralelepipédicos com as faces almofadadas e ornadas por acantos. A tribuna é de volta perfeita e extravasa para o remate, com moldura de entrelaçados e tendo no interior trono expositivo de sete degraus com a imagem da Senhora. Os retábulos colaterais, dedicados a São José (Evangelho) e a Santa Ana (Epístola) possuem nicho de perfil recortado e moldura saliente, encimado por mísula bolbosa com imaginária. A estrutura remata em entablamento, sobre o qual evoluem altos fragmentos de frisos e cornijas, transformados em pilaretes, sobrepujados por acantos vazados e que centram pequeno frontão semicircular, dando origem a painel central decorado por festões e pendentes. Os altares são em forma de urna, o mor sobrepujado por sacrário embutido, com cobertura em domo e tendo a porta ornada por ostensório. No lado do Evangelho, surgem um ábaco.

Acessos

Malhada Sorda

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, implantado no extremo ocidental da povoação, em zona plana, abaixo da cota da via pública. Está envolvido por adro fechado por muro de alvenaria e cantaria de granito, encimado por grades pintadas de cinza, interrompido por acrotérios, encimados por esferas. O adro está pavimentado a lajeado. O templo encontra-se rodeado por casas de habitação unifamiliares e terrenos agricultáveis.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: santuário

Utilização Actual

Religiosa: santuário

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese da Guarda)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 14 - existe já uma pequena ermida no local, com um sino; 1629, 05 fevereiro - bula do Papa Urbano VIII, concedendo indulgência perpétua aos fiéis que visitassem a capela no primeiro de maio; 1746 - referência ao antigo sino da capela; 17 dezembro - autorização do rei D. João V para a fundação de um convento anexo ao santuário, concedida aos Agostinhos Descalços; séc. 19 - início da reconstrução da capela; 1900, 06 setembro - inauguração do novo templo; 1959 - a receção aos peregrinos e as atividades litúrgicas são garantidas pela Irmãs de São João Baptista e de Maria Rainha.

Dados Técnicos

istema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria rebocada e pintada; modinaturas, cunhais, frisos, cornijas, degraus, pináculos, cruzes, púlpito, pias de água benta e degraus em cantaria de granito; portas, coberturas e mobiliário de madeira; pavimentos em ladrilho hidráulico; retábulos de talha pintada e dourada; janelas com vidro simples e grades metálicas; coberturas em telha cerâmica.

Bibliografia

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: SIPA; Diocese da Guarda: Departamento do Património Cultural

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Paula Figueiredo 2016 (no âmbito da parceria DGPC / Diocese da Guarda)

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login