Igreja Paroquial de Fatela / Igreja de São João Baptista

IPA.00017860
Portugal, Castelo Branco, Fundão, Fatela
 
Igreja paroquial maneirista e revivalista, subsistindo, da construção inicial, a janela da sacristia, em capialço, sendo tudo o mais resultado das reformas dos séculos 19 e 20. É de planta retangular composta por nave única, capela-mor mais estreita e sacristia adossada à fachada lateral direita, com coberturas interiores diferenciadas, de madeira, em masseira na nave e em falsa abóbada de berço na capela-mor, iluminada por janelas rasgadas nas fachadas laterais. Fachada principal oitocentista, em empena, com os vãos rasgados em eixo, composto por portal em arco abatido e janelão com o mesmo perfil. Fachadas da nave com cunhais apilastrados, rematadas em cornija. Distingue-se os vãos, com molduras recortadas e encimadas por pequenas cornijas, tendo, no caso da janela do coro, um prolongamento, formando falsos brincos. O portal axial tem falso frontão lobulado, formando enrolamentos, contendo inscrição alusiva à ampliação novecentista. Interior com coro-alto de madeira, assente em duas colunas toscanas, tendo, no lado do Evangelho, a pia baptismal em cantaria. Arco triunfal de volta perfeita, flanqueado por dois retábulos colaterais, dispostos em ângulo, de talha revivalista neogótica. Capela-mor com retábulo de talha neobarroco, destacando-se a temática pouco comum que orna a porta do sacrário, representando os instrumentos da paixão de Cristo. Isolado, o campanário quinhentista de dois registos divididos por cornija, o inferior cego e com escadas adossadas de acesso ao interior, encimado por dupla sineira, de arcos ultrapssados, resultando, talvez, de uma reforma e mostrando vestígios de estruturas nas suas várias faces; possui várias pedras sigladas e uma inscrição de difícil leitura.
Número IPA Antigo: PT020504160186
 
Registo visualizado 125 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

IGREJA de planta retangular, composta por nave única, capela-mor mais estreita e sacristia rectangular adossada à fachada lateral direita, de volumes articulados e disposição horizontal com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas na nave e capela-mor e de uma na sacristia. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, percorridas por faixa pintada de cinza, com cunhais apilastrados no corpo da nave, este rematado em cornija e beiral, sendo apenas em beiral nos demais corpos. Fachada principal virada a O. com embasamento em cantaria e remate em empena alteada relativamente à cornija, com cruz latina sobre plinto paralelepipédico no vértice; é rasgada por portal em arco abatido, com moldura recortada e rematada por pequena cornija, encimada por falso frontão lobulado, interrompido por volutas e com lápide oval com a inscrição "AMPLIADA EM 1955"; está encimada por janelão com o mesmo perfil e remate, prolongando-se as molduras inferiormente, formando falsos brincos. Fachada lateral esquerda, virada a N., rasgada por porta travessa em arco abatido e moldura recortada, rematada por pequena cornija, surgindo, no extremo direito e em nível elevado, vestígios de um vão rectilíneo, entaipado. O corpo da capela-mor é rasgado por janela rectilínea e moldura simples, protegida por grades de ferro. Fachada lateral direita, virada a S., com porta travessa semelhante à da fachada oposta, flanqueada por duas janelas em arco abatido, com molduras simples e remates em pequenas cornijas; adossada à capela-mor, a sacristia, com porta de verga recta e janela rectilínea, jacente e gradeada. Fachada posterior em empena cega, com cruz latina no vértice; sobre esta, é visível a empena da capela-mor, também com cruz no vértice. No lado esquerdo, o corpo da sacristia, em ângulo oblíquo, rasgado por fresta rectilínea em capialço. INTERIOR rebocado e pintado de branco, percorrido por silhares de azulejo de padrão policromo, com pavimento em tijoleira e cobertura de madeira em masseira, assente em cornija e com cinco tirantes metálicos. Portal axial protegido por guarda-vento de madeira e vidro. Coro-alto de madeira, assente em duas colunas toscanas, com guarda de madeira torneada e acesso por escadas de dois lanços, no lado da Epístola. No sub-coro, no lado do Evangelho, pia baptismal em cantaria de granito, com taça hemisférica. No lado da Epístola, altar lateral votivo, dedicado ao Calvário, com estrutura retabular, em talha. Arco triunfal de volta perfeita, assente em pilastras toscanas, flanqueado por dois altares colaterais, dispostos em ângulo, dedicados ao Sagrado Coração de Jesus e a Nossa Senhora de Fátima. Elevada por um degrau, a capela-mor, com pavimento em lajeado de granito e cobertura em falsa abóbada de berço abatido de madeira pintada de azul, integrando painel circular com a representação de São João Baptista menino, e assente em cornija. No lado do Evangelho, nicho em arco de volta perfeita, assente em pilastras toscanas e fecho saliente, contendo painel de azulejo figurativo e policromo, a representar São João Baptista, conforme refere inscrição pintada a negro, na base. Sobre supedâneo de três degraus, o retábulo-mor, de talha pintada de cinza e dourado, de planta recta e três eixos definidos por quatro colunas coríntias com o terço inferior marcado por anel, assentes em duas ordens de plintos paralelepipédicos, com as faces ornadas por elementos fitomórficos. Ao centro, tribuna em arco de volta perfeita, com moldura dourada e contendo trono expositivo de três degraus, na base do qual surge o sacrário, em forma de templete, flanqueado por duas colunas e com as portas ornadas pelos símbolos da paixão de Cristo. Os eixos laterais possuem mísulas bolbosas, encimadas por falsos baldaquinos, ornados por elementos vegetalistas vazados. A estrutura é flanqueada por apainelados de talha e remata por friso, cornija e frontão interrompido por resplendor, encimado por elementos vegetalistas vazados. Frontal à estrutura, a mesa de altar, de talha dourada, composta por colunas torsas e apainelado decorado por florão. No lado S., ergue-se o CAMPANÁRIO de planta rectangular, com estrutura em cantaria de granito aparente, de aparelho isódomo, com embasamento saliente, apresentando vários silhares siglados. A face frontal desenvolve-se em dois registos divididos por cornija, o inferior cego e o superior rasgado por duas sineiras em arco ultrapassado, com dupla arquivolta, a interior boleada, assentes em impostas salientes. Remata em cornija e conjunto de cinco pináculos, de perfis distintos, o central apresentando plinto cúbico e cruz, sendo os restantes de secção circular. O acesso faz-se por escadas no lado esquerdo, desprovidas de guardas, no topo da qual, surge porta de verga recta, de arestas biseladas, que permite aceder a outro conjunto de escadas. Na face virada a S., surge pedra rectangular com um escudo em relevo *2.

Acessos

Largo da Igreja

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 47 508, DG n.º 20 de 24 janeiro 1967 (campanário) *1

Enquadramento

Peri-urbano, no limite do aglomerado, isolado, implantado em plataforma elevada relativamente à via pública que atravessa a povoação, a EN 343, em zona de pendor inclinado. Encontra-se rodeada por um adro pavimentado a cubo de granito, com acesso por escadaria de oito degraus junto à fachada lateral direita, à qual de adossa banco de cantaria. A zona Próximo, localiza-se a Capela de Nossa Senhora da Conceição (v. PT020504160007) e a Casa Lourenço Carvalho e Capela de São Lourenço.

Descrição Complementar

O retábulo lateral é de talha pintada de bege e dourado, de planta recta e um eixo definido por duas colunas torsas, envolvidas por espira fitomórfica, assentes em consolas, e por duas pilastras com os fustes decorados por acantos, assentes em estreitos plintos paralelepipédicos; ao centro, nicho de perfil recortado, com a zona superior rendilhada, rematado por friso contracurvado e elementos vegetalistas, coroados por cartela de enrolamentos. Os retábulos colaterais são semelhantes, de talha pintada de cinza e dourado, de planta recta e três eixos definidos por cinco colunelos estreitos, rematados por pináculos em forma de agulhas, dispostos de forma escalonada, assentes em plintos paralelepipédicos. Ao centro, nicho em arco apontado, com o fundo pintado de azul e moldura formada por faixa e estrelas pintadas, rematado por pináculos e baldaquino; os eixos laterais formam nichos com mísulas e falsos baldaquinos lobulados. Altares paralelepipédicos, bipartidos por apainelados.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese da Guarda)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1320, 23 maio - bula do Papa João XXII concedendo a D. Dinis, por três anos, para subsídio de guerra contra os mouros, a décima de todas as rendas eclesiásticas do reino, sendo as igrejas de São Sebastião Arrisado, Santa Maria de Alpedrinha, Santa Maria de Fatela, São Miguel do Castelo e São João de Silvares taxadas em 200 libras; pertencem a uma comenda da Ordem de Cristo e integra o termo da Covilhã e bispado da Guarda; 1537 - encontrava-se anexa à Igreja de Castelo Novo, juntamente com as de Alpedrinha e Póvoa da Atalaia, as quais pagavam ao bispo anualmente 880 réis; 1573 - data provável da construção do campanário; 1758, 24 Abril - nas Memórias Paroquiais é referido que a povoação é do rei e a comenda pertencente ao Conde de Povolide, com 120 vizinhos; a igreja estava no interior da povoação, com o orago de São João Baptista e com quatro altares, o mor, o de São Caetano, de Nossa Senhora do Rosário e das Almas; o pároco era vigário, apresentado pelo contador da Comenda e com a renda anual de 40$000; 1855 - realização de obras de restauro, com feitura das estruturas retabulares; 1955 - ampliação da nave da igreja para O..

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Estrutura do campanário em cantaria de granito, sendo a da igreja em alvenaria de granito, rebocada; cruzes, cornijas, cunhais, frisos, pavimento da capela-mor, colunas, arco triunfal, pia baptismal em cantaria de granito; coberturas, portas, retábulos, coro-alto, escadas de madeira; caixilharias de ferro; silhares de azulejo industrial; pavimento da nave em tijoleira; guarda-vento de madeira e vidro; janelas com vidro simples; coberturas exteriores em telha de aba e canudo.

Bibliografia

CHEIRA, João Rocha, Subsídios para uma monografia da Fatela, Fatela, 1980; HORMIGO, José Joaquim M., Visitações da Ordem de Cristo em 1505 e 1537, Amadora, 1981; SILVA, Joaquim Candeias, O Concelho do Fundão através das Memórias Paroquiais de 1758, Fundão, 1993; SILVA, Joaquim Candeias, Concelho do Fundão, história e arte, vol I, Ao sul da Gardunha (o antigo concelho de Alpreade / Castelo Novo), Fundão, Câmara Municipal do Fundão, 2002; SILVA, João Belmiro Pinto da, VEIGA, António, Fundão - Ecos de um passado milenar..., Héstia Editores, Fundão, 2005; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/73257 [consultado em 14 outubro 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMF

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

CMF; DGAN/TT: Memórias Paroquiais (vol. 15, n.º 28, fl. 165)

Intervenção Realizada

Proprietário: 2000 - obras de conservação geral.

Observações

*1 - possui protecção conjunta com a Capela de Nossa Senhora da Conceição (v. PT020504160007), com a seguinte DOF: Torre sineira da Igreja de Fatela e a fachada da Capela Joanina que lhe fica à direita. *2 - alguns autores referem que o escudo apresenta a seguinte inscrição: "io...fe / 1573(?) / P.R.A."

Autor e Data

Luís Castro e Cláudia Alves 2004

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login