Pelourinho de Turquel

IPA.00001785
Portugal, Leiria, Alcobaça, Turquel
 
Pelourinho quinhentista, de pinha piramidal, com soco circular de três degraus, fuste cilíndrico, seccionado por anel, capitel decorado com folhagem e remate em pináculo. Figura humana esculpida na pinha, que apresenta vários cogulhos.
Número IPA Antigo: PT031001140009
 
Registo visualizado 309 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição monástica  Tipo pinha

Descrição

Estrutura em cantaria de calcário, composta por soco circular de três degraus onde assenta a coluna, de base circular e fuste cilíndrico, com sulcos helicoidais ornados por rosetas, anelete médio ladeado por fiadas de boleados e capitel com cesto de folhagem e ábaco quadrado (a parte superior do fuste e o capitel são recentes); remate em pinha piramidal ornada de cogulhos, com uma figura humana esculpida, em meio relevo, numa das faces.

Acessos

Rua da Praça, em Turquel. WGS84 (graus decimais) lat.: 39.463414; long.: -8.978158

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano. Isolado, no centro de um largo empedrado, com bancos e ajardinamento envolvente, junto à estrada.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1314 - concessão de foral pelos monges de Alcobaça, seus donatários; 1512, 15 Dezembro - concessão de foral por D. Manuel I; 1758, 12 Maio - nas Memórias Paroquiais, é referido que a povoação, com 73 vizinhos, é do Abade do Mosteiro de Alcobaça; tem juiz ordinário, que também exerce o cargo de juiz dos órfãos, casa de vereadores, procurador do concelho e escrivão; 1947 - o pelourinho guardado no Museu do Carmo é reposto no local primitivo; 1950 - construção de soco em degraus assente em alicerces de alvenaria hidráulica; 1979 - o pelourinho é demolido pelo embate de um camião; 1980 - proposta a deslocação do mesmo para outro local mais salvaguardado de futuros danos.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de calcário.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1988; GARCIA, Eduíno Borges, Ácerca dos Pelourinhos dos Coutos de Alcobaça, Alcobaça, 1975; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Leiria, Viseu, 2000; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/75038 [consultado em 5 agosto 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 37, n.º 126, fl. 1207-1212)

Intervenção Realizada

1980 - união dos compondentes da coluna com cavilhas em latão.

Observações

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login