Pelourinho de Cela

IPA.00001784
Portugal, Leiria, Alcobaça, Cela
 
Pelourinho quinhentista, de pinha prismática, com soco de três degraus circulares, fuste cilíndrico liso, com capitel e base circulares, o primeiro encimado por pináculo piramidal, ostentando elementos heráldicos - coroa, esfera armilar e escudo português.
Número IPA Antigo: PT031001060006
 
Registo visualizado 115 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição monástica  Tipo pinha

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco de três degraus circulares onde assenta a coluna de base oitavada com arestas, fuste cilíndrico monolítico, com espigão de ferro a um terço da altura, capitel com cesto ornado por quadrifólios relevados e ábaco hexagonal de lados côncavos, encimado por anel circular que serve de base ao remate em pinha piramidal, ao qual se adossa a esfera armilar e o escudo português coroados.

Acessos

Rua Joaquim Silva Almeida, em Cela Nova. WGS84 (graus decimais) lat.: 39,537176; long.: -9,038708

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano. Ao centro de um pequeno largo, junto à Igreja matriz (v. PT031001060061).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1324 - concessão de foral pelo abade de Alcobaça, D. Martinho II; 1514, 01 Outubro - concessão de foral por D. Manuel; data provável de construção; Cela era uma das 14 vilas dos coutos de Alcobaça; 1712 - é da Comarca de Leiria e couto dos abades de Alcobaça; tem 390 vizinhos, governandos por 2 juízes ordinários, que também acumulam o cargo de juízes dos órfãos, 2 vereadores, procurador do concelho, escrivão da câmara, que também serve a vila de São Martinho, e tabelião; 1758, 06 Novembro - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco Manuel José da Silva, é referido que a povoação é um couto da Abadia de Alcobaça, com a justiça exercida pelo abade Frei Manuel de Barbosa; a povoação tem 130 vizinhos; 1834 - extinção do concelho.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autoportante.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. III, Lisboa, Officina Real Deslandesiana, 1712; GARCIA, Eduíno Borges, Ácerca dos Pelourinhos dos Coutos de Alcobaça, Alcobaça, 1975; MALAFAIA. E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses- tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, Vol. V, 1955; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Leiria, Viseu, 2000; Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/73431 [consultado em 5 agosto 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 10, n.º 254, fl. 1705-1718)

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 1986 - refechamento de juntas nos degraus da base, colocação de um espigão em bronze para fixação do anel em ferro ao fuste.

Observações

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login