Capela do Senhor Bom Jesus dos Aflitos / Ermida de Santo António

IPA.00001778
Portugal, Leiria, Batalha, Golpilheira
 
Capela manuelina e maneirista, de planta retangular, composta por nave e capela-mor abobadadas. Cobertura homogénea em telhado de 2 águas e paredes rebocadas e caiadas de branco com embasamento definido por faixa cinzenta. Fachada principal em empena rasgada por portal de verga recta rematado por moldura saliente. Fachada lateral direita com dois fortes contrafortes; fachada posterior apresentando semicírculo correspondendo à abside. Interior com capela-mor mais estreita do que a nave com cobertura em abóbada de cruzaria tendo nos fechos elementos decorativos manuelinos, também presentes na arquivolta do arco triunfal. Na parede fundeira nicho do altar-mor emoldurado.
Número IPA Antigo: PT021004040008
 
Registo visualizado 192 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal, composta pelos rectângulos da nave e capela-mor, a que se adossa corpo rectangular da sacristia, do lado N.. Volume simples com cobertura homogénea em telhado de 2 águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, percorridas por faixa pintada de cinzento, demarcando o embasamento, com remate em cornija e beiral na fachada principal, beiral nas laterais e empena na posterior. Fachada principal com cruz no vértice de empena angular, assimétrica, abrangendo o corpo do lado N., correspondente à sacristia; no cunhal direito, truncado, erguem-se duas sineiras de diferentes tamanhos, dispostas em ângulo recto, com ventanas de volta perfeita, assentes em base de cantaria; portal de vão rectangular, com verga rectilínea com friso e cornija saliente, encimado por janelão rectangular; a ladeá-lo uma janela rectangular, do lado esquerdo, correspondendo à sacristia. Fachada N. aberta por porta de moldura rectangular, de acesso à sacristia, ladeada por duas janelas de igual perfil; na fachada S. encostam-se 2 contrafortes entre os quais se abrem duas janelas que iluminam o interior. Fachada posterior, semicircular, correspondendo à capela-mor, cega. INTERIOR de nave única com cobertura em falsa abóbada de berço assente em cornija tem ao centro um medalhão em estuque com os símbolos da paixão de Cristo; paredes rebocadas e pintadas de branco e pavimento em grandes lajes de cantaria; sobre o portal levanta-se um coro alto com balaustrada em madeira assente em pequenas mísulas de cantaria e em dois pilares; do lado do Evangelho um púlpito assente em mísula de cantaria com guarda em balaustrada de madeira; na parede do lado da Epístola, uma pia de água benta de moldura circular. O arco triunfal rebaixado, ornado por arquivolta com motivos vegetalistas manuelinos dá acesso, através de um degrau à capela-mor, mais baixa que a nave, com cobertura em abóbada de cruzaria de ogivas, assentes em mísulas, com a cruz de Cristo incisa na chave; na ábside semicircular, sobre supedâneo de um degrau levanta-se o altar-mor sobre o qual se rasga um nicho, de moldura lavrada pintada, com porta envidraçada, que guarda um crucifixo ladeado pelas estátuas de vulto da Virgem e de São João; ladeando o altar-mor 2 nichos menores abrigam as estátuas de São Sebastião e de Santo António; ao lado do altar um pequeno nicho de arco canopial para guarda das alfaias litúrgicas. A sacristia, com acesso por porta no lado esquerdo da capela-mor, tem tecto em madeira e pavimento em cantaria desnivelado; uma escadaria de um lance, em madeira pintada de branco dá acesso ao púlpito; um pequeno lavatório, em cantaria com bacia concheada e espaldar recto, tendo ao centro torneira e rematado por pequeno frontão triangular recortado.

Acessos

Povoação da Golpilheira, Rua Afonso Maria Coelho Pereira; Estrada da Mioqueira

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Decreto nº 28/82, DR, 1.ª série, n.º 47 de 26 fevereiro 1982

Enquadramento

Urbano, isolado, destacado. Implantado na zona mais baixa da localidade, à saída da povoação da Golpilheira, junto à estrada que atravessa a ribeira e que vai dar à IP1. Ao cimo da rua, do mesmo lado, numa cota superior ergue-se a igreja paroquial de Nossa Senhora de Fátima. A capela é rodeada por adro calcetado, separado da via pública apenas por lancil. Na fachada lateral direita pequena área de lazer com algum mobiliário urbano; A fachada posterior é separada dos terrenos adjacentes por alto muro.

Descrição Complementar

No pavimento da capela-mor, junto ao altar, apresenta-se uma laje com a seguinte inscrição em letra romana: A / S DE PERO GVOM / ES DA ROZA; no pavimento da nave uma outra laje em caracteres góticos do filho de Pêro Guomes, chamado Joham Afonso, que se finou em 15 de Fevereiro de 1493.(SEQUEIRA, 1955: 38)

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 15

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Séc. 15 (meados) - data provável de construção da capela por Pero Gomes da Rosa, escrivão da Chancelaria do reino, nela sepultado, bem como o filho, João Afonso, este falecido em 1493.("O Couseiro, Braga: p. 113) Em 1721 era obrigado à fábrica da capela-mor o Dr. António Gomes de Albuquerque, morador em Leiria, do corpo da ermida Manuel Soares de Carvalho.

Dados Técnicos

Estrutura autoportante (capela-mor) / Paredes autoportantes (nave)

Materiais

Cantaria e alvenaria de pedra calcária, telha cerâmica, tijolo, betão, vidro.

Bibliografia

Notícias várias para a história ecclesiástica do bispado de Leiria, BNL, Cód. 153, 1721; O Couseiro - Memórias do bispado de Leiria, Braga, 1868; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, vol. V, Lisboa, 1955; ESPÍRITO-SANTO, Moisés, O Concelho da Batalha, Batalha, 1987; Terras da Nossa Terra, Porto, 1989.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Junta de Freguesia: 1987 / 1988 - substituição do telhado e dos rebocos exteriores; o revestimento a azulejos quinhentista foi retirado e as paredes interiores rebocadas; 1991 - decorrem obras na capela, tendo o coro-alto sido refeito em betão armado.

Observações

Chave: Maria de Lurdes Meneses Coelho Pereira, na Golpilheira.

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991 / Cecília Matias 2005

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login