Capela de Santo Antão

IPA.00001769
Portugal, Leiria, Batalha, Batalha
 
Capela rural, de planta retangular, composta por nave e capela-mor mais baixa, cobertas por tecto de madeira, tendo à direita adossada a sacristia. Cobertura diferenciadas em telhados de 2 e 1 águas. Fachada principal terminada em empena triangular com cruz no vértice e pequena sineira levantada sobre alto plinto. Interior de uma nave com coro alto, púlpito e capela-mor é iluminado pelas janelas da nave e da capela-mor. Retábulo escultórico gótico em madeira assente sobre predela pintada com volutas vegetalistas e flores, setecentista, e retábulos colaterais pintados de beje e castanho, oitocentista.
Número IPA Antigo: PT021004010004
 
Registo visualizado 426 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal, composta pelos rectângulos da nave e da capela-mor de menores dimensões, a que se adossa a sacristia a N.; volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhado de 2 águas sobre a capela, de uma água sobre a sacristia. Fachadas rebocadas e pintadas de branco com embasamento e remates nas laterais com friso e beiral. Fachada principal voltada a E., de um pano delimitado por cunhais rematados por pináculos, rasgada ao centro por portal de vão rectangular, encimado por friso e cornija, ladeado por duas janelas de moldura igual, com vidros martelados amarelos; sobre o portal abre-se janelão igualmente rectangular coroado por frontão triangular com inscrição; remate em empena triangular, com cruz no vértice; sobre plinto elevado ergue-se pequena sineira do lado S. da fachada; fachada lateral S. aberta no corpo da nave por porta de moldura igual ao portal e duas pequenas frestas com vidros martelados amarelos protegidos por rede; corpo da capela-mor aberto por janela rectangular. Fachada posterior cega com remate em empena triangular com cruz no vértice; fachada lateral N. aberta por janela rectangular e pequena fresta. INTERIOR de nave única tem os paramentos rebocados e pintados de branco com rodapé em cantaria; pavimento em lajes de cantaria e tecto em madeira de três planos; coro alto de madeira assente sobre duas colunas com duas pias de água benta integradas, com guarda de madeira em balaústres planos com acesso por escadaria de um lance do lado do Evangelho; na parede fundeira abrem-se dois janelões com grades interiores; do lado da Epístola púlpito assente sobre base formando pingente, com guarda poligonal em madeira, é acedido por porta de verga recta através da sacristia; pia de água benta de bordos boleados encontra-se a ladear a porta lateral de acesso á nave. A meio da nave, e de cada lado, pequenas mísulas sustentando a imagem de Santo António, do lado do Evangelho e São João do lado da Epístola. No presbitério, diferenciado da nave por dois degraus, erguem-se dois altares colaterais colocados em ângulo com mesas tipo urna sobre a qual se elevam os retábulos em talha pintados de beje e castanho, de planta plana com nicho central vedado por vidro, guardando a imagem do orago do lado do Evangelho e a imagem da Virgem do lado da Epístola, tendo lateralmente pequenas mísulas suportando imaginária; ao centro mesa de altar para celebração do Santo Oficío. Arco triunfal pleno, com uma cartela em madeira com o escudo nacional sobre a pedra de fecho, abre para a capela-mor, mais baixa e estreita, coberta por tecto em madeira. No altar-mor um retábulo escultórico em madeira, polícromo, de planta plana de três eixos, representando os eixos laterais as cenas da Paixão de Cristo, enquadradas por encasamentos com duplo arco encimados por gabletes decorados com pequenos cogulhos de folhagem, e o central, mais elevado, de um vão quebradol tendo ao centro um crucifixo.São seis as cenas da Paixão representadas, lendo-se da esquerda para a direita: 1- Prisão de Cristo; 2 - Flagelação de Cristo; 3 - Caminho do Calvário; 4 - Descida da Cruz; 5 - Deposição no Túmulo; 6 - Ressurreição de Cristo. O retábulo assenta sobre predela pintada a vermelho, verde e dourado com volutas vegetalistas e flores. Do lado esquerdo abre-se uma janela com gradeamento em ferro e à direita porta de moldura rectangular abre para a sacristia e sala de arrumos, com paramentos rebocados e pintados de branco e tecto em madeira de 2 e 1 planos respectivamente; na sacristia com pavimento em laje de cantaria, abre-se uma janela e na sala de arrumos de pavimento em madeira uma pequena fresta.

Acessos

Lugar da Faniqueira, junto à EN 1, km. 114,5 sentido Batalha / Leiria; Rua dos Brejos; Largo de Inácio da Silva. WGS84: 39º40'32.30''N. / 8º50'04.81''O.

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Decreto nº 129/77, DR, 1.ª série, n.º 226 de 29 setembro 1977

Enquadramento

Integrada na malha urbana das povoações de Santo Antão e Faniqueira, a capela ergue-se ao fundo de um adro desafogado, sensivelmente sobrelevado em relação à estrada, sendo a acesso feito por 2 degraus; pavimento em paralelepípedos e corredor envolvendo a igreja em calçada à portuguesa com data 1997 à frente do portal principal; o adro integra 3 oliveiras junto à fachada posterior e é vedado por muro capeado a cantaria, com acesso frontal fechado por portão de ferro e lateral com corrente.

Descrição Complementar

INSCRIÇÕES:sobre a janela da fachada principal pode ler-se a seguinte inscrição "EM /1894/ FOI RECTIFICADA / ESTA IGREJA";

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 17 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Séc. 16 - provável data da sua construção; séc. 17, 1ª metade - já é referida no "Couseiro"(Braga: p. 114), sendo apontado no seu recheio um "retábulo muito antigo com figuras"; tinha uma confraria; os moradores da povoação eram obrigados à sua fábrica.("Notícias várias...", BNL, f. 77); 1894 - data incisa no triângulo sobre a janela da fachada principal com a inscrição "EM /1894/ FOI RECTIFICADA / ESTA IGREJA"; Séc. 20, anos 90 - o retábulo foi roubado; 1993 - foi encontrado em Itália; 1995, 10 Fev. - o retábulo já se encontrava no Museu Criminalista; foi restaurado pelo instituto José de Figueiredo; 7 Abr. - o retábulo foi entregue à paróquia da Batalha, na pessoa do Dr. Júlio Orfão, tendo ficado quase um ano depositado no Mosteiro da Batalha e posteriormente recolocado no local actual; 1997 - data colocada no pavimento do adro, frente ao portal principal.

Dados Técnicos

Estrutura autoportante

Materiais

Cantaria e alvenaria de pedra rebocada e pintada; molduras de vãos e cruz das empenas em pedra calcária; madeira; vidro; cobertura em telha cerâmica; grades de ferro; pavimento em lajes e madeira; tectos de madeira; púlpito, coro alto, e talha em madeira pintada; retábulo principal em madeira policroma.

Bibliografia

COSTA, Pe. António Carvalho da, Corografia Portugueza e descripçam topografica do famoso Reyno de Portugal, vol. III, 1712; Notícias várias para a história ecclesiástica do bispado de Leiria, Cód. 153, BNL, 1721; O Couseiro ou Memórias do Distrito de Leiria, Braga, 1868; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, vol.V, Lisboa, 1955; PEREIRA, Severino, O Concelho da Batalha, Batalha, 1987; Terras da nossa Terra, Porto, Junho 1989.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Paróquia: 1997 - obras gerais de conservação e restauro no interior e exterior; tratamento da envolvente.

Observações

Realiza-se no 2º fim de semana de Agosto de cada ano a festa do orago.

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991 / Cecília Matias 2005

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login