Igreja Paroquial de Reguengo do Fetal / Igreja de Nossa Senhora dos Remédios

IPA.00001765
Portugal, Leiria, Batalha, Reguengo do Fetal
 
Igreja paroquial maneirista, barroca, revivalista, de nave com tecto de madeira, capela-mor mais elevada abobadada, capelas laterais também abobadadas, frontaria ladeada por 2 torres sineiras. Arranjo barroco da fachada. Bandeiras neo-góticas nos arcos de acesso às capelas laterais. Do lado norte, dos lados da porta travessa, são visíveis as molduras de um arco entaipado e do lado sul foi posta a descoberto a moldura em cantaria de uma porta, sinais da primitiva igreja, cuja estrutura terá sido envolvida pela nova construção.
Número IPA Antigo: PT021004020005
 
Registo visualizado 660 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta pelos rectângulos da nave e capela-mor justapostos, a que se adossam 2 capelas laterais quadrangulares dos 2 lados da nave, seguidas pela sacristia e capela do Santíssimo de implantação rectangular; baptistério de planta quadrada do lado N., junto à frontaria. Volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhado de 2 águas sobre a nave e capela-mor, de 3 águas sobre as capelas laterais. A fachada principal de empena triangular, é ladeada por 2 torres sineiras marcadas por cunhais em cantaria; portal encimado por janelão de sacada com balaustrada, ornado por aletas e frontão barroco; janelões de verga em arco segmentar rasgam as naves e capelas laterais. INTERIOR de nave coberta por tecto em madeira de 3 planos abre para a capela-mor, coberta por abóbada rebaixada, com ornatos de estuque imitando uma cruzaria de ogivas; na capela lateral N. a mesma cobertura, sendo a S. rematada por uma abóbada de cruzaria de ogivas; as capelas abrem para a nave por arcos quebrados agudos, com ornatos flamejantes nas bandeiras; coro-alto em cantaria, com balaustrada, sobre 3 arcos descarregando em pilares.

Acessos

Praça da Fonte

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 28/82, DR, 1.ª série, n.º 47 de 26 fevereiro 1982

Enquadramento

Urbano. Destaca-se no largo envolvente, num adro elevado, com escadas de acesso ao espaço em redor, rematado a NO. por balaustrada sobre uma fonte, que serve de coreto.

Descrição Complementar

No altar-mor um retábulo escultórico barroco, com dupla colunata em mármore rosa, capitéis coríntios, frontão contracurvado e anjos nos acrotérios; nichos com imagens entre as colunas, uma tela representando o orago, Nossa Senhora dos Remédios, tapando a tribuna. 2 altares colaterais dos lados do arco triunfal, em talha marmoreada com colunas rematadas por frontão interrompido, assentam num paramento em mármore branco com almofadado em mármore negro. Estuques na abóbada da capela-mor e nos seguintes do arco triunfal. Nos nichos do altar-mor as imagens de vulto de Nossa Senhora dos Remédios e de Santo António; na capela lateral N. Nossa Senhora das Dores, São Sebastião e São José e uma imagem recente de Nossa Senhora de Fátima; nos altares colaterais o Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora do Carmo; na sacristia Nossa Senhora da Piedade e restos de estátuas quinhentistas encontrados durante os restauros de 1969. Um silhar de azulejos deste século cobre as paredes da nave. O pavimento é revestido a mármore rosa e branco e a madeira. Pia de água benta manuelina. Existência de um órgão positivo.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Leiria - Fátima)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

CONSTRUTOR: José da Silva e Sousa (reforma da igreja)

Cronologia

1512 - construção da primitiva igreja por D. Pedro, bispo da Guarda, da qual restam alguns arcos em cantaria postos a descoberto nos alçados laterais; séc. 17, 1ª metade - a igreja é referida no "Couseiro" (p. 103) com 2 altares colaterais e sacristia, sede da confraria do Santíssimo Sacramento, de Nossa Senhora do Rosário e dos Defuntos; séc. 18 - reforma da primitiva igreja; 1890 - arranjos no adro - data inscrita na balaustrada que rodeia o espaço do coreto; 1969 - o sismo provoca graves danos na igreja.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes e estrutura autónoma

Materiais

Cantaria e alvenaria de pedra calcária, telha cerâmica, betão.

Bibliografia

O Couseiro ou Memórias do Bispado de Coimbra, Braga, 1868; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, vol. V, Lisboa, 1955; ESPÍRITO SANTO, Moisés, O Concelho da Batalha, Batalha, 1987; Terras da Nossa Terra, Porto, 1989.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1969 - construção de um tecto em madeira para a nave; construção de uma entrada alpendrada do lado S., em comunicação com a capela lateral.

Observações

*DOF... incluíndo as peças de pintura e de escultura.

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login