Menir da Meada

IPA.00001756
Portugal, Portalegre, Castelo de Vide, Santa Maria da Devesa
 
Menir de grandes dimensões, considerado o maior monólito utilizado como menir na Península Ibérica.
Número IPA Antigo: PT041205020034
 
Registo visualizado 278 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Religioso  Menir    

Descrição

Monólito de granito de configuração fálica com 3.90 m de perímetro na base ( junto ao solo ), 7,15 m do comprimento total *1 e 15 toneladas de peso. Junto ao topo, aparenta possuir uma glande, em ressalto diagonal.

Acessos

EM. de Castelo de Vide para Meada. Aos 2,650 Km passa-se a linha de caminho de ferro. Aos 9 Km passa-se à Igreja de Santo Amador. Após 900 m desta igreja, cortar para o caminho térreo que se encontra à direita. Percorridos 900 m, estaciona-se junto a uma cancela do lado esquerdo que dá acesso pedestre ao monumento, situado a c. de 100 m desta entrada. O lugar chama-se Tapada do Cilindro. WGS84 (graus decimais) lat.: 39,496036; long.: -7,445735

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto n.º 16/2013, DR, 1.ª série, n.º 119 de 24 junho 2013 / ZEP, Portaria n.º 121/2015, DR, 2.ª série, n.º 35 de 19 fevereiro 2015 / Incluído na Área Protegida da Serra de São Mamede (v. PT041214020015)

Enquadramento

Rural, isolado, em terrenos de culturas de sequeiro, com sobreiros e azinheiras. O menir encontra-se alinhado com outros menires ao longo duma linha de contacto entre granitos e xistos, de orientação O. / E., levemente NO. / SE., parecendo delimitar as antas que se situam nos terrenos graníticos. No percurso para o menir, existe a Necrópole Megalítica de Coureleiros.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: menir

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Megalítico

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Megalítico - provável época de construção *2; 1965 - 1ª notícia; 1993 - escavação e recuperação; 2001- escritura de aquisição por parte da Câmara Municipal de parcela da Tapada onde o menir se encontra; 1997, 18 março - Despacho de homologação da classificação como Monumento Nacional; 2012, 06 novembro - publicação do projeto de decisão de classificação do menir como Monumento Nacional, em Anúncio n.º 13656/2012, DR, 2.ª série, n.º 214, 2014, 15 outubro - publicado no DR, 2.ª série, n.º 199 o Anúncio n.º 249/2014 de Projeto de decisão relativo à fixação de ZEP.

Dados Técnicos

Monólito ( enterrado e calçado a c. de 55cm da superfície )

Materiais

Granito porfiróide de grão grosseiro.

Bibliografia

BARATA, J. P. Martins, O Menir da Meada e Doação dos Castelos de Monsanto e de Abrantes com o seu termo, por Dom Afonso Henriques em 1171 e 1173, à Ordem de Santiago da Espada, Ethnos, 4-2, Lisboa, 1965; SAA, Mário de, As Grandes Vias da Lusitânia - O Itinerário de Antonino Pio, Vol. 6, Lisboa, 1967; RODRIGUES, M. C. Monteiro, Carta Arqueológica do Concelho de Castelo de Vide, Lisboa, 1975; DIAS, Ana C e OLIVEIRA, Jorge M., Monumentos Megalíticos do Concelho de Marvão, Portalegre, 1981; OLIVEIRA, Jorge, A Recuperação do Menir da Meada e o seu Enquadramento Histórico e Geográfico na Bacia do Rio Sever, IBN MARUAN, nº 5, Marvão, 1995; Monumento de pedra erguido do chão - Menir da Meada, in Jornal do Fundão, 03/07/1998.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; Câmara Municipal de Castelo de Vide; IPPAR

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; Câmara Municipal de Castelo de Vide; IPPAR

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; Câmara Municipal de Castelo de Vide; IPPAR

Intervenção Realizada

Câmara Municipal de Castelo de Vide: 1990 - levantamento arqueológico; IPPAR / Câmara Municipal de Castelo de Vide / Universidade de Évora: 1993 - escavação e recuperação; Parque Natural da Serra de São Mamede: 2001- obras de recuperação paisagística incluindo arranjo do caminho de acesso e respectiva vedação, sinalética e criação de parque de merendas e estacionamento automóvel (projecto do Arquitecto Nuno Le Cocq).

Observações

*1 - o monólito apresentava maior comprimento antes da sua reconstrução, tendo havido necessidade de nivelar as superfícies de colagem; *2 - aguarda-se a datação, pelo Carbono 14, de carvões encontrados durante a escavação.

Autor e Data

Domingos Bucho 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login