Teatro Sousa Bastos

IPA.00017557
Portugal, Coimbra, Coimbra, União das freguesias de Coimbra (Sé Nova, Santa Cruz, Almedina e São Bartolomeu)
 
Arquitectura civil cultural. Teatro
Número IPA Antigo: PT020603020160
 
Registo visualizado 360 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Cultural e recreativo  Casa de espetáculos  Teatro  

Descrição

Acessos

Rua das Esteirinhas

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Cultural e recreativa: teatro

Utilização Actual

Residencial: residência estudantil

Propriedade

Afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1860 - inicia-se a construção do Teatro, promovido pela Associação Recreativa Conimbricense, no local onde se erguera a igreja de São Cristóvão, então demolida; 1861 - inaugurado com a designação de Teatro D. Luís I; 1910 - 1914 - construção de um novo teatro, então denominado Sousa Bastos; 1940, década de - profundamente remodelado; séc. 20, década de 90 - o teatro deixa de funcionar; 2020, 13 janeiro - é aprovado na Câmara um projeto de transformação do edifício em 32 apartamentos e um espaço cultural, plea imobiliário EICLIS, Empreendimentos Imobiliários.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

Assembleia Recreativa Conimbricensa - Teatro D. Luís I, Coimbra, 1866 (relatório da Comisssão de Obras); Teatro de S. Cristóvão, in Crónica dos Teatros, n.º 2, 19 Set. 1862; BASTOS, Sousa, Dicionário do Teatro Português, Lisboa, 1908; GAMBINI, Lígia Inês, Teatro Sousa Bastos: as primeiras décadas de hsitória, Coimbra, 1999; CARNEIRO, Luís Soares, Teatros Portugueses de Raiz Italiana, Porto, 2002 (Dissertação de Doutoramento em Arquitectura, apresentada na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, policopiado)

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO. As últimas conversações da autarquia com o promotor "apontam para a construção de um edifício com cinco pisos, com a criação de uma sala polivalente para acolher 130 a 140 pessoas, habitações, espaços comerciais e salas para associações" sendo por enquanto uma pproposta do promotor que ainda não tem aprovação do IPPAR, (Moradoes da Alta criticam Câmara, Diário As Beiras, pág. 8, 2004-09-30, Coimbra).

Autor e Data

Cecília Matias 2003 / Filomena Bandeira 2004

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login