Igreja Paroquial de Britiande / Igreja de São Silvestre

IPA.00017431
Portugal, Viseu, Lamego, Britiande
 
Igreja paroquial de construção seiscentista, sobre fundação anterior, visto ser referida desde o séc. 12, de planta retangular composta por nave, capela-mor ligeiramente mais estreita, capelas laterais, sacristia, casa da fábrica e torre sineira adossados, esta de dois registos, o inferior com porta de acesso e, superiormente, ventanas de volta perfeita, que constitui um volume pouco harmonioso da torre sineira, muito possante, comparada com a pequenez da fachada da nave, rematada em empena truncada pelo plinto da cruz papal, bastante elevada acima do nível das coberturas, ostentando imagem do orago, cartela com os símbolos do mesmo. Esta é rasgada por portal de verga recta encimado por janela semicircular e nicho de volta perfeita com o orago. Fachadas circunscritas por cunhais apilastrados e remate em cornija, sendo as laterais rasgadas por janelas em capialço, de perfis maneiristas, e porta travessa alpendrada no lado direito, assente em pilar quadrangular, tendo os ângulos biselados, formando octógono na zona central do fuste, e pequena fresta, talvez um vestígio da construção primitiva. O interior possui decoração exuberante de pinturas murais, talha e azulejo, dos períodos barroco e rococó. As coberturas são de madeira em masseira, de caixotões pintados com motivos geométricos, a nave revestida a pinturas murais decorativa e figurativa, rococó, e a capela-mor com azulejo padrão tipo tapete, do séc. 17. O baptistério ostenta vestígios de pintura mural e uma pia baptismal, provavelmente do séc. 16, como se depreende do torso cordiforme que a decora e da forma da taça hemisférica, de grandes dimensões. A talha dourada é pouco homogénea, havendo exemplares maneiristas, neoclássicos, constituindo um conjunto mais uniforme a zona do arco triunfal, ladeada por retábulos colaterais e laterais, em ângulo, constituindo um conjunto único do estilo nacional tardia, destacando-se o retábulo-mor de compromisso entre as colunas torsas com pâmpanos do estilo nacional e as estruturas joaninas, povoadas de acantos, anjos encarnados e, neste caso específico, com duas enormes cortinas, formando boca de cena, em acharoado vermelho. Na capela-mor, existe uma fresta que liga à capela lateral do lado do Evangelho, talvez por disposição testamentária do instituidor da mesma, encontrando-se forrado a azulejo padrão azul e branco, os quais constituem um reaproveitamento de qualquer outro espaço.
Número IPA Antigo: PT011805040180
 
Registo visualizado 132 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta e irregular, com nave, capela-mor ligeiramente mais estreita, capelas laterais, alpendre no lado direito, sacristia, casa da Fábrica e torre sineira, adossados a ambos os lados, com coincidência entre o exterior e o interior. De volumes articulados e disposição horizontalista das massas, com coberturas de telhados diferenciados de uma (anexo), duas (nave, capela-mor e alpendre) e três águas nas capelas laterais, tendo placa na torre. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, excepto a torre sineira, anexos do lado esquerdo e capela-mor, percorridas por embasamento e remates em cornija. Fachada principal voltada a SO., com portal de verga recta emoldurado, encimado por pedra decorada com a tiara papal e as chaves, sobrepujada por janela semicircular e, em plano superior, pequeno nicho em arco de volta perfeita, sobre cornija, com imagem do orago em pedra. Remata em empena truncada no vértice pelo plinto da cruz papal, com friso e cornija, sendo mais alta que as coberturas e circunscrita por cunhais apilastrados, firmados por pináculos bolbosos, o esquerdo com gárgula de canhão sensivelmente a meio. Para NO. e no mesmo plano, a torre sineira, com dois registos, divididos por cornija, o primeiro rasgado por portal em arco de volta perfeita, assente em impostas salientes e encimado por janelão rectangular; no segundo, a sineira de ventana dupla, em arco de volta perfeita; nas restantes faces, possui apenas uma ventana. Remate em friso e cornija, com gárgulas de canhão nos ângulos, pináculos e merlões. Fachada lateral esquerda virada a NO., marcada pelos anexos da Casa da Fábrica e capela lateral com porta de verga recta de acesso à primeira; em plano superior, duas fenestrações rectangulares, a da capela em capialço. À capela mor adossa-se uma construção recente de reduzidas dimensões, com duas portas de verga recta e duas janelas, uma na face NE.; janelão rectangular em capialço na capela-mor. Fachada lateral direita virada a SE., com porta travessa rectangular e protegida por alpendre, assente em pilar; em plano superior, uma fresta moldurada, a iluminar o coro-alto e um janelão rectangular em capialço. Corpo da capela lateral com janela entaipada na face SO. e fresta; segue-se o corpo da sacristia, ligeiramente mais recuado, com janelão rectangular em capialço na face NE. e janela com o mesmo perfil no corpo da capela-mor. Fachada posterior em empena, alteada relativamente à cornija, cega, com pequeno orifício para ventilação. INTERIOR com parede fundeira em cantaria aparente e paredes da nave totalmente revestidas com pinturas murais em "trompe l'oeil", criando estruturas arquitectónicas marmoreadas com painéis alusivos a São Silvestre e anjos ostentando motivos pontifícios; pavimento com sepulturas de granito, numeradas e cobertura em falsa abóbada de berço abatido em caixotões com cartelas pintadas, tendo traves de madeira e assente em cornija pintada com ramadas, ritmadas por mísulas equidistantes. Coro-alto de madeira, com guarda balaustrada do mesmo material, assente em trave pintada com ramadas de acantos, elementos que se repetem no tecto do sub-coro, em caixotões, e acesso por escadas de madeira no lado da Epístola, também pintadas. Neste, surge porta de acesso à torre sineira. No lado do Evangelho, baptistério na base da torre sineira, de arco de volta perfeita e abóbada de berço, com vestígios de pinturas murais, de motivos vegetalistas, possuindo pia baptismal hemisférica, decorada por friso torso, sobre pequena coluna e plinto. Painel de azulejo azul e branco com moldura de madeira representando o "Baptismo de Cristo" e nicho para alfaias. Capela lateral quadrangular, com acesso por arco de volta perfeita, o arco ostenta o que se afigura ser desenho preparatório para pinturas murais, não realizadas; é rebocada e pintada de branco e percorrida por azulejos de padrão azul e branco, formando silhar e cobertura de madeira em masseira apainelada; comunica com a Casa da Fábrica. Junto ao arco triunfal, retábulo lateral de talha dourada. No lado da Epístola, o púlpito quadrangular, com bacia de granito assente em consola com guarda de madeira torneada com aplicações metálicas e guarda-voz do mesmo material; segue-se a capela lateral, com acesso por arco semelhante ao da capela fronteira, com interior semelhante e cobertura de madeira em masseira simples, tendo retábulo de talha dourada, dedicado ao Sagrado Coração de Jesus. Segue-se retábulo lateral dedicado a Nossa Senhora do Rosário. Arco triunfal de volta perfeita, totalmente revestido a talha dourada que prolonga os retábulos colaterais, dedicados a Santo António (Evangelho) e São José (Epístola). O arco possui duas arquivoltas unidas no sentido do raio, tendo em posição central e cimeira um painel rectangular, encimado por cornija, com a imagem do Crucificado. Capela-mor revestida a azulejo padrão policromo (P-31), com pavimento em lajes de granito e cobertura semelhante à da nave com tirante de metal. No lado do Evangelho, existe uma abertura esquinada para a capela da nave e, no oposto, porta de acesso à sacristia. Sobre supedâneo, retábulo-mor de planta recta e três eixos, definidos por colunas torsas com pâmpanos, assentes em modilhões; no central, mais largo, tribuna com cobertura em falsa abóbada de berço apainelada e trono de quatro degraus, o superior com glória de anjos; os laterais possuem mísulas com imaginária, enquadradas por painéis com acantos e açafates de flores. Lateralmente, duas cortinas pesadas, acharoadas. O remate acompanha a estrutura da cobertura com várias folhas de acanto e quatro anjos encarnados, os centrais ladeando cartela alusiva ao orago. Sobre a banqueta, sacrário em forma de templete, de planta hexagonal, tendo colunas torsas e frisos e cornijas, com a porta decorada por cruz arbórea e encimad por acantos e tiara papal, servindo de suporte ao Crucificado. Altar paralelepipédico com pano, sebastos e sanefa decorados com motivos fitomórficos. Na sacristia, retábulo de talha policroma com a representação do Calvário.

Acessos

Ao Km 17 da EN 226, em Britiande; a 200 m, junto ao cemitério

Protecção

Categoria: MIP - Imóvel de Interesse Público, Portaria nº 740-B/2012, DR, 2ª série, nº 248 de 24 de dezembro de 2012

Enquadramento

Peri-urbano, isolado e destacado, separado por adro horizontalizado artificialmente, e protegido por gradeamento, no cimo dos degraus de acesso, tendo algumas árvores. Situa-se junto ao cemitério.

Descrição Complementar

Capela lateral do Evangelho com retábulo de planta recta e um eixo definido por nicho de perfil curvo, flanqueado por colunas de fuste liso e capitéis coríntios, com remate em espaldar recortado, projectado, ladeados por vasos com flores. Oratório de madeira em branco, formando um nicho assente em pilastras e colunas de fuste liso e capitéis palmiformes, com arco apontado e decoração rendilhada, rematando em espaldar polilobado; altar paralelepipédico com colunas laterais. Capela lateral da Epístola possui retábulo de planta recta e um eixo com nicho rectilíneo, formado pelas quatro colunas coríntias com o terço inferior marcado, as interiores decoradas com grotescos e as exteriores com espiras, assentes em plinto comum, decorado com rosetão. Remate em friso de querubins e cornija, tendo, ao centro, pequeno friso e enrolamentos; altar paralelepipédico de madeira em branco com rosetão inserido em reserva em losango. Retábulos laterais são semelhantes, de planta recta e mísula central, flanqueada por pilastras com fuste fitomórfico e dois pares de colunas torsas com pâmpanos; rematam em tabela rectangular vertical com decoração de acantos, flanqueada por colunas torsas e aletas de acantos; altar em forma de urna. Retábulos colaterais de planta recta, com mísulas centrais flanqueadas por quarteirões no exterior e coluna torsa no interior; remate em friso e cornija, onde assenta a decoração do arco triunfal. Na sacristia, retábulo de talha policroma, de três eixos divididos por pilastras dóricas (interiores) e com fustes entrelaçados nas exteriores; circunscrevem três pinturas sobre tábua, a representar a Virgem e São João, que ladeiam um Crucificado de vulto e, no lado do Evangelho, o "Senhor da Cana Verde" e, na Epístola, "Cristo atado à coluna"; a estrutura assenta em mísulas laterais.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Lamego)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1153, 21 Dezembro - D. Teresa Afonso, viúva de Egas Moniz, residente em Britiande, troca a Igreja de São Silvestre em Britiande, pela de São Salvador de Argeriz; séc. 16 - feitura da pia baptismal; séc. 16 / 17 - execução do retábulo da capela lateral do lado da Epístola e pinturas sobre tábua existentes na mesma; séc. 17 - provável reconstrução do imóvel, com a execução das coberturas em caixotões, púlpito, talha dourada do arco triunfal e retábulos colaterais; pintura do baptistério; 1639, 20 Janeiro - é instituída a Capela dos Passos, por D. António Borges Cerqueira, viúvo de D. Brites Pereira, que lhe vinculou diversos bens de raiz; 1660 - sepultura dos fundadores; 1680 - data provável da execução dos azulejos da capela-mor, talvez numa oficina do Porto (SIMÕES, p. 50); 1710 - datação da pedra decorada na fachada principal; 1758 - nas Memórias Paroquiais, o pároco descreve-a como tendo uma nave antiga, porém muito asseada por dentro, a capela-mor com retábulo dourado com tribuna, as paredes azulejadas e o tecto apainelado de madeira pintado; séc. 18, 2.ª metade - execução das pinturas murais; séc. 19 - remodelação do coroamento da torre sineira; construção do retábulo da capela lateral do Evangelho e oratório; séc. 20 - construção da Casa da Fábrica e alteamento da empena da capela-mor; 2001, 20 Abril - despacho de abertura do processo de classificação; 2001, 10 Setembro - em reunião ordinária da Câmara Municipal de Lamego, foi lido ofício do pároco da igreja, a discordar com a eventual classificação do imóvel, opinião partilhada pelos fregueses; 2012, 12 Junho - Anúncio n.º 12782/2012, DR, 2.ª série, n.º 113, com o projeto de decisão relativo à classificação como Monumento de Interesse Público (MIP).

Dados Técnicos

Estrutura autoportante.

Materiais

Estrutura, cunhais, molduras, cruzes, pináculos, merlões, escultura e nicho da fachada principal, pavimentos, base do púlpito, pias baptismal e de água benta em cantaria de granito; rebocos; portas, coberturas internas, coro-alto, guarda do púlpito, retábulos, oratório, imaginária em madeira; grades das janelas, com vidro simples, colorido na que ilumina o coro-alto, tirante da cobertura da nave, portas da Casa da Fábrica, em ferro; sinos e embutidos do púlpito em bronze; capela-mor e janela da mesma com azulejo padrão; capelas laterais com azulejo industrial.

Bibliografia

COSTA, M. Gonçalves da, História do Bispado e Cidade de Lamego, vols. III e VI, Lamego, 1982 e 1992; FERNANDES, A de Almeida, A História de Britiande, Lamego, 1997; SIMÕES, J.M. dos Santos, Azulejaria em Portugal no século XVII, 2.ª ed., 2 vols., Lisboa, 1997, pp. 50-51; O Compasso da Terra - a arte enquanto caminho para Deus, vol. I, Lamego, Diocese de Lamego, 2006; TAPADINHAS, Maria Albertina, "Lamego medieval", in O Compasso da Terra - a arte enquanto caminho para Deus, vol. I, Lamego, Diocese de Lamego, 2006.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGA/TT: Memórias Paroquiais, VII, n.º 75

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: séc. 20, final da década de 90 - recuperação geral e limpeza, financiado pelo PIDDAC.

Observações

Autor e Data

João Carvalho 2002

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login