Hotel de Santa Luzia / Pousada do Monte de Santa Luzia

IPA.00017346
Portugal, Viana do Castelo, Viana do Castelo, União das freguesias de Viana do Castelo (Santa Maria Maior e Monserrate) e Meadela
 
Arquitectura comercial e turística. Pousada.
Número IPA Antigo: PT011609310233
 
Registo visualizado 1408 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Comercial e turístico  Unidade hoteleira  Hotel  

Descrição

Acessos

Protecção

Enquadramento

Rural, isolado, implantado no cimo do monte de Santa Luzia, a 250 m. de altitude, nas proximidades do Santuário do Monte de Santa Luzia (v. PT011609310117) e das Ruínas da cidade velha de Santa Luzia (v. PT011609050007), de onde se divisa grande parte da costa minhota e o Rio Lima.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Comercial e turística: hotel

Utilização Actual

Comercial e turística: pousada

Propriedade

Privada: pessoa colectiva

Afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITETO: Miguel Ventura Terra (1921); Jorge Segurado (projecto de adaptação); ARQUITETO PAISAGÍSTICO: António Viana Barreto (1954/1966). CONSTRUTOR: Carlos Augusto da Cunha (1900). FIRMAS DE MOBILIÁRIO E DECORAÇÃO: Alcobia (1955); Casa Valmôr (1955); Centro Fornecedor de Móveis (1955); Fábrica Portugal (1955); Fundação Ricardo Espírito Santo (1955); Grandes Armazéns Nascimento (1955); Henrique Soares (1955); Jalco (1955); Júlio Gomes Ferreira (1955); J. T. Costa Guerra (1955); Móveis Costa (1955); Olaio (1955); Raúl Marins (1955).

Cronologia

1890, 17 agosto - construção da estrada e arranjo urbanístico da Estância de Santa Luzia; 1899, agosto - elaboração de projeto para o Santuário de Santa Luzia de Ventura Terra; 1900 - projeto para o Hotel de Santa Luzia, do arquiteto Ventura Terra, tendo como cliente José Domingues de Moraes, comerciante de cereais; a encomenda tinha o intuito de tornar Viana numa estância balnear, do tipo de Biarritz; 22 julho - início da construção do hotel, sendo o construtor Carlos Augusto da Cunha; 1946, 21 dezembro - publicação do Decreto-Lei n.º 36.055, do Ministério das Finanças e das Obras Públicas e Comunicações, com a decisão de aquisição do hotel pelo Estado, integrado num plano mais vasto de revalorização turística do Monte de Santa Luzia, prevendo-se uma "profunda remodelação" do seu edifício; 1953, 6 novembro - a Direção-Geral dos Serviços de Urbanização sugere que a remodelação fosse feita pelo arquiteto Jorge Segurado; o fornecimento do mobiliário e do equipamento seria feito em colaboração entre a CAM e o SNI; 1954, 30 janeiro - a CAM apresenta um Plano de Mobiliário, que tinha em conta "(...) a montagem do Hotel, sem luxos exagerados (...)", devendo no entanto "obedecer às indispensáveis características de asseio e duração e às essenciais condições de comodidade e de conforto requeridas por uma estância de turismo desta categoria"; 28 outubro - o Ministro das Obras Públicas designa o SNI como responsável pelo projeto do mobiliário; 30 novembro - o SNI, encabeçado por Jorge Felner da Costa (Chefe da Repartição de Turismo), apresenta um Estudo de equipamento, mobiliário e decoração onde menciona que não "se executaram os projectos de mobiliário por ter sido informado (...) que competia ao Arquitecto Jorge Segurado realizá-los. No entanto, os cálculos efectuados tiveram sempre o acordo daquele arquitecto (...)"; 1954 / 1955 - elaboração do estudo do ajardinamento do hotel, pela Direcção-Geral dos Serviços de Urbanização (Serviços de Melhoramentos Urbanos); 1954 / 1966 - estudo para a recuperação do jardim pelo arquiteto paisagista António Viana Barreto, o qual incluiu in locu um ensaio para a medição do efeito acidificante da presença das acácias (espécie invasora), no solo; na sequência de descobertas arqueológicas frente à fachada principal, este arquiteto propôs com êxito o desvio do acesso à entrada do hotel; o estudo foi aplicado na recuperação dos jardins; 1955 - sendo Jorge Segurado o arquiteto responsável pelas obras de remodelação e de ampliação do Hotel, ficou também com o cargo de elaboração dos elementos de mobiliário e decoração, com a ajuda de José Luís Brandão de Carvalho (1900-1962), delegado do SNI; fevereiro - Memória Descritiva e Justificativa do Plano Geral de Decoração e dos Projetos do Mobiliário do hotel, assinada por Jorge Segurado, onde se pode ler que o SNI classificou de 1.ª Classe o Hotel de Santa Luzia e que o arquiteto quis dar-lhe "senso funcional" e "sóbria dignidade", que considerava necessários a um imóvel hoteleiro do Estado; Jorge Segurado sugere ainda a distribuição de estátuas no jardim do hotel; realização de concursos para a aquisição do mobiliário e equipamento, adjudicado às firmas Alcobia, Olaio, Centro Fornecedor de Móveis, Jalco, Grandes Armazéns Nascimento, Móveis Costa, Fábrica Portugal, Júlio Gomes Ferreira, Raúl Marins, Fundação Ricardo Espírito Santo, J. T. Costa Guerra, Casa Valmôr, Henrique Soares, entre outras; 19 Agosto - inauguração do hotel, sendo os concessionários os Estaleiros Navais de Viana do Castelo; 1957, 29 agosto - colocação no Hotel da Tapeçaria de Almada Negreiros; 1975, 23 janeiro - a DREMN afirma que o hotel era constituído por um corpo principal (o hotel propriamente dito), o pavilhão do pessoal (situado no edifício da garagem) e a lavandaria; o hotel tinha quatro estrelas e ficou a cargo da Escola de Hotelaria do Hotel de Santa Luzia, sob a responsabilidade de Luís Garcia Contente; 1977, 1 janeiro - início da exploração do hotel pela Enatur; 1982, 21 junho - publicação do Despacho Normativo nº 97/82 transferindo para a ENATUR - Empresa Nacional de Turismo, E.P., o hotel de Santa Luzia, bem como o conjunto de imóveis afetos à exploração daquele estabelecimento.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

FERNANDES, José Manuel, "Pousadas de Portugal. Obras de raiz e em monumentos" in Caminhos do Património, 1999, pp. 159-177; LOBO, Susana, Pousadas de Portugal. Reflexos da Arquitectura Portuguesa no Século XX, Coimbra, Imprensa Universitária de Coimbra, 2006; Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério no ano de 1954, Lisboa, 1955, Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério no ano de 1955, Lisboa, 1956; Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério nos Anos de 1959, 1º vol., Lisboa, 1960; RIBEIRO, Ana Isabel (coord.), Miguel Ventura Terra, A Arquitectura enquanto Projecto de Vida, Câmara Municipal de Esposende, 2006; http://arqpapel.fa.utl.pt/jumpbox/node/74?proj=Hotel+de+Santa+Luzia, 8 Setembro 2011.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSARH, DGEMN/DSPI/CAM, DGEMN/DSID, DGEMN/DSEP, DGEMN/DRMN, DGEMN/DREM

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSConstrução, DSConservação, DGEMN/DSARH-ED, CAM, Curriculum vitae do Arquitecto paisagista António Viana Barreto

Intervenção Realizada

DGEMN: 1959 - Obras de reparação, pelos Serviços de Construção e Conservação.

Observações

Autor e Data

Sofia Diniz 2003

Actualização

Teresa Camara 2005 / Margarida Elias (Centro de Investigação em Arquitectura, Urbanismo e Design (CIAUD-FA/UTL)) 2012
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login