Igreja Paroquial de Cortes / Igreja de Nossa Senhora da Gaiola

IPA.00001732
Portugal, Leiria, Leiria, União das freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes
 
Arquitetura religiosa, barroca. Igreja paroquial de recorte barroco com nave única e comprida; capela-mor com abóbada artesonada.
Número IPA Antigo: PT021009110027
 
Registo visualizado 341 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave única, capela-mor, 2 capelas laterais, torre sineira, sacristia e dependências paroquiais; volumes articulados na horizontalidade; cobertura em telhado diferenciado de 2 águas sobre a nave, disposto transversalmente sobre as capelas laterais e sobre a sacristia, de 4 águas sobre as dependências paroquiais, a domo no coruchéu. Frontispício orientado a O. delimitado por cunhais de cantaria, com remate em empena angular sobrepujado por 2 fogaréus e cruz em pedra; destaca-se sobre o pórtico e entre 2 amplos janelões nicho que alberga uma composição escultórica da coroação da Virgem por dois anjos. A par da fachada, avulta a torre sineira de secção quadrada aberta ao nível do 2º piso por postigos sobrepujados por relógio em cada uma das faces, sobre o 3º piso, delimitado por cornijas salientes e aberto por 4 sineiras, ergue-se coruchéu piramidal flanqueado por 4 pináculos e rematado por cruz com catavento. Fachada S.: proeminência da torre e adossamento da capela lateral e dependência paroquial (aberta por 3 janelas e porta) ao corpo da capela-mor e da nave com 3 janelões gradeados e porta com frontão curvo com anjo no tímpano sobrepujado por cruz relevada. Fachada E.: pano delimitado por cunhais de cantaria aberto por janela e janelão gradeados rematado em empena triangular com tímpano de cornija saliente ladeado por pináculos; pano cego em empena angular. Fachada N.: avançamento da capela lateral e da sacristia (um pouco mais recuada) abertas por janelas e porta; corpo da nave em empena recta, diferenciado do corpo da capela-mor. INTERIOR: nave única de pavimento em mosaico, revestimento azulejar de padrão azul e amarelo a meia-altura, cobertura em caixotões estucados e pintados dispostos em 5 planos alusivos à ladaínha da Virgem. Do lado da Epístola capela com altar de colunas pseudosalomónicas contendo imagem do Senhor dos Passos e do lado do Evangelho capela com grupo escultórico incompleto do Calvário. Flanqueado por 2 altares, arco triunfal pleno decorado com um relevo de estuque representando Nossa Senhora da Misericórdia, abre para capela-mor com tecto de artesões firmados por bocetes e altar-mor de talha dourada com trono. Sob o coro-alto de balaustrada, 2 pias de água benta de pedraria lavrada sendo uma delas (Epístola) quinhentista. Iluminação feita por janelas do coro-alto, nave e capela-mor.

Acessos

Largo da Igreja

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, implantação destacada e harmoniosa frente a casario e à Casa-Museu João Soares.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Leiria - Fátima)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 17

Arquitecto / Construtor / Autor

ENTALHADORES: Manuel Duarte (1720); Manuel Ferreira (1720).

Cronologia

1550 - no reinado de D. João III, o bispo D. Brás de Barros erigiu a ermida de Nossa Senhora da Gaiola, do Lugar das Cortes, para os moradores do mesmo lugar e vizinhos, enquanto se não fizesse a Sé, para onde os havia de mudar; 1592 - D. Pedro de Castilho, bispo de Leiria (1583 a 1604) levantou em definitivo a ermida das Cortes em Freguesia; 1607 - já no período filipino, inaugura-se a nova igreja paroquial, tendo o bispo D. Martim Afonso Mexia mandado demolir a velha ermida; 1720, 13 novembro - contrato com o mestre entalhador Manuel Duarte para a feitura do retábulo-mor da igreja, conforme risco do entalhador Manuel Ferreira, natural de Leiria (FERREIRA, vol. II, p. 538); 1755, 01 novembro - o terramoto abalou a igreja não causando prejuízo de monta; 1767 - data de um dos sinos; 1996, 20 fevereiro - incêndio destrói parte da igreja, reduzindo a cinzas o retábulo do altar-mor, setecentista.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes e estrutura mista.

Materiais

Alvenaria e cantaria; mosaico; telha; estuque; azulejos; talha.

Bibliografia

AAVV, Caminhos do Espírito, Percursos da Arte, Região de Turismo Leiria / Fátima; Leiria, 2004, pp. 59-62; FERNANDES, Maria João Vieira, Cortes - Breve História, Fundação Mário Soares, Casa Museu, Centro Cultural João Soares; FERREIRA, Sílvia Maria Cabrita Nogueira Amaral da Silva, A Talha Barroca de Lisboa (1670-1720). Os Artistas e as Obras, Lisboa, Dissertação de Doutoramento em História da Arte apresentada à Faculdade de Letras de Lisboa, 2009, 3 vols.; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, Vol. V, Lisboa, 1955.

Documentação Gráfica

CMLeiria: planta cartográfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 1995 - renovação do sistema eléctrico; 1998 - obras de reconstrução e restauro provenientes do incêndio: recuperação da capela-mor (*1).

Observações

*1 - obra financiada pelo MEPAT - PIDDAAC - DGOTDV. A abóbada da capela foi reconstruída na Escola de Canteiros do Mosteiro da Batalha.

Autor e Data

Lurdes Perdigão 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login