Capela de São Sebastião das Carvalheiras

IPA.00001729
Portugal, Braga, Braga, União das freguesias de Braga (Maximinos, Sé e Cividade)
 
Arquitectura religiosa, barroca e neoclássica. Igreja barroca, com planta centrada, oitavada, capela-mor e sacristia rectangulares e torre sineira nas traseiras, seguindo a tradição bracarense. Fachadas ritmadas por pilastras toscanas e a fachada principal com portal de verga recta e frontão triangular interrompido. Pináculos e cruz sobre acrotério. Decoração interior com azulejos barrocos joaninos e retábulos de talha neoclássicos. Excelente exemplar de igreja de planta centrada oitavada, barroca, com corpos avançados e terminados em empenas nas três faces maiores e interiormente forrada a azulejos historiados que relatam a vida e martírio de São Sebastião.
Número IPA Antigo: PT010303070069
 
Registo visualizado 904 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta centrada, composta por nave única octógonal, sacristia rectangular e torre sineira quadrangular dispostos sequencialmente. Volumes articulados com coberturas diferenciadas com telhados de oito, duas e quatro águas. Nave com pequeno corpo avançado e terminado em empena nos três alçados maiores e com pilastras toscanas nos cunhais; Na fachada principal, forrada a azulejos, pórtico de frontão triangular interrompido, com o brasão do Arcebispo Dom Rodrigo de Moura Teles no tímpano e a imagem do patrono sobrepujando o frontão, com cruz latina sobre a empena. Alçados laterais semelhantes, rasgados por porta e janelão rectangular assente na cornija e dois janelões rectangulares na capela-mor. Na sacristia duas portas e um janelão na fachada a N. e uma janela quadrangular encimada por outra rectangular a S. Torre sineira delimitada por cunhais de cantaria e três registos, tendo, no inferior pequena janela rectangular encimada por nicho, no intermédio janela rectangular e no superior três sineiras em vão de arco de volta perfeita e a nascente pequena janela rectangular. Remate em pináculos sobre os cunhais e cobertura piramidal com catavento. Interior forrado de azulejos historiados azuis e brancos, com a data de 1717 inscrita numa cartela, coro-alto sobre arco abatido e balaustrada de madeira e sub-coro com duas pias de água benta, em granito, cerrado por para-vento. Colateralmente duas capelas de arco pleno com retábulos de talha, dois púlpitos quadrados com base de pedra sobre mísula, guardas de ferro e pias de água benta. Arco-triunfal de volta perfeita sobre pilastras, sobrepujado por sanefa em talha e brasão do Arcebispo Dom Rodrigo de Moura Teles, ladeado pelos altares de Nossa Senhora da Ajuda e São Sebastião e tábuas pintadas com os quatro Evangelistas. No sentido S. - N. duas falsas portas, a primeira preenchida com pintura do Senhor dos Aflitos. Tecto oitavado, estucado e pintado com os símbolos do martírio de S. Sebastião, rodeando um florão. Capela-mor com azulejos historiados azuis e brancos, quatro janelões rectangulares e duas portas com sanefas de talha, altar-mor com retábulo de talha polícroma e painel de tela figurando São Sebastião. Tecto de perfil curvo de estuque pintado com o símbolo AM rodeado por florões. Sacristia, onde se destaca um arcaz sobre um estrado rectangular, um pequeno armário embutido, e porta por onde se acede à torre sineira por escada de madeira. Tecto de madeira. Sobre esta, a Casa da Mesa apresenta planta rectangular e colateralmente dois grandes guarda-roupas e duas portas, por onde se chega a um trono existente atrás do painel do altar-mor que é amovível e que serve para expôr o Santíssimo em dias festivos. Tecto em masseira.

Acessos

Rua de São Sebastião; Largo Paulo Orósio; Rua Matadouro. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,547591, long.: -8,429070

Protecção

Em estudo

Enquadramento

Urbano, isolada numa elevação sobranceira ao Campo das Carvalheiras, rodeada por oliveiras, num largo murado a que se acede por escadaria em pedra com dois lanços, cerrado por portão de grades de ferro.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Braga)

Afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Engenheiro: Manuel Pinto Vilalobos; Pedreiro: Mestre Manuel Fernandes da Silva.

Cronologia

1348 - Primeiras referências à Confraria de S. Sebastião; 1715 - projecto de construção da capela, feito pelo engenheiro Manuel Pinto Vilalobos; 1717 - construção da capela e colocação dos azulejos; sec. 19 - provável feitura dos retábulos.

Dados Técnicos

Estrutura mista.

Materiais

Granito na estrutura, púlpitos, pias de água benta, pavimentos e escadas; madeira no soalho, altares, sanefas, órgão, arcaz, guarda-roupas, balaústres; azulejos nas paredes; tijoleira no pavimento do coro-alto; cobertura em telha.

Bibliografia

SIMÕES, J. M. dos Santos, Azulejaria em Portugal no século XVIII, Lisboa, 1978; VvAa, Dicionário da Arte Barroca em Portugal, Lisboa, 1989; SOROMENHO, Miguel, Manuel Pinto Vilalobos, Lisboa, UNL, 1991, (Dissertação de mestrado); ROCHA, Manuel Joaquim Moreira da, Manuel Fernandes da Silva mestre e arquitecto de Braga, Porto, FLUP, 1995, (Dissertação de mestrado).

Documentação Gráfica

DREMN; DGEMN, DSID

Documentação Fotográfica

DGEMN, DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Fábrica da Igreja: 1995 - Restauro do tecto da nave e da capela-mor.

Observações

Autor e Data

João Santos / António Dinis 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login