Hospital de São Marcos

IPA.00001719
Portugal, Braga, Braga, União das freguesias de Braga (São José de São Lázaro e São João do Souto)
 
Hospital construído em estilo barroco.
Número IPA Antigo: PT010303410018
 
Registo visualizado 1442 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Saúde  Hospital    

Descrição

A fachada, saliente e convexa é ladeada pelos dois corpos do edifício hospitalar. A composição do imóvel, denota claramente uma simetria, com a fachada da igreja em posição central e de acentuada verticalidade (torres sineiras), em contraposição com horizontalidade dos corpos do edifício hospitalar. O edifício é encimado por oito imagens que se dispõem ao longo da balaustrada e que representam, em tamanho natural, mártires e apóstolos, da autoria de Carlos Amarante.

Acessos

Largo Carlos Amarante

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 40 684, DG, 1ª Série, nº 146 de 13 julho 1956 / ZEP, Portaria DG, 2ª Série, nº 105 de 05 maio 1970 (Fachada principal) *1

Enquadramento

Urbano. A fachada abre para uma praça, planeada com simetria. O conjunto da edificação é ladeada por um conjunto de arruamentos, formando um quarteirão com leitura isolada.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Saúde: hospital

Utilização Actual

Saúde: hospital

Propriedade

Privada: misericórdia

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Arquitecto: Carlos Amarante, Carlos António Leone, João de Barros Vasconcelos Esteves (n. 1924); Desenhador: Padre João Peixoto (rascunho e planta do retábulo-mor); Engenheiro: Manuel Pinto Vilalobos; Ensamblador: Leandro da Silva; Pedreiro: José Fernandes da Graça, Domingos Fernandes, Francisco da Mota; Pintor: Domingos Teixeira Fânzeres.

Cronologia

Séc. 12 - Havia naquele local uma albergaria e convento da Ordem dos Templários que albergava as relíquias de São João Marcos; 1312 - extinção do convento, sendo aproveitado pelo cónego da Sé Diogo Gonçalves para um hospital; 1508 - o arcebispo D. Diogo de Sousa amplia o hospital juntando-lhe cinco ou seis gafarias espalhadas pela cidade; 1516 - o arcebispo D. Diogo de Sousa manda colocar as relíquias de São Marcos *2, que anteriomente estavam na Capela do Espírito Santo; 1668, 29 Maio - Leandro da Silva contrata o retábulo-mor e duas imagens do mesmo (São Cosme e São Damião) para a igreja; 1718, 27 Abril - o arcebispo D. Rodrigo de Moura Teles promove a transladação das relíquias de São João Marcos para um sepulcro de mármore, mandado fazer em Roma, e colocado junto ao altar-mor; 1720 - orientação de obra e execução de vários projectos feitos pelo engenheiro Manuel Pinto Vilalobos, muitos deles recusados pela irmandade; obras de pedraria realizadas por Manuel Fernandes da Silva; parte da obra teve de ser demolida por erros do empreiteiro; 1722 - colaboração de um engenheiro anónimo nas obras do hospital; 1732 - vistoria da obra pelo referido engenheiro; 1735, Fevereiro - Carlos António Leone desenha uma nova fachada para a igreja e o claustro; 1759, Julho - contrato de obras de pedraria no hospital com Domingos Fernandes e Francisco da Mota; 1780 - reconstrução do hospital segundo projecto de Carlos Amarante, sendo as obras foram dirigidas por José Fernandes da Graça, o Landim; 1805 - apesar das obras não estarem concluídas já havia culto na igreja; 1836 - conclusão de obras na igreja; 1875, 4 Dezembro - a Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição passa a apoiar e ajudar na actividade do hospital; 1906 / 1908 - o pintor Domingos Teixeira Fânzeres executa diversas pinturas; 1956 / 1959 - construção do novo bloco de internamento na cerca do velho edifício e ligado com ele por uma galeria coberta, pela Comissão de Construções Hospitalares, com projecto do Arq. João de Barros Vasconcelos Esteves. O pavilhão denominado "Hospital Novo" ou "Pavilhão Sul" é construído em regime de colaboração e comparticipação entre a Santa Casa da Misericórdia e o Estado, e inaugurado em 25 de Junho de 1960; 1961, 28 Outubro - inauguração da Escola de Enfermagem e Lar de Enfermeiras, com presença do Chefe de Estado e do Ministro da Saúde e Assistência; 2007, 25 Março - após um periodo de obras de restauro a igreja é reaberta ao culto pelo Arcebispo Primaz D. Jorge Ortiga; 2008, 28 agosto - proposta da DRCNorte para a revisão da ZEP; 1 outubro - parecer favorável do Conselho Consultivo do IGESPAR; 2009, 7 outubro - despacho de homologação da Ministra da Cultura; 2017, março - Bernardo Reis, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Braga, revela que a Direção-Geral do Património Cultural e a Direção Regional de Cultura do Norte já aprovaram a instalação hoteleira, denominada Hotel Vila Galé, no edifício do Hospital de São Marcos, devendo abrir na primeira metade de 2018; o hotel, corresponderá a um investimento de mais de seis milhões de euros, e terá 127 quartos, salão de convenções para mais de 300 pessoas, dois restaurantes, bar, adega, biblioteca, piscinas exteriores e interior, SPA, ginásio, sala de massagens, jardim interior e estacionamento.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Paredes exteriores em granito.

Bibliografia

BRANDÃO, Domingos de Pinho, Obra de Talha Dourada, Ensamblagem e Pintura na Cidade e Diocese do Porto, Doc. I, Séc. XV a XVII, Porto, 1984; CUNHA, Secundino, Igreja mostra mausoléu de São Marcos, in Correio da Manhã, 25 Março 2007, p. 57; FERREIRA, José Carlos - «Hotel Vila Galé no antigo S. Marcos de abrir nos inícios de 2018» In Diário do Minho. 12 março 2017, p. 4; Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério no ano de 1956, Lisboa, 1957; Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério nos anos de 1957 e 1958, 1º e 2º Volumes, Lisboa, 1959; Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério nos Anos de 1959, 2º Volume, Lisboa, 1960; Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério no Ano de 1961, 1º Vol., Lisboa, 1962; Misericórdia de Braga aposta na recuperação do património, in Diário do Minho, 29 Novembro 2005, p. 10; OLIVEIRA, Eduardo Pires de, O edifício do Convento do Salvador - De mosteiro de freiras ao Lar Conde de Agrolongo, Braga, 1994; SOROMENHO, Miguel, O alpendre da Irmandade do Santíssimo Sacramento da Matriz de Viana, in Monumentos 22, Lisboa, Abril, 2005; Santa Casa da Misericódia, in Diário do Minho, 28 Outubro de 2006, p. 3.

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN:DREMN/DE/DM

Documentação Fotográfica

DGEMN: DGEMN:DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

SCMB: 1905 - obras de remodelação; 1936 - travação das paredes; reconstrução das coberturas; 1948 - obras de reparação geral realizadas; Comissão de Construções Hospitalares: 1957 / 1958 - obras do bloco de internamento: execução de tosco, instalações de água e electricidade, início dos acabamentos e fornecimento de equipamento; SCMB: 2004 - início da recuperação do órgão da igreja; 2005 / 2006 - obras e remodelação da farmácia; 2005 - restauro da igreja, incluindo o restauro dos retábulos laterais; 2006 - continuação do restauro da igreja, incluindo: pintura e douramento da cúpula e tectos, restauro do retábulo-mor, grades da cúpula, colocação de vidros, renovação da instalação eléctrica, colocação de sistema anti-roubo e anti-incêndio.

Observações

No local onde existia uma capela dedicada a São Marcos e a gafaria, mandou o arcebispo D. Diogo de Sousa, edificar em 1508 o Hospital de São Marcos, cujo túmulo em jaspe branco trabalhado em mosaico, o prelado fez transladar para a igreja, onde se venera na capela-mor; *1 - DOF:A fachada principal do Hospital de São Marcos e a da respectiva Igreja; *2 - São Marcos morreu no séc. 3, tendo as suas relíquias sido trazidas para Braga, no séc. 12, pelo cavaleiro templário D. Gualdim Pais.

Autor e Data

Isabel Sereno e João Santos 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login