Igreja Paroquial de Alte / Igreja de Nossa Senhora da Assunção

IPA.00017070
Portugal, Faro, Loulé, Alte
 
Arquitectura religiosa, manuelina, barroca. Igreja paroquial do tipo mendicante com portal principal, arco triunfal e cobertura da capela-mor, manuelinos, com decorações torçais e finos colunelos; retábulo colateral em talha dourada com colunas salomónicas, e azulejaria da capela-mor com anjos músicos, barrocos. Portal principal caracterizado por duas cantarias sendo a interna definida por arco em asa de cesto e a externa por arco canopial. Retábulos no lado do Evangelho idênticos caracterizados por madeira polícroma, decorados com aplicações em talha dourada no intradorso e extradorso do arco a pleno centro. Capela-mor com cobertura em abóbada de cruzaria de ogivas sobre pendentes, decorada por azulejos azuis e brancos representando anjos músicos.
Número IPA Antigo: PT050808020021
 
Registo visualizado 195 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta por três naves e quatro tramos, capela-mor, sacristia a N. e anexos a S. e N.; volumes escalonados, massas dispostas na vertical com cobertura diferenciada em telhado de duas águas para nave, capela-mor e sacristia, uma água para anexos. Fachada principal a O. de dois panos compostos por: pano principal de dois registos caracterizado por portal ladeado por dois túmulos, com duas cantarias, sendo a interna definida por arco em asa de cesto assente em dois colunelos sobre base, e a externa, definida por arco canopial por base geminada com a anterior, com colunelo torçal, interrompido por capitel decorado com folhagens, rematado com pequena corda que segue dos outros capiteis continuando para cima com a mesma decoração, ladeado por dois pináculos em baixo relevo; entre os dois a data de 1829, subdividida em dois, colocada de cada lado da tarja que o remata; sobrepondo-lhe janelão de cantaria de verga curva, ladeado por janelas em quadrifólio, de cantaria rematado por pequeno frontão triangular decorado ao centro com motivos florais, encimado pelo remate da fachada, definido por empena com cruz de ferro sobre pedestal, ao centro; segundo pano definido por torre sineira a S., ladeada por cunhais, definida por túmulo e fresta no primeiro registo, relógio e campanário no segundo e rematada por coruchéu ladeado por quatro pináculos. Fachada lateral S. composta por: dois pequenos túmulos, porta em cantaria de verga recta de entrada para anexo, e janela em cantaria. Fachada lateral N. composta por articulação de volumes entre capela, nave e anexos, definida por pequenos túmulos intercalados por janela de cantaria de verga recta, porta para sacristia sob sineira de vão único. INTERIOR: igreja salão de três naves e quatro tramos com púlpito quadrangular em madeira polícroma em tons de rosa, azul e verde, cobertura em masseira com coroa real ao centro, iluminada por janelão rectangular, gradeado, sobre portal principal e duas janelas laterais, dando para coro-alto alto de madeira com balaustrada achatada, de acesso por porta interior junto a entrada principal, do lado do Evangelho. Deste lado temos: confessionário em madeira; quatro retábulos em arco de volta perfeita, em madeira polícroma, caracterizados por aplicações em talha dourada no intradorso e extradorso do arco, com motivos vegetalistas e florais, dedicados a São Francisco, em tons de castanho e verde, com frontão de altar em forma de sarcófago, encimando, por imagem do padroeiro ao centro, ladeada por duas imagens em falsos nichos; o de Nossa Senhora das Dores, caracterizado por tom de azul e rosa com imagem central da padroeira em nicho plano fechado e elevado sobre dois falsos nichos laterais com imagens de Santa Efigénia e do Menino Jesus; terceiro em tons de rosa caracterizado por nicho central, fechado, sobre frontão de altar em forma de sarcófago, ladeado por duas peanhas onde assentam duas imagens; o quarto corresponde à capela do Senhor Jesus, com frontão de altar em forma de sarcófago com imagem de Cristo Morto, à qual se sobrepõe, ao centro, imagem de Cristo Crucificado, ladeado por duas imagens em nicho. Lado da Epístola caracterizado por porta de cantaria de verga recta, de acesso à sineira; confessionário de madeira; baptistério com pia baptismal de cantaria, janela quadrilobada; retábulo da capela das Almas, em arco de volta perfeita e aduela central com inscrição de 1637, com frontão de altar em forma de sarcófago decorado com aplicações em talha dourada, e sobre este, imagem do arcanjo de São Miguel ao centro em nicho plano, sobre peanha com cabeça de anjo, ladeado por duas imagens, Menino Jesus e Santa Ana, assentes em friso sobre frontão de altar, encimado por decorações ondulantes em castanho com aplicações em talha dourada; porta em cantaria de verga recta para o exterior; retábulo de características idênticas aos do lado do Evangelho, decorado no intradorso por azulejos tipo tapete em tons de verde, azul e amarelo, tendo como padroeiro São Sebastião ao centro em nicho, ladeado por duas telas rectangulares. Arco triunfal de volta perfeita, em cantaria, caracterizado por colunelo torçal sobre base hexagonal, geminada a colunelo simples, decorado, no extradorso, por frontão retabular em madeira polícroma em tons de azul, cinza e verde, encimado por cruz de madeira, decorado ao estilo dos retábulos do lado do Evangelho e Epístola; ladeado por duas capelas retabulares, sendo a da esquerda dedicada ao Santíssimo com sacrário ao centro sobreposto por baldaquino, ladeado por imagem do Sagrado Coração de Jesus, à esquerda, e Nossa Senhora de Fátima, à direita, rematado, lateralmente, por duas colunas estriadas e encimado por frontão de lanços curvos com moldura oval graciando um ostensório em talha dourada em baixo relevo; o da direita é dedicado à imagem de Nossa Senhora do Rosário, ao centro, sobre tribuna assente em frontão de altar em madeira polícroma encimado por baldaquino, ladeada à esquerda pela imagem de Santa Margarida e à direita por Santa Teresa, encimados por entablamento e decorações vegetalistas em talha dourada. Capela-mor com duas portas em cantaria, dando a da esquerda para Sacristia e a da direita para sala anexa; mesa de altar em madeira; frontão de altar em caixa e de madeira polícroma, sobreposto por retábulo em madeira em tons de azul definido ao centro por tribuna envolta em aplicações em talha dourada, ladeada por dois pares de colunas estriadas a talha dourada, envolvendo imagens, com entablamento encimado por decorações; cobertura em abobada de cruzaria de ogivas sobre pendentes com pedras de fecho, decoradas com azulejos azuis e brancos representando anjos músicos rodeados por nuvens e cabeças de serafins. Sacristia a N., rectangular, com escadas de acesso a traseiras do retábulo-mor, onde se encontram as imagens em madeira de Nossa Senhora do Carmo, São José, São Pedro e Nossa Senhora da Assumpção; duas tábuas representando São Lourenço e São João Baptista, envolvendo pintura de Cristo sobre tecido; e duas bandeiras.

Acessos

Largo da Igreja, Rua do Prior

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público / ZEP, Portaria n.º 616/2013, DR, 2.ª série, n. º182, de 20 setembro 2013

Enquadramento

Urbano, meia encosta, flanqueado por adro a O. e S. e por rua a N. e E.; integrado no centro da povoação de características vernaculares de habitações com três pisos no máximo.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese do Algarve)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 13 / 16 / 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 13 - fundação da Igreja Matriz; 1517 / 1518 - terá sido reconstruída pelos moradores; 1538 - reconstrução ao nível da cobertura da capela-mor e portal principal; 1554 - é sede de freguesia; séc. 16 - colocados os azulejos na capela lateral da Epístola dedicada a São Sebastião; séc.16, finais - elaboração das duas tábuas pintadas que se encontram na sacristia; séc. 18, 1ª metade - colocados os azulejos na capela-mor; 1735 / 1751 - construído o retábulo colateral dedicado a Nossa Senhora do Carmo; 1755 - o terramoto provocou alguns danos na igreja, tendo-se aberto os dois óculos elípticos no frontispício, renovou-se a ornamentação interior das capelas, aproveitamento dos azulejos da Capela de Nossa Senhora do Carmo para a escadaria do púlpito; 1751 / 1789 - as quatro capelas do lado do Evangelho foram decoradas com aplicações em talha dourada; 1829 - construiu-se uma nova empena em massa e abriu-se um janelão emoldurado de cantaria rematado por frontão triangular na fachada principal; fez-se o engrossamento com argamassa das arcarias e das colunas, incluindo embasamentos, fustes e capiteis; e fez-se a colocação de novos retábulos de madeira em diversas capelas; 1999, 22 fevereiro - Proposta de abertura do processo de classificação pelo IPPAR/DRFaro; 1999, 24 fevereiro - Despacho de abertura do processo de classificação pelo Vice-Presidente do IPPAR; 2003, 7 maio - Parecer do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como IIP - Imóvel de Interesse Público; 2003, 26 maio - Despacho de Homologação de classificação como IIP - Imóvel de Interesse Público, pelo Ministro da Cultura.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes (corpo dsa naves) e estrutura autónoma (capela-mor)

Materiais

Alvenaria, telha, madeira nas portas, tecto, coro-alto, púlpito, retábulos, talha dourada em retábulos, azulejaria na capela-mor e escadaria do púlpito.

Bibliografia

OLIVEIRA, Ataíde, Monografia do concelho de Loulé, Faro, 1998.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Patrícia Viegas 2000

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login