Mercado Municipal de Olhão

IPA.00017032
Portugal, Faro, Olhão, Olhão
 
Arquitectura comercial, do ferro. Mercado municipal de planta rectangular, composto por dois corpos idênticos (erguidos sobre estacaria ligada por arcos de alvenaria de tijolo, de forma a ganhar espaço à Ria), com torreões circulares nos ângulos, construido segundo um esquema-tipo de arquitectura do ferro e do vidro. A estrutura metálica é forrada a tijolo aparente e os torreões possuem cobertura em cúpula metálica. Interior com acessos axiais. Exemplo mais acabado de arquitectura do ferro em Olhão e no próprio Algarve. Edifício com enorme impacto urbanístico, edificado para dotar a cidade de mercados exemplares em termos funcionais, aliando a essa intenção o objectivo de modernizar os sectores produtivos agrícolas e pesqueiros do concelho.
Número IPA Antigo: PT050810030030
 
Registo visualizado 748 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Comercial  Mercado    

Descrição

Planta longitudinal regular, composta por dois espaços rectangulares de vértices arredondados, delimitados cada por quatro torreões circulares nos extremos, correspondendo ao Mercado das Verduras (a E.) e ao Mercado do Peixe (a O.). Volumes articulados dispostos horizontalmente com cobertura diferenciada em telhado de quatro águas sobre o espaço central, cúpula circular sobre os torreões e duplo telhado de duas águas sobre o lanternim que ilumina verticalmente o interior. Fachada principal a O. organizada a dois registos, protótipo de todas as restantes fachadas do edifício; primeiro registo: portão principal ao centro, de arco recto e ocupando toda a altura do registo, ladeado por duas portas de arco recto mas de menores dimensões, separadas por bandas verticais de ferro que funcionam como pilastras; nos extremos S. e N., respectivamente orientadas nos sentidos NO. e SO. abrem-se duas portas idênticas que estabelecem a intersecção com as fachadas laterais. No Mercado da Verdura, do lado N. do portal, duas lápides inscritas.. O segundo registo separa-se do primeiro através de um ligeiro alpendre inscrito na caixa murária da fachada e compõe-se de uma massa uniforme sem decoração, à excepção de bandas de pilastras colocadas no prolongamento superior dos vãos do registo inferior, e dois modilhões de ferro forjado que arrancam das esguias pilastras do primeiro registo e suportam um segundo alpendre; sobre o portal principal um respiradouro rectangular que ocupa todo o registo, composto por bandas horizontais de ferro; torreões circulares dos extremos definem um terceiro registo, com três janelas rectangulares dispostas horizontalmente, a central sobre os vértices SO. e NO. do rectângulo inferior e as restantes abrindo a S. a O. e a N.. Fachada posterior a E. idêntica à principal. Fachadas laterais simétricas e organizadas segundo um esquema comum: no primeiro registo, portão central idêntico ao principal, ladeado por séries de seis portas menores; segundo registo: respiradouro ao centro, sobre o portal, e série de pilastras intercaladas com os modilhões em ferro que sustentam o segundo alpendre; acima deste desenvolve-se uma banda de fenestrações horizontais que filtram luz para o interior, sobre as quais descarrega então o telhado. INTERIOR: Espaço único iluminado naturalmente através dos vãos das fachadas e superiormente pelo lanternim, organizado a partir de um duplo eixo de circulação E. - O. e N. - S. que coloca em comunicação os quatro portais de acesso ao interior; a partir dos portais principais, colocados a E. e a O., o espaço de circulação inflecte para os extremos do rectângulo, definindo dois corredores que percorrem ao longo das fachadas laterais, criando um amplo espaço central de exploração comercial individual, interrompido pelo eixo N. - S. proporcionado pelos portais laterais; tecto de telha metálica suportado por uma complexa rede de asnas de ferro que arrancam ao nível do segundo alpendre exterior.

Acessos

Avenida 5 de Outubro

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público / ZEP, Portaria n.º 224/2013, DR, 2.ª série, n.º 72 de 12 abril 2013

Enquadramento

Urbano, orla marítima, isolado. Mercado implantado sobre a antiga praia de pescadores, a S. do centro histórico de Olhão e mantendo uma relação urbanística com a praça principal do aglomerado, a Pç. Patrão Joaquim Lopes, onde se situa a Antiga Alfândega (v. PT050810030029).

Descrição Complementar

INSCRIÇÕES: Lápides na fachada do Mercado das Verduras: "ESTES MERCADOS MUNICIPAIS FORAM / INAUGURADOS EM 3 DE JULHO DE 1998, / APÓS PROFUNDAS OBRAS DE RECUPERAÇÃO, / POR SUA EXª. O SENHOR MINISTRO / DO EQUIPAMENTO DO PLANEAMENTO / E ADMINISTRAÇÃO DO TERRITÓRIO / ENG. JOÃO CRAVINHO" e "CÂMARA MUNICIPAL DE OLHÃO // RECUPERAÇÃO E REABILITAÇÃO / DOS MERCADOS MUNICIPAIS (...)".

Utilização Inicial

Comercial: mercado

Utilização Actual

Comercial: mercado

Propriedade

Pública: Municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1866 - Criação do primeiro mercado coberto para vende de peixe; 1871 - Criação de um mercado diário de hortaliças, frutos secos e verduras no adro lateral da Igreja Paroquial; 1899 - Criação de um mercado mensal de gado e de um mercado semanal de cereais, farinhas, legumes e frutos secos; 1915 - Inauguração dos Mercados de Pesca e Hortaliças, mandados construir pela Câmara Municipal; 1966 - a obra de Ajardinamento da Av. Cinco de Outubro, a E. e O. dos mercados de Olhão, da iniciativa e responsabilidade da Câmara Municipal de Olhão, é incluída no Plano Comemorativo do Ministério das Obras Públicas (40.º aniversário da Revolução Nacional). O seu custo, de 100 cts., é subsidiado em 40 cts. pelo Fundo de Desemprego, por intermédio da Direcção-Geral dos Serviços de Urbanização (MOP 1966, 2.º vol. p. 395); 1997 - Projecto de remodelação e reabilitação dos dois mercados municipais; 1998, 3 de Julho - Reabertura dos mercados; 2006, 20 setembro - Requerimento de classificação pela APOS; 2006, 6 novembro - Proposta de abertura do processo de classificação pelo IPPAR/DRFaro; 2006, 22 novembro - Despacho de abertura do processo de classificação pela Vice-Presidente do IPPAR; 2012, 13 março - Proposta da DRCAlgarve para a classificação como MIP - Monumento de Interesse Municipal; 2012, 20 março - Proposta de ZEP pela DRCALgarve; 2012, 9 maio - Parecer favorável relativo à classificação e à ZEP pela SPAA do Conselho Nacional de Cultura; 2012, 22 outubro - Anúncio n.º 13609/2012 publicado no DR, 2.ª série, n.º 204, de projeto de decisão de classificação como MIP e fixação de ZEP.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma

Materiais

Ferro, tijolo, vidro, madeira

Bibliografia

PORTUGAL - MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, Plano Comemorativo: 1966 / Ministério das Obras Públicas, s.l., s.n., 19- [Lisboa, Tip. E.N.P.]; NOBRE, Antero, Cronologia geral da História de Olhão da Restauração, separata de A Voz de Olhão, Olhão, 1986.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1997: CMO - Remodelação dos Mercados Municipais de Olhão (Empreiteiro Geral: Teixeira Duarte S. A.; Projectista: Risco, Lda.; Fiscalização: AvalEuropa, Lda.)

Observações

Autor e Data

Paulo Fernandes 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login