Casa de São Brás da Torre / Quinta de São Brás da Torre

IPA.00016420
Portugal, Braga, Braga, Figueiredo
 
Quinta setecentista.
Número IPA Antigo: PT010303150157
 
Registo visualizado 93 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Quinta    

Descrição

Conjunto composto pela casa principal, capela, cruzeiro e dependências agrícolas, nomeadamente espigueiros e portal ameado. Casa principal de planta retangular, irregular, desenvolvida longitudinalmente, com fachadas abertas por vãos de verga recta de ritmo regular e simétrico. Acede-se à entrada principal, no andar nobre, protegida por alpendre, através de uma escadaria iniciada por volutas. Na fachada ocidental conserva-se o brasão de armas de António Jácome. No INTERIOR, a divisão do espaço respeita o critério funcional mais comum, com lojas no piso térreo reservando para o andar nobre a área residencial. A CAPELA,em cantaria, encontra-se separada do edifício, é delimitada por pilastras nos cunhais, rematadas por pináculos, e termina em frontão triangular com nicho aberto no tímpano. O portal, recto e sobrepujado por frontão triangular, é flanqueado por duas janelas quadradas de dimensões reduzidas. No INTERIOR, possui retábulo barroco, com colunas torsas, integrando quatro pinturas representando Santo António, Nossa Senhora da Conceição, São Francisco e a Virgem com o Menino. Na sacristia regista-se uma outra alusiva a Nossa Senhora das Dores.

Acessos

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público / ZEP, Portaria n.º 740-CC/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 de 24 dezembro 2012

Enquadramento

Urbano, isolado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: quinta

Utilização Actual

Residencial: quinta

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

Séc. 18 - contrução provável da casa; 1998, 23 Fevereiro - despacho de classificação do Vice-Presidente do IPPAR; 2003, 5 Fevereiro - proposta da DRPorto para a classificação como IIP; 2010, 14 Maio - nova proposta da DRCNorte; 2011, 1 Julho - nova proposta da DRCNorte para a classificação como CIP; 2012, 11 Janeiro - parecer da SPAA do Conselho Nacional de Cultura a propor a classificação como MIP; 2012, 26 setembro - publicação do projeto de decisão de classificação como Monumento de Interesse Público e fixação da respetiva Zona Especial de Proteção, em Anúncio n.º 13465/2012, DR, 2.ª série, n.º 187.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

http://www.igespar.pt/en/patrimonio/pesquisa/geral/patrimonioimovel/detail/156308/, 26 Abril 2012.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Sónia Basto 2012

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login