Pelourinho de Penela

IPA.00001604
Portugal, Coimbra, Penela, União das freguesias de São Miguel, Santa Eufémia e Rabaçal
 
Pelourinho quinhentista, de pinha cónica, com soco quadrangular de três degraus, fuste quadrangular com as arestas chanfradas, capitel lobulado e ferros de sujeição com decoração zoomórfica. Remate em pequena pinha e possui, ainda que delidos, os escudos municipais.
Número IPA Antigo: PT020614060002
 
Registo visualizado 223 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo pinha

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco quadrangular de três degraus, onde assenta fuste simples com os extremos de secção quadrangular, sendo o restante octogonal, tendo capitel cilíndrico lobulado, onde estão dois escudos da vila e quatro ferros de sujeição, com os extremos zzomórficos e quatro argolas. Remate em pequeno pináculo cónico.

Acessos

Rua 25 de abril. WGS84 (graus decimais) lat.: 40.030257; long.: -8.390990

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG n.º 136, de 23 junho 1910

Enquadramento

Urbano, isolado, adro.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1080 - fundação da vila por D. Sisnando, senhor de Coimbra; 1148 - foi reconquistada por D. Afonso Henriques; 1155 - o monarca ordena o seu povoamento; 1137, Julho - concessão de novo foral pelo mesmo monarca, no qual se intitula Rei de Portugal; 1187 - reedificação da povoação por D. Sancho I; 1198, 06 Abril - concessão de foral por D. Sancho I; 1217, Outubro - confirmação dos forais por D. Afonso II; 1394, cerca - D. João I adquiriu Penela por 8.000 dobras (384.000 libras); 1408, Outubro - D. João I doou o senhorio de Penela ao seu filho, o Infante D. Pedro, posteriormente Duque de Coimbra; 1420, 14 Novembro - o Infante mandou fazer o levantamento e demarcação de todos os reguengos e terras que tinha na zona, outros casais e bens que tinha por compra ou herança; 1449, 20 Maio - D. Afonso V confiscou os seus bens que passaram para a coroa; 1461, 23 Setembro - D. Pedro, o primogénito do Infante D. Pedro, recebeu a posse de Penela e os reguengos de Camponês e do Rabaçal; 1465, 23 Junho - tornou-se donatário de Penela D. Afonso de Vasconcelos e Meneses, bisneto do Infante D. João; 1471, 24 Outubro - D. Afonso V concedeu-lhe o título de Conde de Penela; 1476 - doação da vila em sucessão para o seu filho mais velho após a sua morte; 1512 - concessão de foral novo por D. Manuel I; 1543 - após a morte do 2º conde de Penela, a vila passou para D. Jorge, Mestre de Santiago, Duque de Coimbra, filho bastardo de D. João II; 1550 - com a sua morte, passou para a Casa de Aveiro, na qual permaneceu até 1759, ano da sua extinção devido ao atentado a D. José; provável construção do pelourinho; 1708 - a povoação, com 180 vizinhos, e tem voto em Cortes, com assento no banco 16; tem juiz de fora, um procurador do concelho, escrivão da câmara, vereadores, juiz dos órfãos, com o seu escrivão, tabeliães, um almoxarige, um inquiridor, um contador, um escrivão das sizas e outro da almotaçaria; pertence à Provedoria de Tomar; 1758, 07 Setembro - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco António Bernardo Tavares, é referido que a povoação pertence à Casa de Aveiro.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito; ferros de sujeição em ferro.

Bibliografia

ALMEIDA, António Ferreira de, Tesouros artísticos de Portugal, Lisboa 1976; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. II, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1708; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/69809 [consultado em 23 agosto 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 28, n.º 116, fl. 777-786)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

João Cravo 1993 / Paula Noé 2006

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login