Fábrica Lusitana de Vidros Angolana / Fábrica Angolana / Fábrica do Armindo / Fábrica do Emílio Gallo

IPA.00001540
Portugal, Leiria, Marinha Grande, Marinha Grande
 
Arquitetura industrial, do séc. 20. Fábrica.
Número IPA Antigo: PT021010010003
 
Registo visualizado 310 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Extração, produção e transformação  Fábrica    

Descrição

Acessos

Rua Engenheiro André Navarro

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público, Portaria n.º 306/2014, DR, 2.ª série, n.º 92 de 14 maio 2014

Enquadramento

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Extração, produção e transformação: fábrica

Utilização Actual

Propriedade

Afectação

Época Construção

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1920 - A Fábrica hoje conhecida por "Angolana" foi criada com a designação de "Sociedade Vidreira Lusitana"; 1952 - encerrou a fábrica, reabrindo dois anos mais tarde com a designação que tem agora. A partir de 1957, funcionou apenas como armazém. Serviu, mais recentemente, como reserva e oficina de restauro de peças destinadas ao Museu do Vidro. A Associação Portuguesa de Arqueologia Industrial fez escavações no local, tendo sido postas a descoberto importantes estruturas industriais da primeira metade do século; 1999, 24 fevereiro - proposta de classificação do Departamento de Estudos do IPPAR; 25 fevereiro - despacho de abertura do processo de classificação do Vice-Presidente do IPPAR; 2003, 20 janeiro - proposta de classificação como Imóvel de Interesse Público da DRCoimbra; 07 maio - parecer favorável do Conselho Consultivo do IPPAR; 03 junho - homologação da classificação do edifício como Imóvel de Interesse Público, por Despacho do Ministro da Cultura; 2009, 11 setembro - proposta de estabelecimento da Zona Especial de Proteção pela DRCCentro; 28 outubro - parecer favorável ao estabelecimento da Zona Especial de Proteção do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.; 2013, 17 janeiro - publicação do projeto de decisão de fixação da Zona Especial de Proteção da fábrica, em DR, 2.º série, n.º 12, anúncio n.º 18/2013.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

CUSTÓDIO, Jorge, A Real Fábrica de Vidros de Coina (1719-1747) e o vidro em Portugal nos séculos XVIII e XIX. Aspectos históricos, tecnológicos, artísticos e arqueológicos, Lisboa, 2002; AZAMBUJA, João Rosa, Cidade da Marinha Grande: subsídios para a sua história, Marinha Grande, 1998; BARROS, Carlos Vitorino da Silva, Real Fábrica de Vidros da Marinha Grande. II centenário (1769-1969), Leiria, 1998; MENDES, J. M. Amado, História do Concelho da Marinha Grande: introdução e perspectivas, Marinha Grande, 1993; GÂNDARA, Alfredo, O irlandês João Beore introdutor da indústria do vidro na Marinha Grande, Lisboa, 1977

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Cecília Matias 2002

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login