Pelourinho de Freixo de Numão

IPA.00001524
Portugal, Guarda, Vila Nova de Foz Côa, Freixo de Numão
 
Pelourinho setecentista, de bloco de duas faces, do tipo heráldico, com soco circular de quatro degraus, onde assenta coluna clássica, encimado por bloco com elementos heráldicos e coroa. Fuste datado de 1793 e inscrição. Elementos decorativos com árvore estilizada, castelo, ornatos vegetalistas, fitomórficos, geométricos e concheados. Os elementos heráldicos representam as armas de D. Maria I e as do concelho.
Número IPA Antigo: PT010914060006
 
Registo visualizado 1741 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição régia  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco circular de quatro degraus de aresta viva, encontrando-se o primeiro semi-enterrado no solo. Coluna de fuste cilíndrico, com base concordante composta por plinto, escócia e toro, o fuste apresenta a meia altura no lado O. árvore estilizada (freixo) e, no lado E., castelo decorado com motivos vegetalistas encimado pela inscrição "FREIXO DE NVMAN - 1793". Capitel compósito, composto por linha de folhas de acanto rudimentares encimada por quatro volutas cantonais e sendo o ábaco em forma de losango com os lados curvos. Remate em peça heráldica, delimitada por elementos fitomórficos e geométricos, observando-se, no lado E., as armas reais de D. Maria I envoltas em ornatos concheados e, no lado O., as armas do concelho formadas pelo criptograma de Numão (letras N. e E. seguidas de mão aberta desenhada) encimado por coroa e ladeado por castelo. Rematado por coroa real com diadema e quatro arcos, assente sobre peça cilíndrica.

Acessos

Praça Dr. José A. Magalhães. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,067396; long.: -7,222244

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1ª série, nº 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, isolado, situa-se em largo amplo, um pouco desnivelado, fronteiro à Igreja Matriz (v. PT010914160022), de raiz medieval. Lateralmente, observa-se antiga Casa da Câmara, apresentando alguns vãos com moldura medieval e outros com decoração tardo-barroca, sendo rematado por frontão curvo com armas de D. João V.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Época romana - identificação de achados avulsos e estruturas arquitectónicas na povoação; séc. 13 - pertencia ao concelho de Numão; 1372, 12 Março - autonomiza-se como concelho, a rogo de Fernando Afonso de Zamora; 1377 - referenciada como vila,"São Pedro de Fraxinum", desconhecendo-se a existência de carta de foral, mas é provável que tenha participado do foral de Numão; séc. 16 - alguns indícios apontam para autonomia jurídica desde essa época, tendência relacionada com a progressiva decadência de Numão, considerável afluxo de judeus; hipotética edificação da Casa da Câmara e da Casa do Tribunal; séc. 17, 2ª metade - constituição do concelho (REAL, M.G.); séc. 18 - provável reedificação da Casa da Câmara; pertencia à Coroa e a paróquia era abadia da apresentação da Casa de Marialva e depois da universidade de Coimbra; período de prosperidade económica relacionada com o desenvolvimento do sector agrícola e vinícola; integrava os extintos concelhos de Horta, Touça, Sebadelhe e Numão; criação da alcaidaria-mor, sendo os primeiros proprietários os Senhores de Sobral de Monte Agraço; era da comarca de Pinhel; 1708 - a povoação tem 250 vizinhos, onde assiste o juiz de fora do concelho de Numão; 1758, 20 Junho - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco António Vaz Dias, é referido que a povoação integrava a comarca de Pinhel e pertencia ao rei, com 220 vizinhos; tem juiz de fora e câmara; 1793 - edificação do pelourinho, atendendo a data gravada no fuste; atendendo à tradição oral substituiu freixo secular; 1836 - anexação das freguesias do extinto concelho de Cedovim; 1853 - extinção do estatuto concelhio e integração no município de Vila Nova de Foz Côa; 1853, 31 Dezembro - extinção do concelho, incorporado no de Vila Nova de Foz Côa; 1867 - venda da Casa da Câmara em hasta pública.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

AZEVEDO, Correia de, Património Artístico da Região Duriense, Porto, 1963; AZEVEDO, Correia de, Terras com Foral ou Pelourinho das Províncias do Minho, Trás-os-Montes, Alto Douro e Beiras, Porto, 1967; AZEVEDO, Joaquim de, História Eclesiástica da Cidade e Bispado de Lamego, Porto, 1877; ALMEIDA, José António Ferreira de, Dir., Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; BARROCO, Joaquim Manuel, Panoramas do Distrito da Guarda, Guarda, 1978; COIXÃO, António do Nascimento Sá e TRABULO, António Alberto Rodrigues, Evolução político-administrativa na área do actual concelho de Vila Nova de Foz Côa, Vila Nova de Foz Côa, 1995; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. II, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1708; DIONÍSIO, Sant'Ana, Guia de Portugal, Lisboa, 1927, CARDOSO, Nuno Catarino, Pelourinhos das Beiras, Lisboa, 1936; FERREIRA, João Albino Pinto, Antigo Concelho de Freixo de Numão (Memórias Paroquiais do Séc. XVIII), Lisboa, 1947; FERREIRA, João Albino Pinto, Freixo de Numão, Apontamentos, Porto, 1954; FERREIRA, João Albino Pinto, Antigo Concelho de Freixo de Numão - memórias paroquiais do século XVIII, Lisboa, MCMLXXIV; LEAL, Pinho, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, 1873; REAL, Mário Guedes, Pelourinhos da Beira Alta, in Beira Alta, Viseu, vol. XXVIII, 1969; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SÁ-COIXÃO, António de, dir., Notícias de Freixo de Numão, Freixo de Numão, 1982 - 1991; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito da Guarda, Viseu, 1998.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

DGEMN: 1982 - obras de restauro, com a reposição e consolidação da coroa de remate.

Observações

Autor e Data

Margarida Conceição 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login