Capela de Nossa Senhora da Encarnação / Santuário de Nossa Senhora da Encarnação

IPA.00001489
Portugal, Leiria, Leiria, União das freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes
 
Arquitetura religiosa, maneirista e barroca. Capela transformada em igreja de peregrinação, antecedida por escadório, rodeada por alpendre em três faces, com múltiplas entradas. Planta em cruz latina, nave abobadada, capela-mor rematada por cúpula.
Número IPA Antigo: PT021009120004
 
Registo visualizado 1002 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta em cruz latina, orientada; dos 2 lados da capela-mor adossam-se 2 corpos quadrangulares; uma alpendrada rodeia as fachadas O., N. e S. Volumes articulados com coberturas diferenciadas: telhados de 2 águas sobre a nave, de 3 sobre os braços do transepto, capela-mor e corpos a ela adossados, de 1 sobre a alpendrada. Sobre a frontaria corpo pétreo rematado por frontão triangular com aletas nas vertentes, rasgado por 3 sineiras. A alpendrada mostra 7 arcadas por lado, sendo a do meio rebaixada, a N. e S., mais elevada e terminada em frontão interrompido, a E., com a estátua do arcanjo São Gabriel; escadas de acesso às 3 entradas desses 3 lados, continuando-se a da entrada principal por escadório monumental até ao sopé do monte. Portas rasgadas no eixo principal (1), no eixo transversal (2, uma entaipada), nos braços do transepto a abrir para o alpendre (2, uma entaipada); nicho com a imagem de Nossa Senhora da Encarnação sobre a porta axial. No interior nave coberta por abóbada de berço, coro-alto sobre a porta principal, transepto saliente com 2 altares, capela-mor coberta por cúpula assente em trompas e encimada por cupulim. Ao longo das paredes da nave adossam-se molduras de arcos em cantaria de pilastras toscanas (com o mesmo recorte do arco triunfal, do arco do altar-mor e dos braços do transepto), o mesmo sucedendo nas paredes da capela-mor, nas quais se rasgam as portas de acesso à sacristia e à sala dos ex-votos.

Acessos

Rua Nossa Senhora da Encarnação. WGS84: 39º44'19.54''N.; 8º47'59.53''O.

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 28/82, DR, 1.ª série, n.º 47 de 26 fevereiro 1982

Enquadramento

Urbano. A nascente da cidade, numa colina em frente ao morro do castelo, ao longo da qual se desenvolve escadório monumental de acesso.

Descrição Complementar

ESCADÓRIO - O escadório monumental de 162 degraus desenvolve-se pelo Monte do Anjo acima, até à entrada principal da igreja. Principia por escadaria dupla de lanços opostos e convergentes, seguindo-se depois lanços direitos separados por tabuleiros. Estes tabuleiros são decorados com arcos, padrões e por uma cruz; nos muros de apoio estão placas com legendas latinas dos Livros Sagrados; num dos arcos está o brasão de D. Frei Miguel de Bulhões e Sousa, prelado a cuja iniciativa se deve a construção do escadório. ELEMENTOS DECORATIVOS - As paredes da nave, as paredes e abóbadas do transepto são revestidas a azulejos de padrão de 3 tipos diferentes, com diferentes cercaduras, refeitos em inícios do séc. 19, imitando padrões seiscentistas. A abóbada de berço do tecto da nave está revestida a caixotões pintados com símbolos marianos; sobre o arco triunfal composição de pinturas murais representando a Virgem rodeada de anjos adorada por Isaías, Jeremias, David e Salomão, segurando tábuas com dizeres bíblicos; estas pinturas foram realizadas em 1863, sendo provavelmente da mesma data os estuques sobre fundo azul nos seguintes dos arcos. Telas seiscentistas com episódios da vida de Cristo rodeiam as paredes da nave; no coro-alto estão 3 óleos, ex-votos populares de grandes dimensões, pintados em 1880, representando milagres realizados por Nossa Senhora da Encarnação. O altar-mor e os altares colaterais da nave, setecentistas, em talha polícroma, obedecem a um mesmo esquema compositivo: tribuna ou nichos rodeados por colunas estriadas encimadas por fragmentos de frontões, remate em frontão curvo.

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: santuário

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Leiria - Fátima)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 16 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

MESTRE-DE-OBRAS: Pêro Moreira (1593).

Cronologia

1588 - início da construção da actual igreja, durante o bispado de D. Pedro de Castilho, a seguir a um milagre que teve lugar em ermida que existia no mesmo local, com a mesma devoção, e que fora construída por D. Frei Brás de Barros, 1º bispo leiriense, em 1544; 1593 - contrato de obras referente à capela, com o mestre de obras Pêro Moreira; 1628 - data incisa na verga de uma porta, juntamente com a inscrição "ESTA CASA É DO CABIDO"; séc. 18, 2.ª metade - construção do escadório, durante o bispado de D. Frei Miguel de Bulhões e Sousa; 1807 - 1810 - o recheio da igreja é delapidado durante as invasões francesas; durante o bispado de D. Manuel de Aguiar as paredes são cobertas por novos azulejos imitando os de padrão seiscentistas, entretanto destruídos; 1813 - nova imagem da Virgem da Encarnação na tribuna; 1823 - colocação de novos sinos; 1863 - decoração pictórica na abóbada da nave e sobre o arco triunfal; 1865 - construção do coro-alto; 1875 - construção do púlpito; 1880 - 3 ex-votos do coro; 1890 - colocação das imagens de Nossa Senhora e do Arcanjo São Gabriel sobre a porta principal; 1896 - novo ladrilho a mosaico no interior.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes, estruturas autónomas.

Materiais

Alvenaria e cantaria de pedra calcária, telha cerâmica.

Bibliografia

COSTA, Lucília Verdelho da, Leiria, Lisboa, 1989; CRISTINO, Luciano Coelho, A vila de Leiria em 1385, in Jornadas de História Medieval", Leiria, 1986; GIL, Júlio, As mais Belas Igrejas de Portugal, vol. I, Lisboa, 1988; LARCHER, Tito Benevenuto de Sousa, Memória sobre o templo e culto de Nossa Senhora da Encarnação, padroeira da cidade de Leiria, Leiria, 1904; LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de Pinho, Portugal Antigo e Moderno, vol. 4, Lisboa, 1874; O Couseiro ou Memórias do Bispado de Leiria, Braga, 1868; SARAIVA, José, Leiria, Porto, 1929; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal", vol. V, Lisboa, 1955; ZUQUETE, Afonso, Leiria - subsídios para a história da sua diocese, Leiria, 1943.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; Secretariado Nacional para os Bens Culturais da Igreja

Documentação Administrativa

DGARQ/ADLeiria

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 1830 - reforma do altar-mor; 1846 - restauro dos quadros da nave; 1850 - reforma dos altares laterais; Confraria de Nossa Senhora da Encarnação: 1901 / 1902 / 1903 - reforma do escadório; pinturas e douraduras do altar-mor e do camarim; 2001 / 2002 - restauro de 7 telas e 3 ex-votos; 2002 / 2003 - restauro exterior do santuário.

Observações

*1 - A igreja é local de romaria anual a 15 de Agosto.

Autor e Data

Isabel Mendonça 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login