Igreja Paroquial de Penude / Igreja de São Pedro

IPA.00014509
Portugal, Viseu, Lamego, Penude
 
Arquitectura religiosa, barroca e rococó. Igreja matriz de planta longitudinal composta por nave, capela-mor mais estreita, sacristia, Casa da Fábrica e torre sineira adossadas ao lado direito. Coberturas interiores diferenciadas em falsas abóbadas de berço de madeira, com perfil abatido na nave, assente em cornija e com pintura decortiva novecentista, iluminada uniformemente por amplas janelas rectilíneas rasgadas nas fachadas laterais. Fachada principal em empena recta, encimada por frontão recortado, com os vãos rasgados em eixo composto por portal de verga recta, flanqueado por pilastras e remate em frontão interrompido, e por óculo circular. Fachadas circunscritas por cunhais apilastrados, formados por pináculos e rematadas em entablamento, as laterais com portas travessas de verga recta, rematadas em frontão. Torre sineira de dois registos, o superior rasgado por ventanas em arco de volta perfeita e coberta por coruchéu piramidal. Interior com coro-alto assente em arco em asa de cesto, com baptsitério na base da torre e púlpito no lado do Evangelho, com acesso pela casa da fábrica. Arco triunfal de volta perfeita, flanqueado por retábulos de talha policroma com marmoreados fingidos, do estilo rococó, dispostos em ângulo. Retábulo-mor do mesmo estilo.
Número IPA Antigo: PT011805170146
 
Registo visualizado 150 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta por nave, capela-mor mais estreita, torre sineira, sacristia e Casa da Fábrica, adossados ao lado direito, de volumes articulados e escalonados, com disposição horizontalista das massas, cortada pelo corpo da torre, e coberturas diferenciadas em telhados de duas águas e em coruchéu piramidal na torre. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, percorridas por embasamentos de cantaria, salientes, flanqueadas por cunhais apilastrados, firmados por pináculos bolbosos e rematadas em entablamento. Fachada principal orientada, com empena recta, alteada na zona central, rematada por frontão recortado, com aletas laterais, fragmentos de cornija e, ao centro, cruz latina sobre plinto paralelepipédico; é rasgada por portal de verga recta, com moldura simples de cantaria, flanqueado por pilastras de fuste liso e capitel coríntio, sobre plintos galbados, que sustentam entablamento, ornada por enorme acantos, e por frontão semicircular, interrompido; está encimado por óculo circular com moldura simples de cantaria, que provoca o alteamento da cornija. No lado direito e em plano ligeiramente recuado, sineira de dois registos divididos por entablamento, o inferior cego e o superior com quatro ventanas em arco de volta perfeita assentes em impostas salientes e rematado em entablamento com pináculos bolbosos nos ângulos. O acesso processa-se pela face posterior, através de porta de verga recta e moldura simples em plano elevado, à qual conduz escadaria de um lanço, com guarda de cantaria tendo arranque volutado. Fachada lateral esquerda, virada a S., com porta de verga recta e moldura simples, encimado por frontão contracurvado, encimado por três janelas octogonais com molduras simples e protegidas por grades metálicas; no corpo da capela-mor, surgem duas janelas com topos curvos, rematadas por cornija e om grades de ferro, e pequena fresta com moldura de cantaria, com os extremos formando pequeno... Fachada lateral direita, virada a N., com porta travessa e duas janelas semelhantes à anterior, surgindo uma terceira janela com o mesmo perfil, mas jacente, sobre o corpo da sacristia, rasgado por porta de verga recta na face E., por duas janelas rectilíneas na N. e por porta parcialmente entaipada e transformada em janlea na face O.; a capela-mor possui fresta semelhante à da fachada oposta. Fachada posterior em empena cega com cruz latina no vértice, sobre plinto galbado, sendo visível a empena do arco triunfal, também com cruz. INTERIOR rebocado e pintado de branco, percorrido por azulejos de padrão policromo, formando silhares, com pavimento em lajeado de granito e cobertura em falsa abóbada de berço abatido de madeira, assente em cornija de cantaria e com pintura decorativa, formando sucessivos apainelados de cor azul e bege, tendo, ao centro, cartela enrolada, recortada e ornada por concheados, rosetões e festões que envolvem a imagem do orago; as janelas estão decoradas com vitrais modernos. Coro-alto apoiado em arco de asa de cesto, com fecho saliente e volutado, assente em modilhões laterais, com guarda balaustrada de madeira e acesso por porta de verga recta no lado da Epístola; no lado oposto, órgão de armário, com remate em urnas, festões e elementos fitomórficos. O portal axial, protegido por guarda-vento de madeira e vidro colorido, e as portas travessas estão ladeados por pias de água benta hemisféricas, embutidas na parede, dando origem a pequeno nicho. No sub-coro, no lado da Epístola, baptistério inserido na base da torre, com acesso por arco de volta perfeita. Confrontantes, dois confessionários embutidos na parede, com portadas de madeira, formando falso tímpano na zona superior; também confrontantes, dois amplos nichos em arcos de volta perfeita com moldura de cantaria, contendo mísulas com imaginária, ladeado por nichos de volta perfeita para alfaias. No lado da Epístola, púlpito quadrangular, assente em mísula de cantaria, com guarda plena de talha policroma ornada por cartelas concheadas e encimado por baldaquino do mesmo material, sobrepujado por anjo músico, com acesso por porta de verga recta com moldura entalhada, ornada por acantos, a partir da Casa da Fábrica. Arco triunfal de volta perfeita assente em pilastras toscanas e encimado por tarja de talha dourada, flanqueado por retábulos de talha policroma, dispostos em ângulo e dedicados ao Crucificado (Evangelho) e ao Sagrado Coração de Jesus (Epístola). Elevada por um degrau, a capela-mor com paredes e pavimento semelhantes aos da nave, tendo cobertura em falsa abóbada de berço de madeira, assente em friso e cornija e com tirantes metálicos, apresentando pintura decorativa formando apainelados recortados nos ângulos e, ao centro, a representação de um anjo que incenseia uma custódia entre glória de querubins, ladeado por troféu de elementos religiosos. Sobre supedâneo de dois degraus, retábulo-mor de talha policroma, com marmoreados fingidos rosa, verde, azul e dourada, de planta côncava e um eixo definido por duas colunas de fuste liso, pecorridos por espira fitomórfica, assente em plintos galbados; ao centro, ampla tribuna em arco de volta perfeita, com moldura e sacrário na base, tendo o fundo pintado a imitar brocados, cobertura em caixotões e trono expositivo de três degraus; encontra-se flanqueado por mísulas sublinhadas por apainelado curvilíneo, encimado por acanto, formando falso baldaquino; altar em forma de urna, flanqueado por portas de volta perfeita, de acesso à tribuna, tend, em frente, a mesa de altar, em cantaria e assente em duas colunas. No lado da Epístola, porta em arco abatido de acesso à sacristia.

Acessos

Na EN 2, ao Km 108,4, para EM 538, a 50 metros

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Peri-urbano, a meia encosta, isolado e destacado, implanta-se em adro terraplanado artificialmente, em plano superior à estrada, murado em alvenaria de granito aparente, tendo, nos ângulos urnas, ao qual se tem acesso por escadaria central, com guardas de cantaria, e por portão metálico junto à fachada posterior. No adro, erguem-se grandes ciprestes.

Descrição Complementar

Os retábulos colaterais são semelhantes, de talha policroma, com marmoreados fingidos verde, azul e rosa e dourada, de planta convexa e um eixo definido por duas colunas de duste liso assentes em plinto paralelepipédico com as faces ornadas por motivos vegetalistas, com nicho central de perfil contracurvado, com ampla moldura em todo o perímetro, contendo os fundos pintados a imitar brocados; remata em duplo espaldar, o inferior com resplendor e remate em cornija contracurvada, de inspiração borromínica, e o superior, mais estreito, recortado, encimado por cornija e motivos fitomórficos; altar em forma de urna. Junto ao do lado da Epístola, um órgão eléctrico. Na capela-mor, duas credências de taha policroma. Órgão positivo com caixa decorada e com cinco registos.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Lamego)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 16 - Penude pertencia ao termo de Lamego e tinha treze moradores; 1574 - a igreja pertence ao padroado real e integra o território da Diocese de Lamego; 1686 - pintura e colocação da grade protectora da pia baptismal; 1692, Abril - conclusão dos trabalhos de ensamblagem; 1695 - conclusão dos trabalhos de douramento; séc. 17, finais - ampliação da sacristia e construção do adro, pelo Pároco, Padre Pimentel; 1713, 2 Novembro - O Dr. Domingos de Freitas Barreto, em auto de visitação, ordena a execução de raíz, no prazo de um ano, de um novo templo, já que o anterior ameaçava ruir *1; a reconstrução deveria iniciar-se pela nave, já que pertencia ao povo, e depois a capela-mor, que pertencia ao abade; 1748 - início da reconstrução; 1764 - conclusão da reconstrução do templo; 1776, 13 Julho - visitação efectuada com a presença do Bispo D. Manuel Vasconcelos Pereira; séc. 18, final - feitura da fachada principal e das estruturas retabulares; séc. 19 - abertura de frestas na capela-mor e reforma da torre sineira; 1805 - feitura do órgão do coro-alto; séc. 20. década de 50 - pintura das coberturas da nave e capela-mor e pintura dos vitrais.

Dados Técnicos

Estrutura autoportante.

Materiais

Estrutura em cantaria e alvenaria de granito, rebocada; pilastras, cornijas, frontões, modinaturas, pináculos, entablamentos, pavimento, muro do adro, pias de água benta, base do púlpito e estrutura do coro-alto, pia baptismal em cantaria de granito; coberturas interiores, portas, guardas do coro-alto e púlpito, guarda-vento, retábulos,credências em madeira; janelas com grades de ferro e existência de tirantes metálicos; silhares interiores em azulejo industrial; janelas e guarda-vento com vidro colorido; coberturas exteriores em telha de aba e canudo; capela-mor com pavimento revestido a alcatifa.

Bibliografia

COSTA, M. Gonçalves da, Paróquias Beiraltinas, Penude e Magueija, Lamego, 1975; COSTA, M. Gonçalves da, História do Bispado e Cidade de Lamego, vols. III, V e VI, Lamego, 1982 a 1992; VALENÇA, Manuel, A Arte Organística em Portugal, vol. II, Braga, 1990; LARANJO, F.J.Cordeiro, No Compasso do Concelho (24 Freguesias), Lamego, 1995; Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, vol. 21, Lisboa/Rio de Janeiro, sd.; Dicionário enciclopédico das freguesias, vol. III, Matosinhos, 1997, pp. 576-577; SERRÃO, Joaquim Veríssimo - Livro das Igrejas e Capelas do Padroado dos Reis de Portugal - 1574. Paris: Fundação Calouste Gulbenkian Centro Cultural Português, 1971; TAPADINHAS, Maria Albertina, "Lamego medieval", in O Compassao da Terra - a arte enquanto caminho para Deus, vol. I, Lamego, Diocese de Lamego, 2006.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: séc. 20, finais - colocação de azulejo industrial; tratamento de rebocos e pinturas.

Observações

*1 - o antigo templo, erecto no mesmo lugar da antiga ermida de São Pedro, era mais baixo e estreito que o actual, tinha a fachada principal voltada a Oeste e sineira com acesso por uma escada móvel; todo o pavimento estava coberto de sepulturas com tampas de madeira e rebordos de pedra; para além do altar-mor, existiam mais dois nos ângulos do cruzeiro, dedicados a Nossa Senhora do Rosário, tendo uma imagem de Santa Bárbara, e a Cristo Crucificado; não existindo sacristia guardavam-se as alfaias religiosas em caixotões encostados à parede.

Autor e Data

João Carvalho 2002

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login