Convento do Bom Jesus de Monforte / Biblioteca Municipal de Monforte

IPA.00014242
Portugal, Portalegre, Monforte, Monforte
 
Arquitectura religiosa, renascentista, barroca. Ruínas de convento de clarissas xabreganas de que sobrevivem os arcos do claustro, de volta perfeita, de cantaria, e brasão, de cariz renascentista. O painel de azulejos, da primeira metade do séc. 18, em azul e branco, apresenta elementos como folhas de acanto, mascarão e cartelas concheadas, características da linguagem barroca.
Número IPA Antigo: PT041211020007
 
Registo visualizado 318 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Mosteiro feminino  Ordem de Santa Clara - Clarissas (Província dos Algarves - Xabreganas)

Descrição

Planta irregular, correspondendo a uma ala do claustro e parciais ruínas do edifício conventual. Claustro com arcos de volta perfeita assentes sobre pilastras, com brasão com conchas e flores de lis, cobertura de telha em telhado de duas águas.

Acessos

Praça da República. WGS84 (graus decimais) lat.: 39,053716, long.: -7,439533

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, meia-encosta, isolado, abrindo para largo de empedrado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: mosteiro feminino

Utilização Actual

Cultural e recreativa: biblioteca

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 18 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1515 - fundação do Convento por Fernão Zebreiro Montoso, prior da Igreja de Santa Maria Madalena de Monforte, e suas irmãs Beatriz e Inês Zebreiro ( KEIL, 1943 ); 1520 - reconhecimento oficial do convento por Bula Papal de Leão X; 1540 - fundação do Convento Segundo Pinho Leal (LEAL, 1969); séc. 17 - colocação de campas brasonadas; séc. 18 - obras de renovação estética; 1749 - colocação dos azulejos alusivos à vida da Rainha Santa Isabel na igreja por ordem do Desembargador Plácido Almeida Montoso; 1834 - supressão do convento que passa a constituir propriedade do Marquês de Praia e Monforte; séc. 20 - ruína do edifício; recolocação de um painel de azulejos representando a morte da Rainha Santa Isabel, a azul e branco, com moldura de acantos interrompidos por mascarão central e cartelas concheadas aos cantos, na capela da Santa Casa da Misericórdia de Monforte, que pertencia à igreja do Convento; 1943 - Luís Keil refere que o templo não tem telhado e que o interior está repleto de detritos e árvores que crescem nas fendas do lajedo; da capela-mor, para a qual se subia por quatro degraus azulejados, apenas resta a talha dourada, tendo desaparecido os dois altares laterais, e o púlpito à esquerda assente sobre mísula concheada, circular, com balaústres trabalhados, a grade do convento ao fundo e sepulturas brasonadas no pavimento; refere a existência de portas, frestas e cunhais decorados com azulejos de molde, arco cruzeiro e capelas forradas com azulejos polícromos (entre eles pequenos painéis com alusões aos símbolos da Virgem e outros assuntos eucarísticos), restos de pintura nas cantarias e fragmentos do tecto que era de abóbada (KEIL, 1943) *1.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Alvenaria rebocada; cobertura de telha; cantaria nas molduras de vãos e pedra brasonada.

Bibliografia

Keil, Luís, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Portalegre, Vol. 1, Lisboa, 1940; LEAL, Pinho, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, 1969. CUNHA, António Maria da, Monografia Geral Sobre o Concelho de Monforte, Monforte, 1985.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; AME

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

Observações

*1 - do património fotografado e registado por Luís Keil (KEIL, 1943), resta apenas o painel de azulejos alusivos à morte da Rainha Santa Isabel.

Autor e Data

Helena Mantas e Susana Gonçalves 2000 / Rosário Gordalina 2004

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login