Capela de Nossa Senhora da Conceição

IPA.00014049
Portugal, Vila Real, Chaves, União das freguesias das Eiras, São Julião de Montenegro e Cela
 
Arquitectura religiosa, manuelina. Capela quinhentista de planta quadrada de volume simples, fachadas em cantaria, com cunhais contrafortados, rematadas por cornija moldurada, tendo a principal um arco quebrado com moldura em toro, entaipado, com porta rectangular inscrita, e nas laterais frestas centrais. No interior, os alçados são marcados por arcos moldurados, de volta perfeita, apoiados em mísulas angulares ornamentadas com mascarões, conservando na parede testeira pinturas murais formando tríptico com três painéis de pintura figurativa.
Número IPA Antigo: PT011703110070
 
Registo visualizado 361 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta quadrada de volume simples com cobertura em telhado de 4 àguas. Fachadas de alvenaria em granito aparente de remate em cornija moldurada, com cunhais, coroados por pináculos de remate moldurado sobre acrotério, cingidos por contrafortes escalonados em silhares de granito, estando os frontais dispostos lateralmente e os posteriores em ângulo. Fachada principal virada a NO., em silhares de granito aparente, com porta rectangular rostica inscrita em vão entaipado de arco quebrado com moldura em toro. Sobre a cornija uma singela sineira em ferro coroada por cruz apontada e, ao centro, pequeno acrotério. Nas fachadas laterais rasgam-se frestas centrais, em plano elevado, sendo a do lado E. de vão rectangular em rampa e a do lado oposto moldurada e de remate em arco canopial. INTERIOR de espaço onico, pavimento lajeado e paredes brancas, rebocadas, com embasamento pintado a cinza. Os quatro alçados são marcados por amplos arcos moldurados de volta perfeita apoiados em mísulas angulares ornamentadas com mascarões, a partir das quais têm origem arranques de arcos idÉnticos, interrompidos e coroados por urnas esguias, gomadas, pintadas de branco e azul *1. No alçado onde se rasga a porta de acesso recorta-se o contorno moldurado de um arco quebrado apoiado em impostas molduradas e ornamentadas com rosetas exibindo restos de pintura vermelha e ombreiras de moldura em toro. À parede testeira adossa-se altar de pedra, moldurado, sobre supedâneo granítico; superiormente, enquadrado pelo arco, pinturas murais policromas, a ocre, castanho, verde e amarelo, organizadas em 3 painéis delimitados por faixa ocre. No central representa-se uma imagem da Virgem enquadrada por 6 anjinhos de corpo inteiro, segurando uma coroa os dois situados no plano mais elevado. No registo superior deste painel, Deus Pai entre nuvens e cabeças de anjos alados. Ladeando o painel central, os outros dois paineis, de menor dimensão, retratam São Gonçalo sobre paisagem com rio e ponte em segundo plano, do lado esquerdo, e uma figura em ambiente interior com mitra e segurando báculo do lado direito.

Acessos

Quinta do Madureira; Fl. 47

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural. Rebordo E. da Veiga do Tâmega, numa zona de expansão recente do aglomerado das Eiras. Isolada, numa plataforma térrea, delimitada a N., E. e S. por muros baixos de alvenaria de granito. Tendo sido recentemente construída uma casa de granito ( modelo importado ) defronte da fachada principal, com acesso por caminho de betão que vence o desnível. A N., entre a casa e a capela, e a escassos metros desta, uma piscina ou tanque de grandes dimensões.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Devoluto

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 15 / 16 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 15, finais / 16, inícios é provável construção da capela; séc. 19 é provável entaipamento do vão da fachada principal.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Estrutura, pavimento, mesa do altar, de granito; pinturas murais; tecto de madeira; cobertura exterior de telha.

Bibliografia

Grupo Cultural Aquae Flaviae, Roteiros de Chaves, Chaves, 1998, p. 377 e 378.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

*1 - O fundador da Quinta, que está na origem da designação actual, foi Francisco de Morais Madureira Lobo Liz e Prado, governador da praça de Chaves.

Autor e Data

Ricardo Teixeira 2000

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login