Pelourinho de Linhares

IPA.00001393
Portugal, Guarda, Celorico da Beira, Linhares
 
Pelourinho quinhentista, de pinha cónica, com soco octogonal de quatrod egraus, fuste octogonal e capitel simples, encimado por elemento cónico. Catavento rematado com cruz latina.
Número IPA Antigo: PT020903080006
 
Registo visualizado 443 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo pinha

Descrição

Soco constituído por três degraus octogonais, apresentando o primeiro duas fiadas de pedra, tendo o dobro da altura dos demais. Coluna com base quadrangular chanfrada nos ângulos decorados por esferas e pequenas cartelas, tendo o fuste octogonal. Capitel em forma de cone invertido truncado, com vários anéis ornamentados por estrias simulando folhagem. O remate é composto por uma espécie de gola ou friso de secção octogonal e é decorado com estrias. O coroamento possui uma esfera armilar onde se apoia um catavento em ferro forjado encimado por uma cruz latina.

Acessos

Largo da Praça ou Largo do Pelourinho. WGS84 (graus decimais) lat.: 40.540064; long.: -7.462614

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto, nº 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano. Situado a meia encosta e isolado, organiza um pequeno largo formado a partir da R. da Procissão e delimitado por construções térreas e pela antiga Casa da Câmara (v. PT020903080030). Num plano superior, localiza-se uma fonte de mergulho e o denominado "Forum" (v. PT020903080016).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1169, Setembro - concessão de carta de foral por D. Afonso Henriques; 1198, 06 Abril - confirmação do foral por D. Sancho I; 1217, Outubro - confirmação do foral por D. Afonso II; 1510, 01 Junho - concessão de carta de foral por D. Manuel e provável construção do pelourinho; 1532, 13 Maio - concessão do título de Conde de Linhares a António de Noronha por D. João III; 1600 - concessão do título de Duque de Linhares a D. Fernando de Noronha, por Filipe III; 1654 - os bens dos Noronha foram confiscados e integrados na Casa do Infantado; 1758, 20 Julho - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco Francisco da Silva de Oliveira, é referido que a povoação, com 206 vizinhos, é da Casa do Infantado, constituindo cabeça de comarca; tem 2 juízes, 3 vereadores, um procurador do concelho, 4 tabeliães, meirinho, escrivão, distribuidos, inquiridor, contador e juiz dos órfãos; 1808 - concessão do condado a Rodrigo de Sousa Coutinho por D. João VI, mas sem usufruto do senhorio, cujos rendimentos pertenciam à Casa do Infantado; 1855 - extinção do concelho e integração das suas freguesias nos concelhos de Celorico e da Guarda; 1876 - requerimento da Junta de Freguesia à Câmara Municipal de Celorico a fim de obter autorização para demolir o pelourinho, sendo o pedido deferido.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito; cruz em ferro forjado.

Bibliografia

ABRANTES, Leonel, Linhares Antiga e Nobre Vila da Beira, Folgosinho, 1995; CHAVES, Luís, Pelourinhos Portugueses, Vila Nova de Gaia, 1930; DIONÍSIO, Sant'Ana, Guia de Portugal, Lisboa, 1924; FRANCO, José, Linhares, Terra Beiroa, Esboço Monográfico, Lisboa, 1944; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; MOREIRA, Maria da Conceição, Linhares, Aspectos Históricos, Lisboa, 1980; NEVES, Vítor Pereira, Três Jóias Esquecidas, Marialva, Linhares e Castelo Mendo, Castelo Branco, 1993; OLIVEIRA, Manuel Ramos de, Celorico da Beira e o seu Concelho, Celorico da Beira, 1939; RODRIGUES, Adriano Vasco, Celorico da Beira e Linhares, Celorico da Beira, 1979; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito da Guarda, Viseu, 1998.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 20, n.º 90, fl. 673-686)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Margarida Conceição 1992 / 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login