Pelourinho de Aguiar da Beira

IPA.00001372
Portugal, Guarda, Aguiar da Beira, União das freguesias de Aguiar da Beira e Coruche
 
Arquitectura político-administrativa e judicial, quinhentista. Pelourinho de gaiola octogonal, com soco de quatro degraus octogonais, de onde evolui um fuste octogonal, com base quadrangular e capitel também octogonal, encimado por gaiola. Esfera armilar no coroamento, evocando a reforma manuelina dos forais. Afinidades com os Pelourinhos do Carapito (v. PT020901020003), Aveloso (v. PT020909010002) e Marialva (v. PT020909080005). Actualmente, apenas possui um dos oito colunelos que sustentavam o chapéu da gaiola. O soco ostenta diferente número de degraus, adaptando-se ao declive do terreno.
Número IPA Antigo: PT020901010001
 
Registo visualizado 514 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição régia  Tipo gaiola

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco de quatro degraus octogonais, com focinho saliente, de onde se eleva coluna de fuste octogonal com base quadrangular chanfrada nos ângulos e anel de ferro a meia altura. O capitel também de secção octogonal encontra-se decorado com anel inciso. Remate em gaiola, apresentando a parte inferior em forma de pirâmide invertida e truncada, tendo anéis incisos na zona superior. O chapéu, em forma de pirâmide octogonal invertida, com a base decorada por anéis incisos e coroado por esfera armilar, assenta em colunelo central liso, e dos anteriores oito colunelos apenas subsiste um, com a base e o capitel decorado por anéis e meias esferas.

Acessos

Largo dos Monumentos Nacionais. WGS84 (graus decimais) lat.: 40,816363, long.: -7,545255

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG n.º 136 de 23 junho 1910 / Decreto n.º 8 330, DG n.º 167 de 17 agosto 1922 *1

Enquadramento

Urbano, destacado, situado a meia encosta no largo principal da vila, no qual desembocam a Rua da Misericórdia, Rua Direita, Rua de Baixo e Rua do Castanheiro. Espaço caracterizado pela presença da torre e fonte ameadas e pelo edifício setecentista da Câmara Municipal. No mesmo largo, surgem a Torre Ameada (v. PT020901010002) e a Fonte (v. PT020901010129).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1120 - Concessão de foral por D. Teresa ou por D. Afonso Henriques; 1220 - confirmação do foral por D. Afonso II; 1258 - reforma do foral por D. Afonso III; 1512 - concessão de foral novo por D. Manuel e provável edificação ou reedificação do pelourinho; 1708 - a povoação tem 160 vizinhos; tem 2 juízes ordinários, 3 vereadores, procurador do concelho, escrivão da câmara, juiz dos órfãos com o seu escrivão, 2 tabeliães e um almotacé; 1712 - a povoação é comenda da Ordem de Cristo; 1758, 04 Junho - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco José Cardoso das Neves, é referido que a povoação pertence à Casa do Infantado, na pessoa do seu titular, o Infante D. Pedro, tendo 2 juízes, 2 vereadores e 1 procurador; a povoação tem 159 vizinhos; 1896 - extinção do concelho, então integrado no município de Trancoso; 1989 - restabelecimento do concelho de Aguiar da Beira.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito; anel em ferro.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, dir., Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; CATARINO, Nuno Catarino, Pelourinhos das Beiras, Lisboa, 1936; CHAVES, Luís, Pelourinhos Portugueses, Vila Nova de Gaia, 1930; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. II, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1708; COSTA, Fernando Jorge dos Santos e PORTUGAL, José Alves, Aguiar da Beira, a História, a Terra e as Gentes, Aguiar da Beira, 1985; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito da Guarda, Viseu, 1998; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/70357 [consultado em 14 julho 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 1, n.º 59, fl. 411-416)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

*1 - classificado conjuntamente com a Torre ameada em Aguiar da Beira (v. PT020901010002) e a Fonte ameada em Aguiar da Beira (v. PT020901010129).

Autor e Data

Margarida Conceição 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login