Povoado Calcolítico de Alcalar / Monumentos de Alcalar / Necrópole Megalítica de Alcalar

IPA.00001320
Portugal, Faro, Portimão, Mexilhoeira Grande
 
Aglomerado proto-urbano. Povoado da Época Calcolítica. Integrado em território com significativas estruturas megalíticas, destacando-se uma necrópole constituída por tholos apresentando grande variedade de soluções arquitectónicas e de técnicas de construção da câmara puramente megalítica à de falsa cúpula com nichos laterais. Pela sua monumentalidade e estado de conservação, o tholos nº7 constitui exemplar de inegável interesse histórico-cultural e científico.
Número IPA Antigo: PT050811020001
 
Registo visualizado 872 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Povoado  Povoado da Época Calcolítica    

Descrição

O povoamento inclui áreas habitacionais, agrupamentos de templos funerários megalíticos e respetivas áreas cerimoniais. A necrópole é constituida por vários sepulcros de corredor, denominados tholos, com câmara e corredor, alguns apresentando falsa cúpula, com nichos laterais, apresentando grande variedade de soluções arquitectónicas e técnicas de construção.

Acessos

Sítio de Alcalar, a 5 Km da Mexilhoeira Grande, junto à estrada de Alcalar - Casais que liga a EN 125 à Senhora de Verde.

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG 136 de 23 junho 1910

Enquadramento

Rural, num cabeço com naturais condições de defesa, em pleno barrocal algarvio. Os vestígios do antigo povoado compreendem uma extensão de aproximadamente 20 ha.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

DRCAlgarve, Portaria n.º 829/2009, DR, 2.ª série, n.º 163 de 24 agosto 2009

Época Construção

Calcolítico

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

1975 - o estado realiza a aquisição parcial do tholos nº7; 1982 - o Estado adquire o prédio rústico denominado Courela das Minas; 1990, década de - escavação do monumento no subsolo calcáreo do Monte de Canelas dá a conhecer a sua utilização como ossuário e vários rituais como enterramentos em posição fetal; 1997, 8 abril - Despacho de abertura de processo relativo ao alargamento da classificação pela Vice-Presidente do IPPAR; 1998, 23 outubro - no âmbito do Programa de Salvaguarda e Valorização do Conjunto Pré-histórico de Alcalar, por Despacho nº18 364/98, publicado no DR, 2.ª série, n.º 245, o Estado procede à expropriação do prédio rústico inscrito na matriz da freguesia da Mexilhoeira Grande sob o artigo 160, secção J; 1999, 07 maio - no âmbito do mesmo programa, por Despacho nº 9109/99, publicado no DR, 2.ª série, n.º 106, o Estado declara a utilidade pública urgente da expropriação parcelar do prédio rústico inscrito na matriz da freguesia da Mexilhoeira Grande sob o artigo 161, secção J e autoriza o IPPAR a tomar posse adminstrativa do referido prédio; 2000, Outubro - inauguração Centro de Acolhimento e Interpretação dos Monumentos, construído pelo IPPAR ao abrigo do Programa de Salvaguarda e Valorização do Conjunto Pré-histórico de Alcalar; 2007, 20 dezembro - o imóvel é afeto à Direção Regional da Cultura do Algarve, pela Portaria n.º 1130/2007, DR, 2.ª série, n.º 245; 2008, 25 agosto - Proposta da DRCAlgarve para a ampliação da classificação e de ZEP; 2009, 3 março - Parecer favorável do Conselho Consultivo do IGESPAR ao alargamento da classificação e ZEP; 2012, 01 de março - o Centro de Acolhimento e Interpretação de Alcalar (projecto do Arq. João Santa Rita) transita da Direção Regional de Cultura do Algarve (DCRAlg) para uma gestão conjunta com o município de Portimão, passando a ser um polo do museu local, encerrando entretanto para obras de beneficiação e programação do plano de atividades; 2016, 9 março - publicação relativa à ampliação da área classificada como Monumentos de Alcalar, passando a abranger os Monumentos 11 a 16, que incluem os túmulos do Vidigal Velho, e o Povoado Calcolítico de Alcalar, em Decreto n.º 1/2016, DR 1.ª série, n.º 48.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSARH

Intervenção Realizada

1976 - colocação vedação protectora; 1982 - reparação da vedação; IPPAR: DRF: 1998 - restauro da mamoa, da galeria de acesso do thlos nº7, recomposição do cairn, drenagem e protecção adequadas; estudo geotécnico; 2000 - construção centro de acolhimento e interpretação com projecto do Arq. João Santa Rita; DCRAlg/CMPortimão: 2012, 01 a 24 de Março - obras de beneficiação (em curso).

Observações

Autor e Data

João Neto 1991 / Rosário Gordalina 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login