Igreja Paroquial de Pinheiro de Lafões / Igreja da Senhora da Assunção

IPA.00013062
Portugal, Viseu, Oliveira de Frades, Pinheiro
 
Arquitetura religiosa. Igreja paroquial.
Número IPA Antigo: PT021810050025
 
Registo visualizado 244 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja  

Descrição

Existência de dois púlpitos. Retábulos colaterais dedicados a Santa Maria e a Santa Luzia.

Acessos

EN16

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público, Portaria n.º 119/2015, DR., 2.ª série, n.º 35 de 19 fevereiro 2015

Enquadramento

Rural, isolado.

Descrição Complementar

No retábulo-mor, as imagens do orago, Coração de Jesus e Santo António. Inscrição na sacristia: "O ABBADE ARCIPRESTE JOÃO MANOEL CORREA DO VALLE MANDOU FAZER À SUA CUSTA A CAPELA-MOR E SACRISTIA DESTA IGREJA NO ANNP DE 1831".

Utilização Inicial

Religiosa: igreja

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Provada: Igreja Católica (Diocese de Viseu)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

ENTALHADOR: Manuel Vieira da Silva (1730). PEDREIRO: Teotónio Barbosa (1747).

Cronologia

1730, 17 Abril - contrato com o entalhador Manuel Vieira da Silva para a feitura dos retábulos colaterais, semelhantes aos colaterais da Sé de Viseu, por 260$000; 1747, 21 Dezembro - contrato com Teotónio Barbosa para a feitura do pavimento da igreja e da fachada principal *2; 1831 - construção da sacristia e capela-mor a expensas do abade João Manuel Correia do Vale; 1997, 23 abril - proposta da CMOliveira de Frades para a classificação do conjunto constituído pela Igreja Paroquial de Pinheiro de Lafões, Adro, Cemitério e Ponte ferroviária; 2001, 20 abril - Despacho de abertura do processo de classificação pelo vice-presidente do IPPAR; 2003, 11 fevereiro - proposta da DRCoimbra de classificação como Imóvel de Interesse Público; 2011, 31 outubro - proposta da DRCCentro de arquivamento do processo de classificação e abertura de um novo apenas para a igreja; 2011, 15 dezembro - despacho a determinar o encerramento do processo de classificação do conjunto e a abertura do processo de classificação da Igreja, pelo diretor do IGESPAR; 2012, 14 dezembro - publicação em DR, 2ª série, nº 242 do anúncio nº13770/2012 relativo ao arquivamento do procedimento de classificação; 2013, 17 janeiro - publicação em DR, 2ª série, nº 12, o anúncio 17/2013 relativo à abertura do procedimento de classificação da Igreja Paroquial e respetivo adro; 2014, 02 maio - publicação do projeto de decisão de classificação do edifício como Monumento de Interesse Público, em Anúncio n.º 106/2014, DR, 2.ª série, n.º 84.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

ALVES, Alexandre, Artistas e Artífices nas Dioceses de Lamego e Viseu, 3 vols., Viseu, 2001; CD Portugal Séc. XXI - Distrito de Viseu, CD 1, Matosinhos, 2001; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/155812 [consultado em 28 dezembro 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO. *2 - o pavimento teria "seis fiadas de sepulturas de três pedras cada uma, em modo que o fecho do meio seja mais pequeno para ser furado para abrir a sepultura, e serão de largo de dois palmos e meio da marca, e terão de grossura um palmo, e serão as sepulturas lavradas de pico miúdo, desempenadas e juntas, e serão as fiadas que ficam para as bandas das pedras velhas", as quais seriam limpas e direitas; "levará cinco fiadas de friso assentadas em marcos seguros para divisão das fiadas tendo a grossura necessária para serm rasgadas pelas bandas, para mais segurança e ficará esta obra direita e segura de modo que corra a água do cimo da igreja para a porta principal"; a fachada teria campanário "para dois sinos, na forma em que se acha o campanário da igreja de Cambra, com sua cornija, com suas pirâmides e cruz no meio" (ALVES, pp. 123-124).

Autor e Data

Paula Figueiredo 2002

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login