Pelourinho de Redondos

IPA.00001295
Portugal, Coimbra, Figueira da Foz, Buarcos
 
Pelourinho quinhentista, de bloco prismático, com soco misto circular e octogonal, com coluna toscana e remate paralelepipédico com elementos heráldicos, encimado por pequenos pináculos. Apesar da permanência de elementos da gramática decorativa do manuelino, a construção aproxima-se já de estruturas mais tardia, designadamente no perfil da coluna. Apresenta a mesma tipologia dos Pelourinho de Buarcos (v. PT020605040003) e da Ega (PT020604060002).
Número IPA Antigo: PT020605040004
 
Registo visualizado 384 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição universitária  

Descrição

Estrutura em cantaria de calcário, composta por soco misto, com três degraus, o primeiro redondo os restantes oitavados de lados côncavos, onde assenta uma moldura cilíndrica, arredondada na parte de cima em busca da concordância com o fuste cilíndrico, liso, tendo no topo uma moldura anelar. A coluna é rematada por capitel em forma de paralelepípedo rectângular. Uma das faces é lisa a nas restantes apresenta respectivamente um escudo vazio, uma esfera armilar e a data 1561. Remate em pequeno pináculo, rodeado por outros mais pequenos em cada um dos ângulos, alguns deles partidos.

Acessos

Largo do Pelourinho de Cima. WGS84 (graus decimais) lat.: 40,165867; long.: -8,877205

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1ª série, n.º 231 de 11 Outubro 1933

Enquadramento

Urbano, destacado, na zona alta da povoação, a pequena distância do Pelourinho de Buarcos (v. PT020605040003).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Art. 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1561 - construção do pelourinho, conforme data inscrita no remate, sendo a povoação vila e couto, com câmara municipal anexa a Buarcos; 1708 - a povoação, com 150 vizinhos, pertence à Universidade de Coimbra, que apresenta as justiças; tem 2 juizes ordinários, vereadores, procurador do concelho, escrivão da câmara, juiz dos órfãos com o seu escrivão e tabelião do judicial; 1758 - nas Memórias Paroquiais é referido que a povoação com 116 vizinhos é do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra; tem juiz ordinário e câmara; 1771, 12 Março - data em que a povoação foi integrada na Figueira da Foz.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de pedra de Ançã.

Bibliografia

CORREIA, Virgilio, Inventário Artístico de Portugal, Distrito de Coimbra, IV, Lisboa, 1953; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza, vol. II, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1708; LEAL, Pinho, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, 1914; LOUREIRO, Ferreira, Pelourinhos do Concelho da Figueira da Foz, 1904; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/73664 [consultado em 14 outubro 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 31, n.º 37, fl. 201-204)

Intervenção Realizada

CMFF: 2001 - limpeza das colonizações biológicas, fortalecimento e restauro das pedras; recuperação da base.

Observações

Autor e Data

João Cravo e Horácio Bonifácio 1992

Actualização

Cecília Matias 2001
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login