Castelo de Loulé / Castelo e cerca urbana de Loulé / Museu Municipal de Loulé

IPA.00001283
Portugal, Faro, Loulé, Loulé (São Sebastião)
 
Castelo e cerca medievais de muralhas torreadas, servidas por adarves, cuja maioria se encontra integrada em edifícios resultado do crescimento urbano para além do perímetro amuralhado original.
Número IPA Antigo: PT050808080001
 
Registo visualizado 2592 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Militar  Castelo e cerca urbana    

Descrição

Restam de pé 3 torres ameadas ligadas por uma cortina de muralhas com caminho de ronda. No lugar da antiga alcaidaria vêm-se, marcados no solo, vestígios de fundações das muralhas que continuavam, no sentido norte.

Acessos

Rua da Barbacã, Rua do Município, Largo da Igreja Matriz, Rua Rainha Leonor e Rua Dom Paio Peres Correia.

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto, n.º 9 842, DG, 1.ª série, n.º 137 de 28 junho 1924 *1 / ZEP, Portaria n.º 425/85, DR, 1.ª série, n.º 152 de 05 julho 1985 (Castelo) *2

Enquadramento

Urbano; os restos do castelo e dos troços de muralhas são visíveis por entre o casario das ruas de D. Paio Peres Correia, das Bicas Velhas, da Barbacã, e do largo D. Afonso III, integradas em edifícios.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Militar: castelo e cerca urbana

Utilização Actual

Cultural e recreativa: museu *3 / Cultural e recreativa: marco histórico-cultural / Comercial e turística: posto de turismo

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

DRCAlgarve, Portaria n.º 829/2009, DR, 2.ª série, n.º 163 de 24 agosto 2009

Época Construção

Séc. 13 / 15 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Séc. 02 a.c., inícios - os Romanos ocupam o castro e transformam-no numa importante base militar de ocupação e centro político e administrativo; 715 - ocupado pelos Mouros; Séc. 11 - conquistado a 1ª vez por D. Fernando, Rei de Leão *4; 1249 - conquistado definitivamente por D. Paio Peres Correia; 1268 - D. Afonso III povoa o lugar depois de ter reconstruído e ampliado a fortaleza; esta era então constituída por uma forte muralha torreada e torre de menagem e uma cerca em volta da povoação com seis portas, protegidas por torres, das quais ainda restam ruínas ( ALMEIDA, 1948 ); 1266 - foral, em Lisboa, por D. Afonso III; 1359, 09 a 12 de Abril - D. Pedro I pernoita na Alcaidaria; 1422 ou 1462 - reedificada por D. Henrique de Meneses, 1º conde de Loulé; 1501- foral novo por D. Manuel; 1573, 29 de Janeiro - D. Sebastião pernoita na Alcaidaria; 1969 - estragos provocados pelo sismo; 1992, 01 junho - o imóvel é afeto ao Instituto Português do Património Arquitetónico, pelo Decreto-lei 106F/92, DR, 1.ª série A, n.º 126; 2001 - assinatura protocolo entre a Câmara e a DGEMN para salvaguarda do património do concelho; 2013, 18 janeiro - publicado no DR, 2.ª série, n.º 13, o Anúncio de Procedimento n.º 232/2013 relativo ao Arranjo Urbanístico da Praça D. Afonso III, Rua D. Paio Peres Correia e Largo das Bicas Velhas (Chafariz); 2016, fevereio - candidatura do Museu Municipal à Rede Portuguesa de Museus; 2017, 06 julho - publicado no DR, 2.ª série, n.º 129/2017 o Despacho n.º 5977/2017 aprovando a credenciação do Museu na Rede Portuguesa de Museus.

Dados Técnicos

Materiais

Cantaria, alvenaria, taipa.

Bibliografia

ALMEIDA, João de - Roteiro dos monumentos militares Portugueses.Lisboa, 1948, Vol. 3; ATAIDE DE OLIVEIRA - Francisco, Monografia do Concelho de Loulé. Porto, 1905.

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMS

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMS

Documentação Administrativa

DGPC: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMS

Intervenção Realizada

DGEMN: 1942 - 1952 - restauro e consolidação das muralhas e torres: demolição e reconstrução de paredes , aplicação de cantaria nos cunhais das torres e nos degraus; 1954 - 1955 - demolição de algumas casas para desafronto da muralha; 1973 - Demolição de alvenarias e telhados e construção de alvenaria de taipa na torre da Vela; 1980 - Demolição de barracas que prejudicavam o interior do castelo, reparação do pavimento dos adarves e torreões, recuperação de merlões; 1981 - 1982, reconstrução de telhados de uma pequena dependência; DGEMN - CML: 2001 - 2003 - Limpeza de paramentos exteriores incluindo remoção de vegetação e tratamento de juntas; revisão e recuperação de adarves, terraços e outras estruturas; recuperação dos espaços exteriores adjacentes à muralha; limpeza da pedra e tratamento de juntas, consolidação do tradoz com revisão e reposição de rebocos e caiações de arco ogival junto à R. Rainha D. Leonor incluindo abertura de vãos em fachada em ruínas que limita o percurso pedonal a que o arco dá acesso, fazendo a ligação com o Largo Tenente Cabeçadas.

Observações

*1 - DOF... Restos do Castelo de Loulé; *2 - DOF...ZEP dos restos do castelo, da Igreja matriz, da Capela de Nossa Senhora da Conceição, do portal e cruzeiro da Misericórdia e dos restos da Igreja da Graça; *3 - incluído na Rede de Museus do Algarve; *4 - é provável que o castelo tivesse sido, na sua origem, um castro lusitano de povoamento de transição do neolítico para o calcolítico; aí se estabeleceram os Fenícios e os Cartagineses.

Autor e Data

João Neto 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login