Farol da Ponta da Ilha

IPA.00012774
Portugal, Ilha do Pico (Açores), Lajes do Pico, Piedade
 
Arquitectura de comunicações. Farol costeiro, de 3ª ordem, possuindo uma característica de grupos de 3 relâmpagos brancos com um período de 15 segundos, com alcance luminoso de 24 milhas.
Número IPA Antigo: PT072004030006
 
Registo visualizado 1906 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Comunicações  Farol    

Descrição

Torre quadrangular branca, com 19 m de altura, com lanterna vermelha, situando-se o plano focal a 29 m de altitude, e edifício anexo.

Acessos

Ilha do Pico; Caminho do Farol

Protecção

Enquadramento

Orla marítima, isolado na ponta E. da Ilha do Pico, na chamada Ponta da Ilha. A 29 m de altitude (plano focal).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Comunicações: farol

Utilização Actual

Comunicações: farol

Propriedade

Afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1883 - Aprovação do Plano Geral de Alumiamento que previa a construção deste farol, equipado com um aparelho de 2ª ordem, produzindo um clarão de cor branca, com alcance luminoso em estado médio de 25,5 milhas e de 11,5 em estado brumoso; 1902 - uma nova comissão propunha um aparelho de 3ª ordem, pequeno modelo, mostrando grupos de 4 clarões brancos de 10 em 10 segundos; 1942 - compra a Maria Adelaide Gomes e marido e Paulina Gomes Ávila e marido de mil metros quadrados de um prédio rústico sito ao Calvino, freguesia da Piedade, pelo preço de 200$00; 1946 - início do funcionamento do farol, sendo o aparelho óptico de 5ª ordem (187.5mm de distância focal) *1, sendo a fonte luminosa a incandescência pelo vapor de petróleo e como reserva possuía um candeeiro de nível constante, o seu alcance luminosos era de 26 milhas; 1958, Agosto - electrificação, passando a luz a ser fornecida por uma lâmpada de incandescência de 3000 W, que lhe proporcionava um alcance luminoso de 35 milhas; 1960 - substituição do aparelho óptico por outro igual, devido ao mau estado do existente; 1987 - substituição do equipamento por um mais moderno, de ópticas seladas montadas num pedestal rotativo, com reservas de alimentação e fonte luminosa incorporadas; 1993 - electrificação.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

AGUILAR, J. Teixeira de, NASCIMENTO, José Carlos, Onde a Terra Acaba, História dos Faróis Portugueses, Lisboa, 1998.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO. *1 O aparelho óptico aí instalado era o que anteriormente havia equipado o farol da Serreta. A guarnição do farol é de 3 faroleiros.

Autor e Data

Patrícia Costa 2002

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login